PF apura uso de atletas 'fantasmas' em desvios do Ministério do Esporte | Fábio Campana

PF apura uso de atletas ‘fantasmas’ em desvios do Ministério do Esporte

Polícia Federal investiga uma quadrilha suspeita de inserir dados de atletas “fantasmas” nos sistemas do Ministério do Esporte para desviar recursos do programa Bolsa Atleta. O G1 aguarda posicionamento do ministério.

Ao todo, são cumpridos seis mandados de busca e apreensão e seis mandados de condução coercitiva – quando a pessoa é levada para depor – nesta sexta-feira (18). As determinações judiciais são da 10ª Vara da Justiça Federal no Distrito Federal.

Segundo a PF, durante o ano de 2012, o grupo conseguiu criar 25 atletas fantasmas, “inclusive de alto rendimento e nível olímpico”. A fraude teria movimentado R$ 810 mil à época – que ultrapassam R$ 1 milhão em valores atuais. As informações são do G1.

Pela manhã, houve cumprimento de mandado no bar Versão Brasileira, na 204 Sul. A suspeita é de que o dinheiro desviado tenha servido para abrir o espaço. O G1 não conseguiu contato com a administração do local.

A operação é chamada de “Havana”. Isso porque o homem apontado como líder e outros membros dro grupo são brasileiros nascidos em Cuba. A polícia não informou o nome dos investigados nem o cargo deles, mas afirmou que não há indício de participação de mais pessoas além dos seis investigados.

Questionada, a PF também não explicou como funcionava a insersão das informações falsas no sistema. A corporação informou apenas que o desvio do dinheiro era articulado por um servidor terceirizado do ministério. Envolvia pessoas de dentro do setor de pagamentos, com acesso para fraudar e manipular os dados.

Bolsa Atleta
Criado em 2005, o Bolsa Atleta é um programa do governo federal que financia atletas para que se dediquem ao esporte. Os auxílios vão de R$ 370 a R$ 15 mil mensais e são pagos por meio da Caixa. O orçamento para o programa neste ano é de R$ 125,79 milhões.


3 comentários

  1. Dener Rogers
    sexta-feira, 18 de agosto de 2017 – 8:43 hs

    Enquanto isso o esporte brasileiro (exceto futebol), respira por aparelhos. Que coincidência, nascidos em Cuba, no berço do Socialismo ? Que interessante !!!!

  2. Russel
    sexta-feira, 18 de agosto de 2017 – 10:16 hs

    O PCdoB é só uma dissidência do histórico PC. Em 1963 o partido pregava a derrubada violenta de Jango Goulart
    E não tem nada a ver com a luta de morte entre Stalin e Trotsky. O partido da Vanessa Graziotin é um filhote ideológico do hoxismo. Seu profeta é Enver Hoxa, um dos mais longevos genocidas vinculados ao stalinismo. Seu campo de experimentação foi a Albânia onde se produziu um dos mais devastadores rebaixamento do processo civilizatório.
    Pois é, esta é a herança moral da rapaziada que Lula cedeu o feudo dos esportes. Aí foi aquela festa. O melhor que fizeram foi um programa chamado “Segundo Tempo”. Em tempo: Aldo Rebelo um dos próceres deste aleijão comunista foi ministro dos Esportes, da Ciência e Tecnologia e, acreditem, da Defesa. Mas a PF tem uma meia maratona para pegar tipos como Orlando Silva, Agnelo Queiroz. Esses e outros asseclas bateram um bolão no Regime Lula e ainda estão por aí fazendo servicinho sujo para o PT.

  3. Veredito
    sexta-feira, 18 de agosto de 2017 – 13:07 hs

    Uma das modalidades do “atletas de alto rendimento” era Alterocopismo, modalidade em que o ” atleta” Lulinha Paz e Amor era o nº 1. Seu patrocinador era a 51 Boa Ideia.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*