Decisão sobre denúncia contra Katia Dittrich será anunciada hoje | Fábio Campana

Decisão sobre denúncia contra
Katia Dittrich será anunciada hoje

Acusada de exigir parte dos salarios de seus assessores, a ‘vereadora dos animais’ deve ouvir hoje da Mesa Executiva da Câmara Municipal de Curitiba se a denúncia contra ela será aceita ou não.
Caso a acusação seja classificada como infração ético disciplinar, o processo segue para o Conselho de Ética. Nessas situações, podem ser aplicadas censura pública ou suspensão temporária do mandato. Caso a acusação seja classificada como procedimento incompatível com o decoro parlamentar, a vereadora poderá perder o mandato.
Seis ex-assessores de Kátia apresentaram comprovantes de depósitos bancários e termos de declaração em que afirmam terem sido demitidos depois de se recusarem a entregar parte dos salários para a vereadora.

“Trabalhei normalmente no gabinete da vereadora Katia durante o mês de janeiro, até que ela me falou que assim que eu recebesse meu primeiro pagamento, eu deveria repassar à eles o valor de R$2.000,00, e justificou que seria para cobrir despesas das diversas atividades que pretendiam realizar, e que esta seria uma solicitação que ela estaria fazendo à todos os funcionários do gabinete, com exceção dos dois funcionários que foram nomeados com um CC8, por ser o menor salário (em torno de R$ 2.000,00)”, relata um dos denunciantes, que diz ter sido exonerado no dia seguinte à sua recusa à proposta.

“Em torno de 15 dias antes da citada assumir oficialmente a função de vereadora, ela e seu esposo, Marcos Whiters, estiveram em minha casa, e então para minha surpresa, me disseram que eu teria que contribuir com um valor de R$ 1.500,00 mensais do meu salário, o que seria uma prática que a ser realizada por todos os funcionários que fossem nomeados com o objetivo de manter algumas despesas que ela teria com o trabalho no gabinete”, cita um outro ex-funcionário.


6 comentários

  1. Paulo Tadeu Macedo Neves
    segunda-feira, 21 de agosto de 2017 – 9:57 hs

    Do jeito que está a política no Brasil, só falta a Câmara de Curitiba perdoar essa vereadora.

  2. Ana Gata
    segunda-feira, 21 de agosto de 2017 – 9:58 hs

    FEZ ERRADO e Tem que ser punida para isto acabar na CMC !!

  3. Azedo
    segunda-feira, 21 de agosto de 2017 – 10:11 hs

    Tem que BANIR da CMC antes que “evolua”, se reeleja ou progrida de regime pra Assembleia Legislativa! Mato a gente corta na raiz.

  4. JOHAN
    segunda-feira, 21 de agosto de 2017 – 10:17 hs

    Caro FÁBIO, a sociedade tem o dever de conhecer a quais partidos políticos pertencem esse tipo desqualificado de parlamentar. Afinal qual o partido que ela pertence. Quando citar parlamentares, há necessidade de divulgar a qual agremiação o mesmo pertence, para efetuarmos avaliação dos partidos. Atenciosamente

  5. Estatística
    segunda-feira, 21 de agosto de 2017 – 10:18 hs

    Ela disse que deve sua eleição ao trabalho com mais de 1.200 cachorros e que deve sua eleição a eles.

    E os eleitores que votaram nela???

  6. Veredito
    segunda-feira, 21 de agosto de 2017 – 10:33 hs

    Nossa mãe! Quanto desmando, quanto despreparo para um cargo público. Qual a qualificação desta mulher? Quais as raças dos cães que ele costuma afirmar que é para quem deve satisfação? Esta mulher deve ser condenada com a perda do mandato, mas para a cadeia ela deve ter a companhia do marido que a Justiça deve enquadrar em formação de quadrilha e extorsão, afinal ele foi na casa do funcionário exigir a propina, é safado igual: coisa de família..
    Qual é o partido dela?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*