A amnésia de Joesley tem cura: cadeia | Fábio Campana

A amnésia de Joesley tem cura: cadeia

O Brasil decente exige a imediata anulação da meia delação premiadíssima

do Augusto Nunes

Com uma entrevista concedida à Veja, um depoimento ao Ministério Público Federal e a divulgação de um segundo lote do latifúndio de patifarias que protagonizou, Joesley Batista confirmou o que aqui se repete há quase três meses: em parceria com Rodrigo Janot e com a bênção de Edson Fachin, o dono da JBS inventou a meia delação premiadíssima. Sem contar tudo o que sabe, o açougueiro predileto de Lula, de Dilma Rousseff e do BNDES foi presenteado com um habeas corpus vitalício.

Como vêm ensinando há mais de três anos os condutores da Lava Jato ─ a verdadeira, baseada em Curitiba —, acordos de colaboração premiada garantem aos beneficiários a redução da pena, não a condenação à perpétua impunidade. E só merece ter reduzida a temporada na gaiola quem escancara todas as bandalheiras em que se envolveu numa única sequência de depoimentos. Não tem sido assim com o bilionário espertalhão.

Só Joesley foi autorizado a saldar a conta em prestações, num prazo de pai para filho, fixar o tamanho de cada parcela e decidir quais serão os alvos da vez. Nesta semana, ele manteve a linha inaugural: o bombardeio concentrado em Michel Temer é interrompido por disparos de balas de festim na direção dos ex-presidentes que prometeram ao país um campeão nacional da indústria e entregaram um recordista mundial de salto sobre cofres públicos.

Joesley ingressou no clube dos bilionários pendurado nos ombros de Lula e ali continuou por ter caído no colo de Dilma. Mas cabem num asterisco do calhamaço de depoimentos as revelações sobre as canalhices consumadas com a cumplicidade da dupla de comparsas. Para proteger os padrinhos da ladroagem, Joesley continua escondendo o que há de mais interessante no ainda abarrotado baú de bandalheiras.

A meia delação premiadíssima deve ser imediatamente anulada. E Joesley merece descansar na cadeia até entender que semidelatores são criminosos que simulam arrependimento para debochar da Justiça.


4 comentários

  1. Palpiteiro
    domingo, 3 de setembro de 2017 – 12:12 hs

    Um dia as verdadeiras circunstâncias que envolveram esta trama diabólica será desvendada. Talvez muitos outros vão para cadeia.

  2. Rock
    domingo, 3 de setembro de 2017 – 12:16 hs

    Sobre os escanda-los do roubo vergonhoso dos tucanos na educação no Paraná nem uma linha né seu Campana.

  3. JÁ ERA...
    domingo, 3 de setembro de 2017 – 15:57 hs

    Exatamente por estas e outras trapalhadas da justiça é que todos
    nós brasileiros do bem sentimos ser um tremendo otário. Alguns que cometeram um crime hediondo onde a prisão deveria ser prisão perpétua ou o que aqui não se aplica mas uma bela pena de morte, crimes inafiançáveis que pagam a fiança e o cara fica em liberdade, e por último esta bagunça das delações que na verdade são confissões
    com provas às vezes fajutas como do Joesley ou do Mantega que
    deixam os caras livres e sem nem tornozeleiras. Este é o Brasil velho
    de guerra…

  4. terça-feira, 5 de setembro de 2017 – 8:51 hs

    “#REAGEBRASIL. Desde quando saiu essa pseuda delação sempre disse que havia algo de podre cheirando a chorume de lixão clandestino. Esse mega corrupto delator esconde a verdade. Brinca com a justiça e ri da cara de todos os brasileiros. Somos todos inocentes úteis, massa de manobra. Povo de cordeiros criminosamente alienados conduzidos ao matadouro pelos seus próprios tosquiadores. Prisão para todos os envolvidos. Mesmo ele sendo mentiroso não invalida o conteúdo da gravação provando que Temer e sua trupe são corruptos. Assim como a ex-presidANTA e o Molusco. Não se iluda, são todos iguais. Tudo farinha estragada do mesmo saco roto e esfarrapado. Não tenha CORRUPTO DE ESTIMAÇÃO. Eu não tenho…” – Profº Celso Bonfim

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*