TCU quer quase meio milhão de professores de volta às salas de aula | Fábio Campana

TCU quer quase meio milhão de professores de volta às salas de aula

Por iniciativa do ministro Walton Rodrigues, o Tribunal de Contas da União decidiu investigar e mapear professores de escola pública fora da sala de aula. Auditoria do TCU atesta que no ensino médio 70.000 professores estão nessa situação. No ensino básico é ainda pior: 380 mil têm gratificação de 40% para dar aulas, mas estão cedidos a outros órgãos. Cerca de meio milhão de professores devem ser obrigados a dar aulas. Ou terão de devolver a gratificação recebida ilegalmente. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Por lei, 60% dos recursos do Fundeb são destinados exclusivamente para pagar professores do ensino básico que estão na sala de aula.

“Dezenas de milhares de professores são remunerados com verbas federais, e servem em assembleias, câmaras e outros”, diz o ministro.

O TCU decidiu que caberá aos tribunais estaduais de Contas levantar o tamanho da burla à aplicação dos recursos do Fundeb.

Para Walton, recursos criados em benefício das futuras gerações não podem ser desviados para custear professores fora da sala de aula.


6 comentários

  1. quinta-feira, 31 de agosto de 2017 – 8:45 hs

    A sociedade vai ficar muito feliz quando souber de verdade o rombo que os oportunistas disfarçados de professores fazem com o dinheiro do povo. Ainda da tempo de salvar o país,vamos estipular metas para todos os gestores de escolas publicas.

  2. Do Interior...
    quinta-feira, 31 de agosto de 2017 – 9:34 hs

    Ué, os professores não eram os paladinos da justiça, apontando o dedo sujo para todos os auditores fiscais, lavando as escadarias dos prédios da secretaria da Fazenda, generalizando que todos os funcionários seriam bandidos, acusando justamente quem arrecada dinheiro para pagar os seus salários que agora são recebidos indevidamente?

  3. Alvaro
    quinta-feira, 31 de agosto de 2017 – 10:29 hs

    Parabens ao TCU, lugar de professor e dando aula.

  4. Alvaro
    quinta-feira, 31 de agosto de 2017 – 10:29 hs

    Parabens ao TCU, lugar de professor e dando aula.

  5. QUESTIONADOR
    quinta-feira, 31 de agosto de 2017 – 10:40 hs

    -Vão mexer num vespeiro do tamanho da via láctea e é somente a ponta do iceberg…se for auditar todas as unidades públicas de ensino superior sob a responsabilidade do Estado do Paraná…aí sim vai ser um buraco do tamanho do universo…..há muita mamata em toda a estrutura de ensino público do Paraná. É só ter vontade política para resolver e expor o problema…aí quero ver a APP Sindicato rosnar!!!

  6. Valeria
    quinta-feira, 31 de agosto de 2017 – 12:36 hs

    Sou professora contratada do Estado do Paraná. Porque precisei tirar licença médica, 60 dias, ano de 2016, este ano fui proibida abrir contrato.
    E têm muitos professores QPMs que lecionam de maneira medíocre, pois já possuem estabilidade e só querem receber seu salário no final do mês.
    É preciso, além de colocar professores que estão em outros órgãos de volta a suas funções, como também cuidar mais de perto a qualidade de conhecimento científico ministrados Estados brasileiros.
    Eu

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*