Repúdio às declarações de Gilmar Mendes sobre Janot | Fábio Campana

Repúdio às declarações de Gilmar Mendes sobre Janot

A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) divulgou uma nota de repúdio às declarções do ministro do Supremo Tribunal Federal e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, que afirmou que Rodrigo Janot é o procurador-geral da República mais “desqualificado da história” e que “não tem preparo jurídico nem emocional para dirigir algum órgão dessa importância”.
No texto, a associação, que reúne 1.300 representantes do Ministério Público Federal (MPF) em todo o País, diz ser “deplorável que um magistrado, membro da mais alta Corte do País, esqueça reiteradamente de sua posição para tomar posições políticas (muito próximas da política partidária) e ignore o respeito que tem de existir entre as instituições, para atacar em termos pessoais o chefe do MPF”.
Leia na íntegra.

Procuradores da República repudiam ataques pessoais a Rodrigo Janot

Brasília (07/08/2017) – Representante de 1.300 membros do Ministério Público Federal, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) vem a público repudiar os ataques absolutamente sem base e pessoais ao Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, proferidos em deliberada série de declarações, nos últimos dias, pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), e Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes.

Em primeiro lugar, e desde logo, é deplorável que um Magistrado, Membro da mais alta Corte do País, esqueça reiteradamente de sua posição para tomar posições políticas (muito próximas da política partidária) e ignore o respeito que tem de existir entre as instituições, para atacar em termos pessoais o Chefe do Ministério Público Federal. Não é o comportamento digno que se esperaria de uma autoridade da República. O furor mal contido nas declarações de Gilmar Mendes revela objetivos e opiniões pessoais (além de descabidas), e não cuidado com o interesse público.

Rodrigo Janot foi duas vezes nomeado para o cargo de PGR depois de escolhido em Lista Tríplice pelos seus pares, a última delas com consagradora votação de quase 80% de sua classe. Em ambas as indicações foi aprovado pelo Senado Federal por larga margem, tudo isso a demonstrar o apoio interno e externo que teve, mercê de seu preparo técnico, liderança e história no Ministério Público Federal. O trabalho do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, nestes quase quatro anos de mandato, por outro lado, foi sempre impessoal, objetivo, intimorato e de qualidade. Não por outro motivo tem o apoio da população brasileira.

O Ministério Público não age para perseguir ninguém, e não tem agendas que não o cumprimento de sua missão constitucional. Tampouco, todavia, teme ou hesita o MPF em desagradar quem quer que seja, quando trabalha para o cumprimento da lei e promove a justiça.

O Procurador-Geral da República assim tem agido em todas as esferas de sua competência, promovendo o combate à corrupção e liderando o Ministério Público Federal na complexa tarefa de defender a sociedade. Se isto incomoda a alguns, que assim seja. O MPF e suas lideranças jamais se intimidarão. Estamos em uma República, e ninguém nela está acima da Lei.


9 comentários

  1. Russel
    segunda-feira, 7 de agosto de 2017 – 16:32 hs

    Alguém precisa dizer a esse doidivanas que suas exibições histriônicas não combinam com a função de Procurador da República. Não satisfeito em se mancomunar com um notório bandido para tentar derrubar um presidente da República, desmascarado na sua trama de galinheiro, mostra-se agora obsessivo no papel de justiceiro do presidente Temer. Ao mostrar uma vez mais seu desprezo pessoal e funcional pela futura PGR, Raquel Dodge, por si só dispensaria a solidariedade corporativa. Seria o caso da Procuradoria afasta-lo nem que seja para tratamento de saúde, já que furor vingativo parece justificar até uma camisa-de-força.

  2. Piolho
    segunda-feira, 7 de agosto de 2017 – 16:41 hs

    Certo está Gilmar em meter o dedo na cara do IDIOTA, que tentou derrubar Temer à mando de Lula!!

  3. segunda-feira, 7 de agosto de 2017 – 16:47 hs

    “Esse Gilmar Mendes, presta um desserviço ao judiciário desse País. Muito verborrágico. Prolixo. Dicotômico. Quer que os ‘HOLOFOTES’ sempre estejam apontados para ele. Faz uma gestão temerária no TSE. E suas falas do STF sempre são desastrosas. Alguém sabe me informar quanto tempo falta para o País se livrar dessa mala sem alça? Quanto tempo falta para ele se aposentar compulsoriamente? Porquê esse aí só sai mesmo na compulsória…” – Profº Celso Bonfim

  4. Franchico
    segunda-feira, 7 de agosto de 2017 – 16:54 hs

    O Gilmar Mendes que é mais um puxa saco vendido deste sistema corrupto.

  5. Jose Nascimento
    segunda-feira, 7 de agosto de 2017 – 17:36 hs

    Fabio…é só no Brasil mesmo, que o Judiciario tem torcida organizada, igual time de futebol,

  6. segunda-feira, 7 de agosto de 2017 – 21:08 hs

    Nunca confiei no Janot.
    Quem lê e se informa, já viu que de tempos em tempos , ano a ano, surgem casos esquisitos sobre Janot , onde as historias não batem

  7. Indiada
    segunda-feira, 7 de agosto de 2017 – 22:46 hs

    Se tiver prova mete frecha Janot !

  8. TO DE OLHO
    terça-feira, 8 de agosto de 2017 – 0:52 hs

    O STF “SOLTA TODOS FACÍNORAS” PARECE A MÃE DOS CORRÚPTOS
    ===O JANOT, JÁ CAUSA MEDO, QUEM O CRITICA COM CERTEZA ESTÁ COM O RABO PRESO.

  9. Jotinha
    terça-feira, 8 de agosto de 2017 – 16:04 hs

    Não concordo que um membro do Tribunal fale assim de um procurador, mas que esse Janot bem que merece, há isso sim.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*