Delação de ex-governador do MT é 'monstruosa', afirma ministro do STF | Fábio Campana

Delação de ex-governador do MT é ‘monstruosa’, afirma ministro do STF

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, qualificou nesta sexta-feira de monstruosa a delação do ex-governador do Mato Grosso Silval Barbosa (PMDB) e mais quatro pessoas ligadas a ele. Fux detrminou hoje a a abertura de um inquérito para apurar as suspeitas de que uma organização criminosa atuou no governo do Mato Grosso entre 2006 e 201, com base na delação de Silval. As informações são de Carolina Brígido n’O Globo.

— A delação é monstruosa pelo número de anexos, pelo número de crimes delatados e pelo número de autoridades envolvidas — avaliou Fux.

O inquérito foi pedido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Não há indicação de investigados no inquérito. Entre os suspeitos de terem cometido crimes está o ministro da Agricultura, Blairo Maggi. Também a pedido de Janot, Fux determinou nesta sexta-feira o fim do sigilo que pairava sobre as delações.

As investigações estão distribuídas em quatro volumes e 15 apensos. Ao todo, são cinco delatores: Silval Barbosa; a mulher dele, Roseli de Fátima Meira Barbosa; o ex-chefe de gabinete dele, Silvio Cezar Correa Araujo; além dos parentes Rodrigo da Cunha Barbosa e Antonio da Cunha Barbosa.

No acordo firmado com o Ministério Público, o ex-governador concordou em cumprir pena de 20 anos de reclusão, sendo 3 anos e 6 meses em regime domiciliar diferenciado, com uso de tornozeleira; 2 anos e seis meses no regime semiaberto, com tornozeleira e recolhimento em casa das 22h às 6h; e o restante da pena em regime aberto, sem tornozeleira, mas com a obrigação de comparecer todo mês diante de um juiz. Durante o cumprimento de toda a pena, ele ficará impedido de ocupar cargo público. Ele também em pagar uma indenização de mais de R$ 70 milhões.

(foto: STF)


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*