Lava-Jato: esquemas de desvios para PT e PMDB | Fábio Campana

Lava-Jato: esquemas de desvios para PT e PMDB

A Operação Lava Jato encontrou documento com ‘diretrizes’ para criação de uma empresa, denominada “Brasil Trade”, que pode ser a formatação de uma sociedade entre corruptos, corruptores e operadores de propinas, responsáveis por desvios em contratos com a Petrobrás, que beneficiaria PT e PMDB: 40% para os partidos.
O achado faz parte da 45ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada ontem, batizada de Operação Abate II.
A Polícia Federal fez buscas e apreensões em endereços dos advogados Tiago Cedraz Leite de Oliveira – filho do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Aroldo Cedraz – e Sergio Tourinho Dantas, e da ex-assessora de Cândido Vaccarezza (ex-PT) Ana Claudia de Paula Albuquerque.
As informações são do Estadão.
“Referência a ambos (Cedraz e Dantas) foram encontradas no próprio documento que estabelecia as diretrizes iniciais do grupo denominado de ‘BRASIL TRADE’, assim como em outro que estabelecia aparente participação nos lucros a cada um dos envolvidos em oportunidade negocial ainda não identificada”, informa o delegado da PF Filipe Hille Pace, em seu pedido de buscas na Abate II.
“Em decorrência do nível de cognição investigativa que havia se alcançado até aquele momento, julgou-se provável que dirigentes da empresa norte-americana Sargeant Marine tivessem se beneficiado indevidamente com recursos gerados mediante a contratação, mediante corrupção, da empresa pela Petroprás com o auxílio do grupo criminoso então denominado ‘Brasil Trade’”, informa a PF. “40% do comissionamento era destinado ao pagamento de propina a Cândido Elpídio de Souza Vaccarezza e outro agente político e 20% a Paulo Roberto Costa”, informa o pedido enviado ao juiz federal Sérgio Moro.

Em outro registro encontrado pela PF referente a Trade Brasil, há uma divisão: “CONVERSADO / 40% POL (PT/PMDB) / 40% COORDENAÇÃO / 20%: CASA”.

O documento com as “diretrizes” tem 12 itens sobre a formação da firma. “Formação da TRADE BRASIL – Como explanado por CH e BO, o custo para implementação de uma Trading no Brasil é alto, razão pela qual a Trade Brasil deverá ser constituida inicialmente de forma OFF SHORE para as operações iniciais”, informa o item 6, da lista de “diretizes” apreendida pela PF. “E logo que se teha sustentação própria viabilizaria-se uma empresa no Brasil visto ser intenção de que a Fundação venha entrar de sócia ou mesmo operar com a Trade Brasil.”

Há referência ainda ao local de funcionamento, que seria no Rio, menção a uma reunião inicial em 2010, com aporte inicial de R$ 100 milhões previstos, negócios com “BR Distribuidora”, Petrobrás, fornecimento de asfalto para Salvador (BA) e Fortaleza (CE) e na Argentina e em Tampa.

Os registros estão todos em siglas, que a polícia tenta confirmar. Casa seria a propina para os agentes da Petrobrás, entre eles Paulo Roberto Costa, Márcio Aché e Murilo Barbosa Sobrinho. , José Raimundo Pereira Brandão


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*