Administrador faz acordo de delação e cita propina para Gleisi e Bernardo | Fábio Campana

Administrador faz acordo de delação e cita propina para Gleisi e Bernardo

O administrador Marcelo Maran, investigado na Operação Custo Brasil por suspeita de participar de um esquema de desvio de dinheiro em contratos de empréstimos consignados no âmbito do Ministério do Planejamento, assinou acordo de delação premiada com a força-tarefa da Procuradoria-Geral da República, em Brasília. As informações são de Walter Salles na Folha de S. Paulo.

A Custo Brasil é um desdobramento da Operação Lava Jato. O acordo firmado com o Ministério Público Federal aguarda a homologação do ministro José Antonio Dias Toffoli, relator da operação no STF (Supremo Tribunal Federal).

Maran era o encarregado da contabilidade do escritório de advocacia de Guilherme Gonçalves, apontado como o responsável por repasses ilegais destinados a campanhas e despesas pessoais da senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidente do PT, e Paulo Bernardo, ex-ministro do Planejamento, seu marido.

A Folha de S. Paulo apurou que Maran descreveu aos procuradores o que seria o caminho da propina para a senadora e o ex-ministro.

Desde abril ele trabalha junto com os procuradores decifrando o conteúdo de planilhas, documentos e manuscritos apreendidos no escritório de Gonçalves. Maran apontou quais notas fiscais arquivadas haviam sido forjadas para
justificar despesas das campanhas de Gleisi e Paulo Bernardo. Também indicou o destino de dinheiro vivo que teria sido sacado na boca do caixa.

Segundo uma pessoa envolvida com o acordo, os depoimentos do delator, gravados em vídeo, corroboram as acusações feitas pela Procuradoria contra os petistas.

Além do dinheiro que teria sido desviado dos contratos de crédito consignado, o delator também falou sobre corrupção envolvendo empresas de transporte público do Paraná.

A Folha de S. Paulo apurou que na delação de Maran são citados outros agentes públicos e políticos que também teriam utilizado o escritório de Gonçalves para repasse de dinheiro ilegal e não haviam aparecido na investigação da Custo Brasil por não terem relação com contratos de crédito consignado.

PRISÃO
Marcelo Maran foi preso em 15 de agosto de 2016, acusado de coagir testemunhas. Saiu da cadeia em dezembro, graças a decisão da 11ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que lhe concedeu um habeas corpus. Ele é acusado de participar do esquema de desvios em empréstimos consignados no âmbito do Ministério do Planejamento.

A Custo Brasil começou no Paraná sob a orientação do juiz federal Sergio Moro. Em 2015, o STF decidiu que só ficariam na Justiça paranaense casos referentes a desvios na Petrobras e enviou a investigação de desvios em contratos de crédito consignado para a Justiça de São Paulo.

OUTRO LADO
O advogado de Gleisi Hoffmann, Rodrigo Mudrovitsch, disse que “não vai comentar vazamento de possível acordo de delação que sequer foi homologado” e que sua cliente nunca manteve contato com Marcelo Maran. Veronica Sterman, advogada de Paulo Bernardo, disse que seu cliente nega as acusações e aguarda que a Justiça resolva seu caso baseada nas provas concretas.

A advogada de Guilherme Gonçalves, Regina Ferreira de Souza, disse que não teve acesso ao conteúdo dos documentos da suposta delação premiada. A defesa de Marcelo Maran não quis se manifestar.


5 comentários

  1. AMO
    quinta-feira, 24 de agosto de 2017 – 9:03 hs

    Será como está o clima dentro do lar desse casal, como vivem os filhos, sabendo que os pais podem serem presos a qualquer momento, sem contar a afirmação do CHAMBINHO, que fim triste o dessa dupla.

  2. CAÇADOR DE VERMES PETISTAS
    quinta-feira, 24 de agosto de 2017 – 11:06 hs

    CADEIA.

    Somente teremos um Brasil melhor quando estes ladrões do dinheiro público forem pra detrás das grades. Ninguém esta acima da Lei.

  3. Ricardo
    quinta-feira, 24 de agosto de 2017 – 12:04 hs

    CASAL VERGONHA DO PARANÁ – a barbie (amante) e o cornélios (ladrão dos aposentados que tem empréstimos consignados) ambos DE NOVO indicados em fraudes!!!! NOTÍCIA NOVA MAIS VELHA QUE EXISTE!!!!!!!!!!!!!

    CADEIA DO CASAL – U R G Ê N T E ! ! ! ! ! ! ! !

  4. dercio
    quinta-feira, 24 de agosto de 2017 – 16:37 hs

    Curioso a atenção que o colunista tem com a Gleise e parece que fica só nisso, Hoje por exemplo foi amplamente divulgado que o delator da operação pecúlios na prefeitura de Foz do Iguaçu, denuncio que Ratinho Junior teria recebido R$ 400 mil em uma licitação dirigida par aquisição de câmaras de segurança. Mas parece o FCampana só tem olhos para o PT.

  5. SOLANGE LOPÉS
    quinta-feira, 24 de agosto de 2017 – 18:19 hs

    Esse tal de Dercio, deveria ser Delcio, é mais um que mandou tatuar a bunda.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*