Richa apresenta potencial do Paraná para embaixadores de nove países | Fábio Campana

Richa apresenta potencial do Paraná para embaixadores de nove países

Nesta quinta-feira, 10, em Brasília, o governador Beto Richa apresentou o potencial do Paraná para investimentos externos a um grupo de nove embaixadores. A reunião teve a participação de representantes dos EUA, China, Japão, França, Espanha, Itália, Ucrânia, Alemanha e Suécia. Juntas – países que somam 58,63% do Produto Interno Bruto mundial.

“Temos a segunda maior indústria automotiva, a terceira indústria de transformação, o quarto maior parque petrolífero, a segunda indústria de alimentos. Somos o segundo maior produtor de grãos e a quinta maior economia do País”, disse Richa. Forte no agronegócio, o Paraná é o maior produtor de frango, trigo e feijão, o segundo em soja e milho e o terceiro em carne de suínos.

O encontro resultou em novas agendas de conversas com representações diplomáticas, ainda em agosto, em Curitiba. As áreas que geraram interesse dos países que estiveram no encontro são o agronegócio, o polo automotivo, o setor florestal, de papel e celulose.

Richa destacou que o Paraná foi eleito, por duas vezes consecutivas, o segundo Estado mais competitivo do País, atrás apenas de São Paulo, pela Revista The Economist. “Quando assumimos, não havia um bom ambiente de negócios e ocupávamos o quinto lugar entre os Estados mais competitivos. Em 2013 passamos para terceiro lugar e em 2015 e 2016 ficamos em segundo lugar”, disse.

O governador, que estava acompanhado do prefeito de Curitiba, Rafael Greca, disse que o Paraná vive o maior ciclo de investimentos de sua história em razão dos programas de incentivo, das melhorias da infraestrutura e ao bom diálogo entre o governo e setor privado.

Richa destacou que o programa Paraná Competitivo foi eleito pelo Financial Times um dos oito melhores do mundo e já atraiu mais de R$ 42 bilhões de novos investimentos, com destaque para projetos como da Klabin, Renault, Volkswagen, Volvo e Paccar, da indústria de pneus japonesa Sumitomo e de indústrias cimenteiras.


2 comentários

  1. Douglas Rodrigues
    sexta-feira, 11 de agosto de 2017 – 10:21 hs

    Estes dados são confidenciais confiáveis? Ou apenas há fala de um vendedor de carros usados de final de semana.
    Este moleque nada tem de confiável, seu pai não teria orgulho dele como político

  2. Ricardo
    sexta-feira, 11 de agosto de 2017 – 15:57 hs

    Creio serem confiáveis, pelo menos até 2015, pois, conheci os diretores que iniciaram o trabalho na Agência Paraná de Desenvolvimento. Pessoas sérias e comprometidas. Sei que mudaram diretores por questões políticas, mas a prova do bom trabalho é que a equipe técnica permaneceu e faz um excelente trabalho.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*