CPI da Previdência ouve sindicalistas na segunda-feira | Fábio Campana

CPI da Previdência ouve sindicalistas na segunda-feira

A CPI da Previdência promove mais uma audiência pública interativa na segunda-feira, a partir das 15h. Três sindicalistas serão ouvidos pelos senadores e debaterão as especificidades de cada seguimento em relação à reforma da Previdência Social.

Foram convidados para a reunião o diretor-executivo da Associação Nacional dos Aposentados, Deficientes, Idosos, Pensionistas e dos Segurados da Previdência Social (Anadips), Clodoaldo Batista Neri Júnior; e o presidente da Federação Interestadual dos Policiais Civis da Região Centro Oeste e Norte (Feipol), Divinato Ferreira da Consolação.

Também deve participar dos debates Artur Carlos de Morais, representante do Sindicato dos Servidores Integrantes da Carreira de Auditoria de Atividades Externas do DF (Sindafis).

A CPI é presidida pelo senador Paulo Paim (PT-RS) e tem como relator o senador Hélio José (PMDB-DF).

Qualquer cidadão pode interagir com os participantes da audiência pública formulando críticas, perguntas e sugestões por meio do portal do programa e-Cidadania ou pela central de teleatendimento Alô Senado (0800 61 22 11).


2 comentários

  1. CAÇADOR DE VERMES PETISTAS
    sexta-feira, 4 de agosto de 2017 – 12:57 hs

    Consultar esses Sindicalistas pelegos pra que???

    Antes de uma reforma na Previdência, deveríamos começar um programa de moralização política no Brasil com uma redução geral de todos os impostos e dos Sindicatos que não servem pra nada a não ser servir ao PT e ao MST. O roubo na Previdência não é nada comparada a dos parasitas que controlam o aparelho estatal e não têm quaisquer limites. Dinheiro na mão do governo é vendaval, eis o motivo da quebradeira toda do Estado somada aos 13 anos de roubalheira de desgoverno Petista. Se houver uma redução da receita pública haverá, também, redução da margem de corrupção. Ao contrário do que possa parecer, os serviços não piorarão. Até pela singela razão de que pior do que isso que está aí não é possível ficar.

    A redução tributária deveria compreender todos os tipos de impostos, de contribuições, de taxas, de emolumentos ou que nome fantasia tenha. O caso do imposto sindical é paradigmático. A pelegada vive nababescamente com o recolhimento compulsório de um dia de nossos salários: uma babilônia de dinheiro. O peleguismo patronal também não deve ser esquecido. Aliás, vale relembrar que o ponto de convergência do finado José Alencar com Lula da Silva era a prática, comum aos dois, de saquear receita dos sindicatos.

    Voltemos aos pelegos trabalhistas. Suas atividades partidárias são financiadas com a grana dos sindicatos. Dinheiro público, portanto. É ali que eles aprendem a furtar, onde desenvolvem a tecnologia que, posteriormente, vão aplicar nos governos que conquistam. Não por acaso, o governo Lula vetou a obrigatoriedade de prestação de contas dessa gente, bem como a fiscalização dos gastos por parte dos tribunais de contas. É situação única na institucionalidade brasileira. Milhões e milhões entregues aos pelegos que, no entanto, estão dispensados de mostrar onde os aplicaram.

    Nem precisa dizer que tais fundos servirão para sustentar as eleições de parlamentares, prefeitos, governadores e presidentes da república. Claro, igualmente não é preciso demonstrar que o PT e o PCdoB são os maiores profissionais neste saqueio. A gang da Força Sindical opera de maneira mais próxima da pirataria que do corso, típico da quadrilha da CUT. Pegue a relação dos corruptos mais notórios; se não todos, a maioria, vieram eles do movimento sindical. O professor Delúbio simboliza os demais. O costume está tão entranhado neles que acham normal, absolutamente inquestionável, que possam fazer o que fazem.
    O PT nesses 13 anos de desmando e roubalheiras arrebentou o estado e agora querem que o cidadão que trabalha arduamente pague mais uma vez a conta. Consultar esses vagabundos pra que então senhores se o resultado final já sabemos.

    Bando de vagabundos, a serviço do Ditador Lula da Silva e os quadrilheiros do MST.

    Pro inferno, paciência tem limites.

  2. Cara pálida
    sexta-feira, 4 de agosto de 2017 – 13:00 hs

    O mais urgente saneamento da previdência é um teto geral para pagamento de aposentadorias e pensões (sem esquecer os ects) !! Essa é uma das formas certeiras de atingir o recrudescimento das desigualdades sociais, amargas no Brasil !!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*