'Ministério Público quer desgastar políticos' | Fábio Campana

‘Ministério Público quer desgastar políticos’

Da BandNews FM:
Um dos ministros que podem ser alvo de pedido de devolução de recursos gastos pela Câmara Federal, Ricardo Barros nega que o gabinete que ocupou como deputado tenha emitido qualquer passagem aérea de maneira irregular. Para ele, trata-se de uma tentativa do MPF de desgastar a classe política.
O chefe da pasta da Saúde está entre sete ministros do governo Temer que devem ser cobrados pelo Ministério Público Federal a devolver aos cofres públicos R$ 667 mil reais.
O valor se refere a gastos com passagens aéreas bancadas pela Câmara dos Deputados. Além de Ricardo Barros, as ações que estão sendo preparadas pelos procuradores deve citar os ministros Sarney Filho, do Meio Ambiente, Bruno Araújo, das Cidades, Fernando Coelho Filho, das Minas e Energia, Eliseu Padilha, da Casa Civil, Raul Jungmann, da Defesa, e Leonardo Picciani, do Esporte.

As informações são do site Congresso em Foco. Os ministros fazem parte do grupo de 500 políticos que serão acionados na Justiça para pagar R$ 50 milhões pelo uso indevido da verba destinada ao exercício do mandato, entre 2007 e 2009. Todos eram deputados no período.

Desgaste à classe política
Ricardo Barros diz que nunca foi notificado a prestar esclarecimentos ao Ministério Público Federal. Para o ministro, trata-se de mais um ato de procuradores para impor desgaste à classe política.

“Desde 2009, não nos notificaram. As passagens foram emitidas absolutamente dentro da regra vigente à época na Câmara dos Deputados. Essa é uma tentativa permanente do Ministério Público de querer desgastar a classe política, com pouquíssimo compromisso em recuperar recursos mal gastos, tanto que não notificou, não procurou saber, e apenas acusar, acusar e acusar para nem dar oportunidade de as pessoas se defenderem”, reclama.

‘Está tudo absolutamente em ordem na emissão dessas passagens, tudo 100% das regras da Câmara dos Deputados, que aliás sempre foi rigorosíssima em verificar essas questões”, garante.

Segundo o ministro Ricardo Barros, todos os políticos têm provas de que as passagens aéreas foram emitidas de acordo com as normas da Câmara Federal.

“Não só eu, como todos os demais deputados. A Câmara é muito rigorosa na emissão das passagens, nas autorizações e não teria autorizado qualquer passagem irregular dentro da regra estabelecida. Então, temos que tomar cuidado, nós somos políticos e nosso patrimônio é nossa imagem. Não está a disposição de promotores irresponsáveis”, ataca.

MPF questiona passagens

De acordo com o Ministério Público, Ricardo Barros teria voado 190 vezes, sete delas em voos internacionais, com recursos da ordem de R$ 79 mil bancados pela Câmara.

A cobrança também se estende a deputados e ex-deputados que não esclareceram aos procuradores quem eram os passageiros que tiveram as passagens pagas com dinheiro público.

Segundo o Ministério Público Federal, o dinheiro foi utilizado para fins privados, como viagens ao exterior, passeios com a família, cessão de passagens para eleitores ou outras pessoas sem vínculo com a atuação parlamentar.

Ao todo, são 76 mil bilhetes aéreos sob suspeita com os cerca de 500 políticos. Desses, 1.606 eram para o exterior. Contra os políticos, duas ações devem ser abertas.

A primeira, de ressarcimento aos cofres públicos. A segunda, de improbidade administrativa.


6 comentários

  1. Marcus
    segunda-feira, 28 de agosto de 2017 – 14:35 hs

    Esse é o marido da Cida, e também tem o irmão da Cida.
    E a Cida quer ser governadora, pode?????
    Chega de safadeza!!!!

  2. falido e ainda mal pago
    segunda-feira, 28 de agosto de 2017 – 14:58 hs

    KKKKKKKKK. É um anjo filiado ao PP, também conhecido como o partido das propinas que tem em seus quadros o maior número de políticos envolvidos em denúncias, inquéritos e prisões, junto com a tigrada do PMDB e com os bolivarianos do PT. E ele ainda acha que querem desgastar os políticos por causa dessa “merreca” de passagem aérea?

  3. Geraldo
    segunda-feira, 28 de agosto de 2017 – 15:38 hs

    Esse leitão vesgo é uma piada e um grande cara de pau. É óbvio que utilizou recursos (nossos) da Câmara Federal de maneira irregular, e agora, como ministro, continua a utilizar o “nosso” dinheiro, pois não sai do Paraná em campanha da famiglia…

  4. Durval
    segunda-feira, 28 de agosto de 2017 – 16:00 hs

    Ricardo sabe o que faz, e nao adianta vim com esses papinhos ai que ele deve pra nao sei quem que nao vai colar nao, o cara sabe das responsabilidades, povo chato só critica.

  5. A verdade
    segunda-feira, 28 de agosto de 2017 – 19:02 hs

    Ê um dos políticos mais honesto que já vi, vejam se está na lava jato? Não né

  6. Josias Ferro
    segunda-feira, 28 de agosto de 2017 – 20:05 hs

    ESSE MINITERIO PUBLICO TORNOU-SE UM FEUDO DE MARAJAS E PERSEGUIDORES….PASSOU DA HORA DE CORTAR SUAS AZAS

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*