Zeca Dirceu alfineta Serraglio | Fábio Campana

Zeca Dirceu alfineta Serraglio

Coluna Expresso, Época

O deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) votou pela admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer nesta quarta-feira (2) e aproveitou para alfinetar, mesmo sem citar o nome, um de seus principais adversários: o ex-ministro da Justiça Osmar Serraglio (PMDB-PR).

Zeca Dirceu disse que ausência é sinônimo de covardia. Minutos antes o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), havia dito que Serraglio não comparecera para votar.


11 comentários

  1. Thiago Almeida
    quarta-feira, 2 de agosto de 2017 – 23:06 hs

    “O Zeca Dirceu falando de Serraglio?
    O Zeca que explique os INQUÉRITOS 4322 e 4445 que ele “Zeca” responde no Supremo Tribunal Federal por lavagem de dinheiro e corrupção.”

  2. eduardo!
    quarta-feira, 2 de agosto de 2017 – 23:08 hs

    Como eleitor do Deputado Osmar Serraglio penso o seguinte: O processo está no Supremo Tribunal, portanto é judicial e por isso tem que ser imparcial.
    O deputado Osmar Serraglio foi afastado por Michel do Ministério da Justiça por ser sério. Depois, foi tirado da Comissão de Justiça por causa do voto. O PMDB fechou questão, ameaçando expulsar quem votasse contra.
    Como o deputado deveria votar ? Com raiva? Seria imparcial?

  3. AMO
    quinta-feira, 3 de agosto de 2017 – 7:11 hs

    Sinceramente, eu gostaria de saber qual a situação do doutor Osmar hoje, se ele está foi delatado pelo Daniel, se está sendo investigado, porque até então ele sempre foi um ótimo parlamentar, mas se ausentar de uma votação tão importante, não pegou bem.

  4. PEDRO
    quinta-feira, 3 de agosto de 2017 – 8:05 hs

    Filhote da Ditadura Fascista. Babaca. Os Paranaenses tem que aprender a votar ou melhor, NÃO votar nesse tipo de LIXO.

  5. Dener Rogers
    quinta-feira, 3 de agosto de 2017 – 8:39 hs

    Zeca Dirceu (PT): Responde aos inquéritos 4322 e 4445, por lavagem de dinheiro e corrupção. Delatores da Odebrecht na Lava Jato afirmam que ele recebeu R$ 250 mil, em 2010, e outros R$ 250 mil, em 2014, para financiar suas campanhas eleitorais, via caixa dois, a pedido do pai, o ex-ministro José Dirceu. Zeca alega que nunca teve contato com a empresa e que todas as suas contas foram julgadas regulares pela Justiça eleitoral.

  6. Roberto Cardoso
    quinta-feira, 3 de agosto de 2017 – 8:44 hs

    Serraglio não tem meu respeito, mas zequinha dirceu, faça o favor, voce não tem moral, ética e educação nenhuma para fazer qualquer tipo de comentário. você e essa cambada do pt, psol, pcb e outros esquerdistas é quem está acabando com o Brasil. E não esqueça, zequinha, na campanha eleitoral pra presidente, voce estufava o peito e bradava o nome do temer e da dilmanta. Agora aguenta, seu lixo!

  7. José Cardozo
    quinta-feira, 3 de agosto de 2017 – 8:46 hs

    Esse pessoal queria que Osmar Serraglio votasse com os corruptos petistas . Como não votou, morderam a língua.

  8. Prof. Zé Luiz.
    quinta-feira, 3 de agosto de 2017 – 8:53 hs

    Esse zeca dirceu, sempre teve um ódio mortal pelo Serraglio, afinal se o seu pai, o maior corrupto da historia desse país foi destruído politicamente e “puxou cadeia” e ainda vai apodrecer na cadeia foi “culpa” do Serraglio. Zeca Dirceu se recolha a sua insignificância e chore porque agora é só o que lhe resta …

  9. CAÇADOR DE VERMES PETISTAS
    quinta-feira, 3 de agosto de 2017 – 9:26 hs

    Vale a pena lembrar:

    Filho do ex-ministro José Dirceu, o deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), acaba de ser atingido pelas investigações da Operação Lava-Jato. Ele será investigado por suspeita de dos crimes de corrupção passiva, tráfico de influência e lavagem de dinheiro. O processo corre em segredo de Justiça e será conduzido pela Polícia Federal em Brasília. A inquérito foi instaurado após decisão do ministro Teori Zavascki, relator dos processos do petrolão no Supremo Tribunal Federal.

    Para os investigadores, José Dirceu e seus aliados receberam propinas da Hope Recursos Humanos. O valor se refere aos contratos estabelecidos com a Petrobras, e rendiam 1,5% para o bando. Parte do dinheiro desviado teria sido destinado à campanha de Zeca Dirceu à Câmara em 2010. Entre os doadores de Zeca está Raul Andres Ortuzar Ramirez, diretor da Hope Recursos Humanos. Para a Procuradoria Geral da República, os R$ 10.000 doados por Raul foram descontados da propina de Dirceu pai.

    As suspeitas ficam ainda mais fortes por conta de documentos encontrados durante as buscas e apreensões realizadas nos escritórios da empresa Hope Recursos Humanos, no Rio de Janeiro e em São Paulo. Os papeis indicam que “doações eleitorais para a campanha de José Carlos Becker de Oliveira e Silva (o deputado Zeca Dirceu) seriam abatidos de outros recursos direcionados aos “pixulecos” do esquema criminoso operado pelo Partido dos Trabalhadores na Petrobras.

    A Polícia Federal quer ouvir o deputado federal Zeca Dirceu, os representantes da Hope e o lobista Milton Pascowtich (que já negociou delação premiada). Os depoimentos devem acontecer até o final do ano. O deputado nega todas as acusações.

    Caso seja condenado, Zeca Dirceu deve pegar até 27 anos de prisão. Este ano o pai já foi condenado a 23 anos de reclusão pelo juiz Sérgio Moro. Considerando a grande possibilidade de ser cassado ou mesmo de não se reeleger, é provável que o caso de Zeca também passe para a vara do juiz Sérgio Moro. Neste caso, uma condenação faria com que pai e filho dividissem a cela.

    Rato de esgoto.
    Culpado é o povo que elege esse LIXO.

  10. Jotinha
    quinta-feira, 3 de agosto de 2017 – 10:37 hs

    Zeca Direceu? filho de Zé Dirceu????
    Não vou nem comentar ………….
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  11. BETO
    quinta-feira, 3 de agosto de 2017 – 11:58 hs

    ZECA DIRCEU FILHO DE BANDIDO, BANDIDO TAMBÉM É.

    José Carlos Becker de Oliveira e Silva (PT-PR), o deputado federal Zeca Dirceu, é suspeito de receber repasse não contabilizado de duas quantias de R$ 250 mil cada para financiar suas campanhas eleitorais nos anos de 2010 e 2014, segundo inquérito autorizado pelo ministro Edson Fachin. Os pedidos de repasse teriam sido feitos a pedido de seu pai, José Dirceu.

    Em nota, o deputado afirma que nunca entrou em contato as diretorias da Petrobras e/ou as empresas investigadas na Operação Lava Jato e que não há provas que liguem o parlamentar às empresas ou a qualquer tipo de ilegalidade.

    Ele ainda diz que todas as doações recebidas nas campanhas de 2010 e 2014 são de conhecimento público, legais, declaradas e foram aprovadas pela Justiça Eleitoral. O político ainda afirma que “reforça sua confiança no Supremo Tribunal Federal e no trabalho de investigação da Polícia Federal”.

    Segundo o delator Fernando Reis, o dinheiro foi repassado por meio do Setor de Operações Estruturadas, como era chamado o setor de repasses irregulares da Odebrecht.

    Fora Petezada.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*