Liberação de cerveja nos estádios do Paraná está confirmada | Fábio Campana

Liberação de cerveja nos estádios do Paraná está confirmada

A Assembleia Legislativa aprovou ontem, por 24 votos favoráveis e 20 contrários e duas abstenções, em segundo turno, projeto que prevê a liberação da venda e consumo de cerveja e chopp nos estádios do Paraná. A proposta – encabeçada pelo líder do governo na Casa, Luiz Cláudio Romanelli (PSB), e assinada por mais onze parlamentares – dividiu os deputados e motivou intenso debate na sessão. A bancada evangélica liderou a resistência ao projeto, argumentando que ele fere o Estatuto do Torcedor, e que a venda e consumo de bebidas alcoólicas aumentaria a violência nos estádios. As informações são do Bem Paraná.

A discussão motivou troca de farpas e até bate-boca entre os parlamentares. O deputado Reinhold Stephanes Jr (PSB) alegou que na maioria dos países, inclusive os Estados Unidos – o consumo de cerveja em estádios é permitido. “Não faz sentido as pessoas de bem que frequentam o futebol serem punidas”, alegou. O deputado Ricardo Arruda (DEM) rebateu os argumentos de Stephanes Jr, lembrando que em muitos estados norte-americanos, o consumo de bebidas alcoólicas nas vias públicas é proibido. “Será que Ambev tem tanto poder para impor uma lei para nós”, disse, citando o maior fabricante de cerveja do País.

Romanelli chegou a apresentar um requerimento para encerrar a discussão mais cedo, mas recuou depois que o deputado Edson Praczyk (PRB) o acusou de tentar “tolher o debate”.

Retrocesso – A Arquidiocese de Curitiba divulgou ontem nota pedindo aos católicos que se manifestassem contra o projeto, alegando que a liberação da bebida pode “incentivar o clima de violência” e que a aprovação da lei seria um “retrocesso”.


8 comentários

  1. JOSÉ DA SERGIPE
    terça-feira, 29 de agosto de 2017 – 23:19 hs

    Só uma pergunta ? Será que foi de graça ?

  2. Juca
    quarta-feira, 30 de agosto de 2017 – 3:43 hs

    Agora sim, vai dar gosto ir aos estádios! E o preço da cerveja? Vai ser o mesmo praticado nos aeroportos?

  3. CAÇADOR DE VERMES PETISTAS.
    quarta-feira, 30 de agosto de 2017 – 8:00 hs

    Na contra mão.

    Abaixo matéria exibida em 2011 da o resultado da venda de bebidas em Estádios.

    Futebol: violência cai 70% após proibição de álcool

    ago 09, 2011 by Luiz Antônio 931 views Nenhum comentário

    O presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Justiça (CNPG), Marfan Vieira, afirmou que, apesar de polêmica, a proibição da venda de bebida alcoólica em estádios de futebol apresenta resultados inquestionáveis.

    “Pesquisa feita no Mineirão mostra que houve redução de 70% nos índices de violência, o que mostra o acerto da medida”, afirmou para o site Terra.

    Em São Paulo, a lei nº 14.726, que proíbe a venda e o consumo de bebidas em estádios e conjuntos poliesportivos foi publicada em maio, estipulando o limite para comercialização de duas horas antes e uma hora após os eventos esportivos profissionais.

    A multa para quem não cumprir a regra é de R$ 1 mil e pode chegar a R$ 2 mil em caso de reincidência.

    Em abril, a CBF já havia proibido a venda e o consumo de álcool em partidas realizadas pela entidade, com o objetivo de diminuir a violência e garantir a segurança do torcedor brasileiro.

    “Com a proibição de venda de bebidas alcoólicas, pretende-se reduzir substancialmente a violência nos estádios, o que já está comprovado onde essa proibição acontece”, justificou.

    A polêmica em torno do assunto não é novidade, e ganhou mais força a partir de um acordo de intenções celebrado entre a CBF e a CNPG, em 31 de agosto de 2007.

    Fonte: Fernando Moraes

    Em um pais de ignorantes onde elege o futebol e o carnaval como prioridade não se pode esperar nada diferente.

  4. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 30 de agosto de 2017 – 8:34 hs

    Eu bebo cerveja moderadamente,dirijo e não perco a calma,mas um sujeito como esse imbecil que comentou ai em cima ,que fica dia e noite xingando e dizendo tolices em textos até longos,não deveria beber cerveja e deveria sim andar com uma camisa de força,até por que não deve ser normal.

  5. Paulo Tadeu Macedo Neves
    quarta-feira, 30 de agosto de 2017 – 8:47 hs

    Porque o deputado Ney Letrevost votou compra a venda de bebidas nos estádios ?
    Será que ele ainda é um lambe botas da GAZETONA ?
    Se for nunca mais terá o meu voto.

  6. Fiora Neto
    quarta-feira, 30 de agosto de 2017 – 12:19 hs

    Até que enfim… todos nós que frequentamos ou não os estádios no Paraná, e em particular Curitiba, estamos carecas de saber que a venda de bebidas alcólicas dentro dos estádios não tem nada haver com violência…
    Os grupos violentos vem de seus nichos já drogados e compram nas redondezas dos estádios bebidas de alta teor alcoólico, que misturadas a gasosas produzem os famosos tubões…
    Essa turma não vai comprar cerveja nos estádios, por questões óbvias…
    A questão violência no País tem outras origens e urge uma ação da sociedade, talvez com a melhoria de condições sociais e uma melhor educação básica…

  7. Xurupita
    quarta-feira, 30 de agosto de 2017 – 13:10 hs

    Um recado à arquidiocese de Curitiba. Sou católico e totalmente a favor desse projeto. Uma cervejinha não mata ninguém, basta saber beber. Aos que não sabem que sejam aplicadas as devidas sanções. Menos hipocrisia por favor, seus falsos moralistas!

  8. Juca
    quarta-feira, 30 de agosto de 2017 – 19:50 hs

    SS Calça Frouxa, criminoso confesso, bebe cerveja “moderadamente” e dirige.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*