40 anos depois, Aldo Rebelo deixa o PCdoB | Fábio Campana

40 anos depois, Aldo Rebelo deixa o PCdoB

O ex-ministro e ex-presidente da Câmara, Aldo Rebelo, encerrou uma convivência de 40 anos com o PCdoB e deixou o partido. A informação, da revista Veja, foi confirmada pela presidente nacional do partido, Luciana Santos, nesta quarta-feira. “Entretanto, dada a convergência de opiniões políticas e os fortes laços que continuam ligando Aldo ao nosso partido, manteremos o diálogo em torno das grandes questões nacionais”, disse a dirigente.

Ex-militante da Ação Popular, Aldo entrou para o PCdoB em 1977, ainda na clandestinidade, presidiu a União Nacional dos Estudantes (UNE), de 1980 a 1981, e fez uma extensa carreira tanto no Legislativo quanto no Executivo. Como deputado, foi eleito para seis mandatos – de 1991 a 2014 – e chegou a ser presidente da Câmara no período entre 2005 e 2007.

Nos governos petistas, foi ministro das Relações Institucionais (2004 a 2005), com Luiz Inácio Lula da Silva, e do Esporte (2011 a 2015) – quando participou da organização da Copa do Mundo -, Ciência, Tecnologia e Inovação (2015) e Defesa (2015 a 2016), com Dilma Rousseff.

(Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)


Um comentário

  1. Do Interior...
    quinta-feira, 17 de agosto de 2017 – 15:25 hs

    Veja que desde 1980 esse pessoal está entranhado nas universidades, fazendo adeptos do marxismo.

    Estão anos luz na frente dos trabalhadores que só trabalham enquanto eles fazem propaganda enganosa.

    Por isso o povo de bem e que paga impostos tem que se levantar e ir contra essa cultura retrógrada, fascista, falsa, populista e atrasada que só leva países e populações à pobreza e miséria.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*