A frota de ônibus de Curitiba | Fábio Campana

A frota de ônibus de Curitiba

Rafael Greca, em campanha no ano passado: “O serviço tem que ser bom, o ônibus tem que ser novo, tem que ser limpo, tem que ser trocado a cada dez anos. O biarticulado não pode pegar fogo e ficar ameaçando não subir a ladeira do Parolin na Brigadeiro Franco. O ônibus não pode incendiar, como já incendiou. Eu mesmo vi incêndio, um na Erasto Gaertner, outro na Monteiro Tourinho”.

Banda B hoje: “Um biarticulado da linha Santa Cândida/Capão Raso teve parte do motor incendiado na noite desta segunda-feira. O coletivo estava na Avenida República Argentina, no bairro Novo Mundo, em Curitiba, quando precisou parar emergencialmente e acionar os extintores. Motorista e cobrador da estação-tubo conseguiram conter as chamas, que atingiram a parte do motor, ao lado da roda dianteira. Passageiros desceram rapidamente e houve tumulto”.

Prefeitura hoje: “A Urbs inspecionou o veículo e constatou um pequeno vazamento de combustível que caiu na turbina do motor. O motorista agiu corretamente e conteve imediatamente o principio de incêndio. O veículo foi recolhido de circulação”.


3 comentários

  1. eleitor desmemoriado
    terça-feira, 15 de agosto de 2017 – 18:42 hs

    Adoro gente como o Greca, ela nunca tem culpa de nada, não sabe de quem é a culpa e se contenta em dar satisfação como , se isto resolvesse tudo.

  2. Juca
    terça-feira, 15 de agosto de 2017 – 18:58 hs

    Está por fora o distinto, pois na Brigadeiro Franco não circulam biarticulados!

  3. Regis
    terça-feira, 15 de agosto de 2017 – 23:11 hs

    Transporte público lixo. Cidade modelo só na propaganda enganosa. Só se for modelo de atraso. Põe na conta de um ex-prefeito famoso, amigão dos donos de empresas de ônibus, que não fez metrô quando podia e agora é esse trânsito caótico e caríssimo. Grande urbanista.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*