Estados da fronteira Brasil e Argentina traçam metas comuns | Fábio Campana

Estados da fronteira Brasil e Argentina traçam metas comuns

Uma agenda única de integração entre os estados fronteiriços do Brasil e da Argentina é essencial para que os dois países enfrentem desafios comuns e possam retomar o crescimento e a geração de empregos. Esse é destaque feito pelo governador Beto Richa no segundo encontro de governadores dos dois países na noite de ontem em Corrientes na Argentina.
“Os interesses são comuns, os dois países têm dificuldades econômicas que exigem medidas fortes e corajosas”, disse Richa, ressaltando a importância do plano de ação lançado pelos presidentes Michel Temer e Mauricio Macri no início deste ano e que prevê medidas conjuntas para fortalecimento da economia dos dois países.

As medidas envolvem, entre outras ações, questões aduaneiras, fortalecimento do Mercosul e a aproximação de outros mercados internacionais. “A união é essencial para enfrentar e vencer as dificuldades”, afirmou. Richa aproveitou a reunião para convidar os governadores para uma conferência que tratará de negócios internacionais e vai acontecer em setembro, em Foz do Iguaçu, com a participação de províncias paraguaias.

Beto Richa enfatizou que os governos da região Sul do Brasil procuram fazer a sua parte. “O Paraná fez o ajuste fiscal, com vistas a aumentar o percentual de investimentos públicos em áreas essenciais para a população”, disse Richa, ao destacar que Santa Catarina e Rio Grande do Sul também buscam o equilíbrio das contas públicas.

Ele lembrou que na última reunião do Codesul (Conselho de Desenvolvimento do Extremo Sul), realizada no último dia 4 de agosto, em Florianópolis, os governadores também destacaram como prioridade o fortalecimento das relações dos estados do Sul e províncias argentinas.

O governador de Corrientes, Horacio Colombi, afirmou que a união dos governadores mostra aos governos federais de Brasil e Argentina que as províncias também fazem parte do Mercosul.

Para o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, a reunião foi positiva. “A recomendação é dar continuidade ao processo de reconstrução do Mercosul. Ficou claro que o processo precisa ser objetivo para obtermos mais integração, mais convivência”, disse ele. “Os interesses têm que ser compartilhados”.

Declaração de Corrientes – Durante o encontro na Argentina, foi assinada a Declaração de Corrientes, documento que traz como pontos prioritários da agenda conjunta a interligação estratégica viária, hidrográfica e aérea, a instalação de um Centro de Promoção Comercial e de Investimentos em Porto Alegre e outro em uma cidade Argentina com consulado brasileiro, a unificação das regras dos serviços de migração e de vigilância sanitária nas fronteiras entre os dois países. Outro ponto prioritário é a finalização do acordo comercial entre Mercosul e União Europeia.

Assinaram a declaração pelo lado argentino o ministro do Interior, Rogério Frigerio, e os governadores de Corrientes, Horacio Colombi; de Chaco, Oscar Domingo Peppo; de Misiones, Hugo Passalacqua; de Tucumán, Juan Luis Manzur; Entre Rios, Gustavo Bordet; e Mendoza, Alfredo Cornejo.

Pelo lado brasileiro, o documento foi assinado pelo representante da Embaixada do Brasil na Argentina, Luiz Eduardo Fonseca, e os governadores do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori; do Paraná, Beto Richa; e representantes dos governos de Goiás e de Santa Catarina.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*