'Déficit assustador' | Fábio Campana

‘Déficit assustador’

O presidente Michel Temer disse na noite de ontem que o déficit público é assustador e que a situação das contas brasileiras não será resolvida num passe de mágica. “Não tínhamos a ilusão de que você resolve os problemas do País num passe de mágica. A previsão que fizemos é que vai levar tempo para zerar o déficit público. Quando falamos em R$ 159 bilhões, estamos fazendo um déficit assustador. Não se resolve de um dia para o outro, vai se resolvendo ao longo do tempo”, completou, ressaltando que a PEC do teto dos gastos é uma das medidas que vai ajudar a resolver o déficit. “Queira Deus que possamos fazê-lo em cinco anos, seis anos, sete anos. Não vamos ter a ilusão de que em pouquíssimo tempo, em dois, três anos vamos resolver esse assunto.”
As informações são do Estadão, com foto de Alan Santos/PR.
Além de citar o teto dos gastos, Temer destacou a reforma trabalhista e a do ensino médio e disse que, com o apoio do Congresso, o governo possui uma “ampla agenda de reformas”. “Não abandonaremos a reforma da Previdência”, afirmou, destacando que o “Congresso está entusiasmado na tarefa de aprovar” a reforma. O presidente citou ainda a reforma tributária e disse que é preciso acabar com ciclo que dificulta e embaraça o sistema tributário.
Temer ressaltou ainda que seu governo conseguiu manter políticas sociais que “estavam ameaçadas pelas ruínas das contas”. Pedindo licença para ser mais informal, o presidente disse que muitas vezes é aconselhado por algumas pessoas a não mexer em assuntos delicados que provocam um “enxame de abelhas”. “E eu digo que temos que fazer, pois queremos ter o reconhecimento de que fizemos as reformas”, afirmou.


3 comentários

  1. Freddy Kruger
    quarta-feira, 23 de agosto de 2017 – 12:53 hs

    O nosso Presidente Temer deveria se concentrar nos grandes gastos públicos que nada trazem de retorno e como ele mesmo disse, “mexer em enxame de abelhas”, tais como o excesso de políticos no Senado, Camaras Federais, Estaduais e Municipais, com seus grandes salários e vultuosos benefícios a apadrinhados, bem como no Judiciário, onde existem super salários travestidos em forma de benefícios extras. Enfim todos gostam de legislar em causa própria, sem se importar com a população que rala para sobreviver. É só fazer as contas e verificar quantos bilhões são jogados fora só aí. Agora ainda querem implantar a verba de 3,6 bilhões para financiamento de campanhas com dinheiro público advindo de impostos. Ainda tem coragem de reduzir o salário mínimo e a aposentadoria dos que menos ganham. Será que é para isto que serve o poder ? Para usufruir de suas benesses, legislar em causa própria, tentar se manter no poder. E os juízes, procuradores, ministros, que pensam que são deuses. Será que ninguém pensa no futuro do País e na população necessitada ? Todos só querem se dar bem…. Afinal, aqui impera a lei de Gerson. Estamos nos aproximando lentamente dos mesmos motivos que levaram a revolução francesa e o povo revoltado voltar a cortar cabeças. Pelo jeito não nos resta outras alternativas…

  2. Jotinha
    quarta-feira, 23 de agosto de 2017 – 19:22 hs

    Tem uma questão séria, principalmente no Brasil, que os eleitos não resolvem os problemas mais sensiveis já pensando nas proximas eleições, ou seja vão empurrando com a barriga, e aí quando a coisa está sem saida e alguem tem de resolver, todo mundo fica maldizendo o cara.

  3. quarta-feira, 23 de agosto de 2017 – 20:17 hs

    É CLARO Q O BURACO É ENORME, VCS SÓ ROUBAM E CONTINUAM ROUBANDO.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*