Sem aumento de salários para o STF em 2018 | Fábio Campana

Sem aumento de salários para o STF em 2018

O STF fez seu orçamento para 2018. Os próprios ministros votaram sobre aumento ou não de salários. Oito ministros votaram contra um reajuste, três a favor.
A negativa na subida dos salários dá uma esculhambada na vida dos procuradores da República. Eles aprovaram reajuste de seus salários em 16,38%. Mas, o salário do procurador-geral é o mesmo de um ministro do STF – que é o teto do funcionalismo. Para que os procuradores tenham reajuste, é preciso que os ministros também tenham, então, nada feito. Se o reajuste passasse, o salário pularia de R$ 33,7 mil para 39,3 mil.
Veja quem votou contra e quem votou a favor de subir os próprios salários no STF:

A proposta foi rejeitada por oito magistrados: Cármen Lúcia, presidente da corte, Celso de Mello, Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Rosa Weber, Luis Roberto Barroso, Edson Fachin e Alexandre de Moraes. Para eles, o atual momento da economia não permite um reajuste de 16,38% nos salários.
Votaram a favor os ministros Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio e Luiz Fux. Para Lewandowski, o STF tem “não apenas o dever legal, mas também institucional” de fazer a previsão de recomposição salarial.


3 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    quinta-feira, 10 de agosto de 2017 – 10:46 hs

    As instituições que dizem cumprir e fazer cumprir as leis são as que mais encontram subterfúgios legais para abocanhar ganhos acima do teto com auxílios e adicionais de todo gênero. São os grandes responsáveis pela falência do Estado e da previdência.

  2. Observador
    quinta-feira, 10 de agosto de 2017 – 11:07 hs

    Até que enfim, uma atitude coerente. Ainda há esperança.

  3. JOHAN
    quinta-feira, 10 de agosto de 2017 – 19:09 hs

    Caro FÁBIO, e como ficam os malandros que chegam a ganhar acima do teto. Continuarão do mesmo jeito? Há cadeia para esses crimes? Como ficam os 18,0 MM de desempregados, que foram a essa situação motivada pelos desequilíbrios exagerados praticados por esses beneficiados. . Atenciosamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*