Uruguai começa a vender maconha de uso recreativo em farmácias | Fábio Campana

Uruguai começa a vender maconha
de uso recreativo em farmácias

O Uruguai começou hoje a vender maconha para uso recreativo nas farmácias como resultado de uma lei de 2013. A iniciativa inédita no mundo faz do país o primeiro a aplicar um controle estatal sobre a produção, a compra e a venda da substância.
As informações são da Agência EFE.
A venda começou em 16 farmácias de 11 dos 19 departamentos do país, que tem menos de 3,5 milhões de habitantes e mais de mil farmácias em todo o território.
As 4.959 pessoas registradas como consumidoras vão poder comprar o produto em vasilhas de 5 gramas por 187 pesos uruguaios (cerca de R$ 20).
Cada pessoa poderá comprar no máximo 10 gramas por semana e até 40 gramas por mês. No momento da compra, os consumidores não precisam revelar nenhum tipo de dado pessoal, já que terão acesso à erva por um sistema que reconhece sua impressão digital.
Serão distribuídas duas variedades de maconha, que foram denominadas Alfa I e Beta I, ambas com média de 2% de tetrahidrocanabinol (THC), o componente psicoativo da planta.

A venda da maconha em farmácias completa as três etapas previstas na Lei de Regulamentação da Maconha, aprovada em 2013, durante o governo do então presidente José Mujica (2010-2015), para o acesso ao uso recreativo da droga, e que também estabeleceu as regras para cultivo doméstico e os clubes cannábicos, habilitados desde 2014.


7 comentários

  1. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 13:21 hs

    Pensemos de forma lógica.
    É uma ótima medida.
    Já estou até vendo. Vai ter gente vindo aqui dizendo que haverá uma epidemia de maconha. Não vai.
    Nem todo mundo vai fumar, só por ser ‘liberada’. Tem gente que tem propensão a usar drogas e gente que não tem.
    Falo isso antes que venham os defensores dos ‘bons costumes’ vociferar aqui contra a medida.
    Para estes, eu falo: o tráfico existe justamente pela proibição. Por ser proibido, gera margens de lucro altíssimas. Nenhum traficante vende drogas por causa dos ‘belos olhos’ dos usuários. Ele vende drogas por querer GRANA, MUITA GRANA de forma fácil e indolor. (Parece muito com alguns políticos e empresários neste quesito – mas isto é outro assunto).
    Além do mais, esta droga causa muito menos dano que outras duas que são legais: álcool e tabaco.
    E que os defensores da moral e dos bons costumes não venham dizer que isto vai aumentar a violência causada pelos maconheiros ‘doidões’.
    Não vai não. Quem comete violência por estar doidão não é usuário de maconha. Geralmente é dependente de opioides, calmantes (parece paradoxal,mas não é – certos calmantes viciam de forma tão grande quanto outras drogas, como heroína) ou excitantes como anfetaminas ou derivados de benzoilmetilecgonina (vulgarmente conhecida como cocaína).
    Claro que não advogo a simples e pura liberação de tudo… Precisa de campanha de conscientização, e tratamento. E tentar descobrir o porquê das pessoas usarem as drogas. Isto não acontece em um vácuo social,sem causa.
    E já respondendo aos que vão falar que é ‘porta de entrada’ para outras drogas mais pesadas, digo de antemão: o álcool e o tabaco também são.
    Vamos começar a usar a cabeça, em vez da emoção causada por falta de conhecimento e pregações estúpidas por parte de religiosos, defensores dos ‘bons costumes’ (seja lá o que isso for),e outros.
    Consigo até imaginar falando contra as drogas, dizendo que elas devem ser proibidas. Claro que eles vão falar isto. A proibição ajuda-os!
    Pronto. Agora podem xingar-me e indignar-se comigo.
    E antes que venham falar que sou um maconheiro, um cara doidão, digo que sim, eu uso drogas, mas não estas proibidas. Eu uso café e tabaco. Tabaco e café são drogas. Faço muito uso do segundo. E o primeiro estou tentando largar pela enésima vez.
    Obrigado.

  2. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 13:27 hs

    Onde escrevi:
    ‘Consigo até imaginar falando’
    Leia-se:
    ‘Consigo até imaginar traficantes falando ‘

  3. juarez
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 16:09 hs

    O povo precisa de educação, escola e orientação. Essa conversa de que “precisa de campanha de conscientização e tratamento” contra as drogas, é pura balela. Ademais, ” tentar descobrir o porquê das pessoas usarem as drogas”, é outra tolice Pois, quem faz uso contínuo ou eventual de drogas, o faz porque simplesmente quer fazer. Seja tabaco, álcool, cannabis, anfetaminas, alucinógenos, etc., a razão ou desculpa, será sempre a de que quer “desopilar, relaxar, acalmar, viajar, escapar, fugir, descontrair, desanuviar, espairecer, distrair, sair do comum, etc,

  4. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 16:18 hs

    Ah, é, Juarez? Posso perguntar em que você baseia o que falou?

  5. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 16:34 hs

    Juarez, uma busca no Google por apenas um aspecto do assunto.
    Apenas um.
    https://www.google.com.br/search?q=prone+addition+personality&ie=utf-8&oe=utf-8&client=firefox-b-ab&gws_rd=cr&ei=jrFvWdXMFYHAwASKioKIAw#q=prone+addiction+personality

  6. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 16:35 hs

    Só para te poupar do trabalho, Juarez:
    Risk Factors

    Family history. Just like cancer, diabetes and heart disease, researchers say there is a genetic component to addiction and so some people are born with predisposing genes. While genetic make-up does not guarantee a person will become an addict, those with a family history of addiction and drug/alcohol abuse are more susceptible and find it much harder to quit drugs if they ever start using.

    Environment. Home and community contribute to addiction. Living with addicted or abusive parents encourages addiction as does living in a community where drugs and alcohol are commonly abused. Addiction, like obesity, is contagious.

    Age. People who first use alcohol and drugs when they are teens (or children) are more likely to become addicted than those who begin in adulthood. Because their brains are still developing, teens are more susceptible to the effects of alcohol and other drugs — the conditions are ripe for addiction.

    Psychology. People who are anxious or depressed are more vulnerable to addiction than others. People with ADHD, impulse control problems, and anger management issues are also more likely to become addicts. Personality traits, such as perfectionism and low self-esteem, also contribute to addiction.

    Drug of Choice. Heroin, cocaine, and methamphetamine are simply more addictive than other drugs and users of these substances are more likely to become addicted.

  7. CAÇADOR DE VERMES PETISTAS
    quinta-feira, 20 de julho de 2017 – 8:21 hs

    Daniel Fernandes

    Ótimos comentários.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*