Greca quer parcelar dívida em 200 vezes | Fábio Campana

Greca quer parcelar dívida em
200 vezes

Duzentas vezes ou 17 anos ou até 2034 é o prazo que o prefeito Rafael Greca pediu em projeto enviado à Câmara de Vereadores, para pagar as dívidas do município com o Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Curitiba (IPMC). Greca quer regime de urgência para a votação do texto.
“A proposição legislativa promove a adequação da realidade previdenciária municipal às disposições da portaria ministerial [333/2017] e a sua aprovação, que se roga iminente, evitará os nefastos efeitos da mora, que implicariam acentuada corrosão dos já escassos recursos do erário municipal”, diz a justificativa, assinada pelo prefeito.
Apesar de não estipular o valor a ser reparcelado, informa que serão incluídas na transação “débitos oriundos da lei municipal 12.821/2008, não repassados até março de 2017, e prestações de dois parcelamentos firmados anteriormente, em decorrência da lei 14.911/2016”.
“Os valores originais serão atualizados pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), acrescidos de juros de 6% ao ano, que incidirão do vencimento até a data da assinatura do termo de acordo de parcelamento, com dispensa da multa. Para as parcelas vencidas após a assinatura do termo de acordo, e porventura não quitadas no vencimento, serão atualizadas mensalmente pelo INPC, acrescidas de juros de 6% ao ano, acumulados do vencimento até o mês do efetivo pagamento, mais multa de 0,5%. Atraso superior a 180 dias implicará em vencimento antecipado, com aplicação de encargos previstos em lei, podendo este valor total ser reparcelado uma única vez”, diz o texto.


2 comentários

  1. Maquiavel
    quinta-feira, 31 de agosto de 2017 – 13:41 hs

    Ué…mas não foi agora há pouco que o heliogábalo fechou a opera de arame para aprovar o confisco deste mesmo IPMC, com o parcelamento em 35 anos???

    O que houve?

    Será que errarram os “técnicos” do GG, ou os vereadores do heliogábalo “comeram bola”???

  2. Luizito
    quinta-feira, 31 de agosto de 2017 – 14:42 hs

    Acontece que quando estavam em campanha prometeram mundos e fundos, agora o mundo é real, então tem que resolver os problemas, no caso do IPMC a dívida não é só da gestão passada, mas de alhguns anos que veio se acumulando e chegou nesses valores. Então a solução foi aprovar um pacote que joga a culpa da situação financeira do IPMC nas costas dos funcionários, quer ativos, pensionistas e aposentados.
    Tudo isso deveria ser visto antes, aliás seria ótimo que na situação que se encontra o país e aqui também, que fosse obrigatório qualquer candidato a exzecutivo de qualquer nível fosse avaliado previamente, como um vestibular e depois pudesse ser candidato, pois tem gente que diz que sabe e narealidade , não sabe e sim só joga de maneira insistente a culpa no passado, isso chegaremos até Cabral, não o que está em Bangu, mas o que descobriu o Brasil e apropósito quanto este parcelamento é uma re-ratificação e também uma redundância do disposto na Lei14911/16 que previa parcelamento para recompor o caixa do instituto.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*