Yared, a perseguida | Fábio Campana

Yared, a perseguida

A deputada federal Christiane Yared desabafou nas redes sociais estar sendo alvo de ataques “de quem tem a caneta na mão, até mesmo dos bufões da velha política”. As agressões se deram, segundo a deputada, após ela ter assumido a possibilidade de concorrer ao Senado em 2018 pelo Partido da República (PR).


5 comentários

  1. ANTONIO
    quarta-feira, 2 de agosto de 2017 – 20:39 hs

    Caro Fabio, semana passada em seu Blog, essa deputada, leu o que o povo Paranaense pensam dela. A maioria dos eleitores hoje, olham para ela e têm pena dela, pois está usando a morte de seu filho para fazer política. Hoje 02/08/2017, na votação da câmera sobre o relatório se o Presidente, deve ou não permanecer ela na hora do voto se perdeu totalmente. Fabio, eu e meus amigos estamos votando para Senador em 2017 para quem trabalhou pelo Paraná e merece o nosso o nosso voto é para Beto Richa.

  2. eleitor desmemoriado
    quarta-feira, 2 de agosto de 2017 – 21:20 hs

    Alguém aí providencie uma boa dose de semancol para a pastora, o que ela pensa que é? Só por ser mulher acha que pode substituir a Barbie paraguaia no coração das vovós? Vai nesta pastora, vai entrar bem pelo cano.

  3. Ataide
    quarta-feira, 2 de agosto de 2017 – 23:03 hs

    A Dep Christiane Yared, não tem a mínima noção do parlamento. Ela que aguarde a próxima eleição.

  4. quinta-feira, 3 de agosto de 2017 – 8:01 hs

    Essa aí Sempre Votou contra os projetos que beneficiam o Paraná, acompanhou os votos da Gleisi (a Amante) e do Requeijão Mamona. Já pode se achar Senadora? Se ganhar vai continuar Votando contra o Paraná? Prejudica o Nosso Estado porque NÃO Gosta do Governador, Só por esse Motivo…Lamentável deputada. Com o meu Voto NÃO!

  5. BETO
    quinta-feira, 3 de agosto de 2017 – 12:02 hs

    So falou m…. da ontem no momento em que foi votar.
    Nada a ver esta mulher Deputada. Nem Vereadora.

    Quem paga o salário e as mordomias que não são poucas?

    Vamos aprender a votar, sem dó e sem piedade.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*