Bolsonaro é 'líder do ódio' | Fábio Campana

Bolsonaro é ‘líder do ódio’

Da Folha de São Paulo:

A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) disse hoje que o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) tem sido um “líder do ódio”. Ela prestou depoimento na ação penal em que Bolsonaro é réu e que tramita no STF.
Ele responde pelo crime de incitação ao estupro. Em 2014, Bolsonaro disse a Maria do Rosário que não a estupraria porque “ela não merece”, ao rebater um discurso feito por ela no plenário da Câmara. Na ocasião, a petista defendeu a Comissão da Verdade e as investigações dos crimes da ditadura militar.
“Fique aí, Maria do Rosário. Há poucos dias [na verdade a discussão ocorreu há alguns anos] você me chamou de estuprador no Salão Verde e eu falei que eu não estuprava você porque você não merece. Fique aqui para ouvir”, afirmou o deputado. Depois, ele reafirmou as ofensas em entrevista.
O depoimento da deputada durou cerca de uma hora. Na saída, Maria do Rosário disse esperar que o Supremo faça justiça. Segundo ela as declarações de Bolsonaro geram onda de ódio que atinge não apenas mulheres, “mas também gays, lésbicas, negros, indígenas”. “No Brasil a cada 11 minutos uma mulher é estuprada. Tratar o estupro como algo banal em que o homem decide se a mulher merece ou não, é realmente condenar a vítima”, afirmou a deputada. “Ele tem sido um líder do ódio”, completou.

Bolsonaro foi acusado de incitação ao crime de estupro e, em junho de 2016, virou réu no STF. O tribunal ainda acolheu uma queixa-crime contra o congressista por injúria.

Fora do STF, em uma ação cível, Bolsonaro foi condenado em primeira instância a indenizar Maria do Rosário em R$ 10 mil em 2015.

Ele recorreu e perdeu. O TJ-DF (Tribunal de Justiça do Distrito Federal) determinou que ele publicasse uma retratação em jornal de grande circulação, na sua página oficial no Facebook, no Youtube e em seu blog, devendo permanecer disponível por, no mínimo, um mês.

Bolsonaro recorreu ao STJ e também perdeu.


3 comentários

  1. Observador Atento
    quarta-feira, 23 de agosto de 2017 – 19:24 hs

    O ministro, em vez de estar visitando suas bases eleitorais, deveria estar visitando hospitais, UPAs e Postos de Saude para constatar, in loco, a situação lamentável e deprimente em que se encontra a saúde no Brasil. Caro ministro, esqueça a política e cuide da saude .

  2. quarta-feira, 23 de agosto de 2017 – 19:42 hs

    Nada disto,a passificacao de um povo. Deve ser atravez da educacao,mas na atual situação em que nos encontramos,povo desarmado e ladroes armados,foi política do PT. Nao podemos acabar com a violência Do segundo pais do mundo,atraz somente da Venezuela, em violência ,com beijinhos e abraços mas acabar com isso. Certo o Bolsonaro,Parabens.

  3. Cristo
    quinta-feira, 24 de agosto de 2017 – 9:14 hs

    A acusação é de ter dito que ela (dep. Maria) “não merecia ser estuprada”… Claro que não ! Nenhuma pessoa merece.Então não proferiu nenhuma inverdade, ou agressão.
    Também é acusado de dizer que ela (dep.Maria) “é feia”…. Mas a beleza ou nesse caso, a feiúra, está nos olhos de quem vê. A dep. Maria é sim feia, aliás muito feia… Novamente onde está a inverdade? O verdadeiro crime comete a dep. Maria em acobertar bandidos pela condição de menoridade… atos talvez justificados pela condição familiar da dep. Maria.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*