Comportamento de Meirelles incomoda a Temer | Fábio Campana

Comportamento de Meirelles incomoda a Temer

Radar On-Line, VEJA

Michel Temer não gostou nada de ver na imprensa reportagens que botavam na conta do Palácio do Planalto e do Congresso o desejo pelo aumento da meta fiscal para 170 milhões de reais, enquanto tratavam Henrique Meirelles como o defensor de uma revisão mais tímida.

Na avaliação do presidente, o ministro da Fazenda armou uma estratégia de Comunicação para sair do episódio como o integrante do governo que lutou contra uma medida econômica irresponsável.

Não só isso, para Temer, Meirelles está tentando empurrar para o colo do presidente o ônus da alteração da meta. Trata-se de mais um capítulo em que o dono do caixa desagradou ao chefe.


2 comentários

  1. HORA DA VERDADE
    terça-feira, 15 de agosto de 2017 – 19:37 hs

    TE0RI OU TEORIA DA DELAÇÃO

    Uma questão que ainda não foi devidamente esclarecida é porque a JBS, que tem interesses e negócios em múltiplos ramos como madeira, celulose, tecidos, calçados e alimentos e pecuária, foi procurar o Temer para focar e gravar assunto diretamente relacionado com a PETROBRAS?
    Explico, o Janot e a PF, exigiram a cabeça do Temer para dar isenção aos bandidos da JBS.
    Ora, basta assistir a gravação que o Batista induz e tira do Temer apenas um nome de “alguém” para que eles procurassem como intermediário junto ao governo para seu pleito na questão da compra do gás da Petrobras lá da Bolívia.
    O indicado foi o Rocha Loures (como poderia ser o Padilha, o Jucá ou outro qualquer) e a partir daí foram pra cima do Rodriguinho, como fariam com qualquer outro que fosse o indicado.
    Fizeram a inacreditável proposta de R$20.000.000.00, com quinhentos mil por semana.
    Tudo armado para “morderem a isca” pois que a estória da mochila com os quinhentos mil foi meticulosamente planejada para ser gravada e filmada como a encenação espalhafatosa do noticiário sensacionalista do “escândalo nacional”.
    Dito isto basta lembrar que um procurador integrante da PGR, afastou-se e foi assessorar a JBS no planejamento, elaboração e execução da delação, tudo isso após a morte trágica do Teori Zavaschi que era o Ministro Relator da corrupção na Petrobras.
    Foi notável o empenho da JBS em fazer o Fachin virar Ministro do Supremo e disso tem provas aos montes (usar o Jato da JBS para seu périplo pelos Tribunais, ser escoltado pelo Diretor, delator da JBS aos gabinetes dos Senadores cabulando voto).
    Feito Ministro na vaga aberta pelo Relator da Petrobras, sem sorteio como deveria ser pelo Regimento do STF, Fachin “aceitou” suceder a relatoria, que todos os outros não queriam.
    Lhe caiu nas mãos a delação monumentosa da JBS e sem pestanejar Fachin homologa a ISENÇÃO PENAL DOS BANDIDOS BATISTA.
    Tudo seria perfeitamente aceitável se, sempre tem um “se”, membro do escritório do Fachin não fosse filho de antigo funcionário da JBS,( http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,barroso-condena-filha-e-genro-de-fachin-por-litigancia-de-ma-fe,70001705386) através do qual formou-se um estreito relacionamento que vem explicar como tudo aconteceu de forma tão rápida e inusitada, na república em que o CRIME COMPENSA.

  2. TO DE OLHO
    quarta-feira, 16 de agosto de 2017 – 0:36 hs

    É COINCIDÊNCIA.===TODO GOVERNO QUE ASSUME APÓS UMA GESTÃO ANTAGÔNICA, SEMPRE RECEBE UM ADMINISTRAÇÃO CHEIA DE DÉFICITS NAS CONTAS PÚBLICAS.
    ==SERÁ UMA ESTRATÉGIA PARA SE TORNAREM OS “SALVADORES DA PÁTRIA”???????

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*