Sentença destrambelhada de Moro dá escolha entre o desastre e o desastre | Fábio Campana

Sentença destrambelhada de Moro
dá escolha entre
o desastre e o desastre

Por Reinaldo Azevedo:

Lembram-se daquela caricatura grotesca de jornalismo que tinha como mantra “Lula vai ser preso amanhã”? Pois é… Você está preparado, leitor, para o juiz Sergio Moro ser o caminho mais curto entre o presidiário que não houve e o Presidente da República a haver? Se acontecer, terão concorrido para tanto a incompetência do Ministério Público, a tacanhice missionária de seus próceres e um certo sentido de autossuficiência divina do juiz.

Pior: em breve, o Tribunal Regional Federal da Quarta Região se verá na posição do Asno de Buridan, de que já falei aqui, entre a água e a alfafa. Se bebe, morre de fome; se come, de sede. Explico. Aos três desembargadores, caberá uma decisão insólita. Ou confirmam a condenação do petista e, assim, coonestam uma decisão que o próprio Moro diz não estar de acordo com a denúncia, ou o absolvem, embora tudo indique que o tal tríplex seja um subproduto mixo do desassombro com que o lulopetismo misturou o público e o privado.

Relembro a questão para quem não está ligando o paradoxo à coisa. Moro aceitou, em setembro do ano passado, a denúncia contra Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá. Segundo o Ministério Público, o imóvel era pagamento de propina decorrente de três contratos que consórcios integrados pela OAS mantinham com a Petrobras. Assim, restaria aos procuradores a tarefa de apresentar as provas de que eram os tais contratos a origem daquele bem.

A condenação veio. Mas as coisas se complicaram. Se o MPF não apresentou as provas de que o imóvel pertence a Lula, e não as apresentou!, tampouco conseguiu evidenciar a relação entre aquelas obras em particular e o dito-cujo. Nota à margem: na esmagadora maioria das acusações de corrupção passiva feitas pelo sr. Rodrigo Janot, não aparece a contrapartida oferecida pelo político; o caixa dois vira sinônimo de propina, o que é cantilena para excitar a indignação de incautos. Volto a Lula.

O juiz deixou de lado a denúncia que ele próprio aceitara e condenou o petista pelo conjunto da obra. Levou em conta, por exemplo, o depoimento de Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, segundo quem havia uma “conta corrente” da propina, da qual se deduziu o valor do tríplex. Alguma evidência de que tal coisa tenha existido? Além da delação, nada!

Mais: o juiz aceitou como prova de culpa o fato de Lula ter sido o responsável pela nomeação dos diretores mafiosos que tomaram conta da Petrobras. Fato. Ocorre que, se aí houve dolo, isso é matéria de outro processo: a questão está sendo apurada no inquérito-mãe, que corre no STF. Moro, em suma, criou a versão dissertativa do PowerPoint de Deltan Dallagnol e sequestrou uma decisão que cabe ao Supremo.

Indagado, nos embargos de declaração, a respeito da ausência de nexo, na sentença, entre o apartamento e os contratos, o juiz respondeu de forma surpreendente e insólita: “Este juízo jamais afirmou, na sentença ou em lugar algum, que os valores obtidos pela Construtora OAS nos contratos com a Petrobras foram usados para pagamento da vantagem indevida para o ex-presidente”. E a acusação feita pelo MPF? Se um juiz acha que um réu deve ser condenado por algo distinto do que está na denúncia que ele próprio aceitou, é forçoso que isso seja feito em outro processo.

Sei que o que vou escrever a seguir não é de fácil compreensão, mas eu sempre aposto alto no leitor. Para a, vou chamar assim, “civilização brasileira”, é irrelevante saber se Lula vai ou não ser punido. O que constrói um país, para o bem ou para o mal, são os métodos, os meios, com que se vai fazer uma coisa ou outra.

A volta do petista ao poder seria um desastre para o país. Hoje, um de seus cabos eleitorais involuntários, dadas a sentença e a resposta aos embargos de declaração, é Moro. Ele empurrou para o TRF-4 uma escolha sem saída virtuosa: ou confirma uma condenação sem provas e alheia à denúncia, o que seria um desastre, ou absolve o chefão petista, outro desastre.

A Justiça não é um território a ser disputado entre santos e demônios. Escolham o humano e suas precariedades, meus caros, e vocês encontrarão tudo, até o divino, como escreveu o imperador Adriano —ao menos aquele recriado por Marguerite Yourcenar.


16 comentários

  1. sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 11:36 hs

    A coisa está melhorando!!! Agora temos como “maior jurista vivo” o jornalista Reinaldo Cheio de Si Azevedo!! Estamos bien!!!!

  2. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 11:37 hs

    Está coberto de razão. O Brasil de hoje reduziu-se a uma arena de uma suposta luta entre o bem e o mal, os crentes e os infiéis, os anjos e os demônios, os iluminados e os amaldiçoados. Está em curso uma cruzada na qual, ou se aceitam integralmente os dogmas da fé, jurando fidelidade aos seus símbolos sagrados, ou não haverá mercê: as cabeças dos infiéis serão cortadas. O fanatismo tomou conta das discussões: ou se é contra ou a favor, não existe meio termo. Há Jeremias pregando a conversão ou a danação eterna. É o caminho do passo de ganso, do bater de calcanhares e dos braços estendidos em saudação ao líder: sieg heil!

  3. sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 11:54 hs

    O Crime de lavagem de dinheiro, para ser caracterizado, não precisa e nem espera título de propriedade em nome do criminoso! Só um IDIOTA esperaria isso do tipo penal! Esse jornalista nunca ouviu falar de “laranja”?

  4. BETO
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 12:02 hs

    Se este notório ladrão não for preso, podemos ir embora do Brasil pois ai sim restará confirmado que o crime compensa.

  5. Anônimo
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 12:04 hs

    Xiiii esse Reinaldo Azevedo já não é o mesmo.

    O que teria aconte$$ido

  6. Rossby
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 12:31 hs

    Lembrem-se de Vacari Neto… Não acredito que alguém acredite que ele um santo e minha convicção é que ele é cuplado, mas foi condenado em primeira instância sem que o Ministério Público provasse os crimes apontados e foi absolvido na segunda instância… Lógico que as partes vão recorrer, mas isso mostra que se fizer serviço porco na primeira instância, os desembargadores não vão necessariamente assumir o ônus de seguir o juiz de primeira instância só porque ele é Sergio Moro. Ele é tão humano como qualquer um de nós e comete erros… Com Lula não vai poder errar…

  7. Jotinha
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 12:45 hs

    Pirado tá correto, mas o que o Reinaldo coloca é quanto as provas, deveria ficar claro, tem de haver provas dos fatos, eu também acho que ele é culpado, mas a justiça não trabalha com achismo, tem de provar, o lhame é indispensável; eu acho que o primeito tribunal irá confirmar a condenação, inslusive pode aumentar, veja bem, PODE, não é uma afirmação, porque? porque o primriro tribunal (TRF4) ainda tem a jurisdição de construir, digamos assim modificar o processo, ajeitar o processo, até por isso que é uma fase demorada, irão fazer uma devassa na montagem do processo do juiz aquo; Depois que for para as demais instâncias, STJ e STF por exemplo, aí não se modifica mais, não se incluirão fatos novos por exemplo.

  8. QUESTIONADOR
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 13:37 hs

    -Senhores leitores deste blog e caro jornalista Fábio Campana: não há como respaldar as opiniões deste jornalista-tucano Ruinaldo Azevedo!!!
    -A melhor audiência para este senhor é não ler seus artigos, pois suas opiniões e condutas dentro do jornalismo brasileiro, são, no mínimo, questionáveis!!!!

  9. Sergio Silvestre
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 13:52 hs

    Pois é ,sempre disse aqui que esse juiz é um idiota,está levando sua vingança brincando de justiça,é um sujeito perigoso precisando de internamento urgente,.

  10. sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 14:38 hs

    O outrora ídolo dos moralistas sem moral agora esta levando na cabeça da própria matilha raivosa que ele alimentou com ódio, antes a sua opinião era absoluta e inquestionável por que o golpista escrevia o que os induzidos e doutrinados gostavam de ler mas quando finalmente o cara escreve algo que é correto ou seja que o Moro sem OAB se perdeu na sentença e se contradiz no que relatou no processo todo mundo entra em pânico por que finalmente a verdade parece esta voltando a prevalecer.

  11. sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 15:17 hs

    Essa neo democracia brasileira permite que pessoas comuns e insignificantes, bem como pessoas eleitas pelo voto popular, e hoje no desgaste, venham usar de mídias de toda maneira para fazer desacato a autoridade,principalmente a mais ilustre cidadão e autoridade brasileira, reconhecida mundialmente sem ser punido,NAO ENTENDO ISSO,

  12. Rogerio
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 15:41 hs

    Por isso ue este país está uma bost…… Em outros países da America do Sul, já tem ex-presidentes presos por corrupção, aqui fica essa lenga lenga pra botar na cadeia esses corruptos malditos. Pessoas morrendo em porta de hospitais porque não tem dinheiro para a saúde, enquanto esses vermes ( Cabral) do Rio de Janeiro conta que só pegou sobra de campanha.

  13. sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 15:48 hs

    Quando Fernando Bittar ENCOMENDOU A COZINHA DO TRIPLEX, ELE CONDENOU LULA!!!

    A não ser que apareça algum IDIOTA aqui dizendo que o Bittar deu um presente para o Léo Pinheiro da OAS!!

  14. Sergio Silvestre
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 16:08 hs

    Olivio Palito,me esplique o que é pessoa comum,pessoas insignificante,são lambe botas como voce e outros puxas que acha que se um imbecil recebe um diploma e passa num concurso de juiz é Deus,comigo não violão,entendo que o Moro ganha o que pagamos de im´postos,por isso sou seu patrão e nenhum imbecil desse vai me fazer calar até provar que não são corruptos tambem,sujeito que abraça o Aécio pra mim é alguém sem confiança para ser Juiz.

  15. Pirado
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 17:02 hs

    Quando Fernando Bittar ENCOMENDOU A COZINHA DO TRIPLEX, ELE CONDENOU LULA!!!

    A não ser que apareça algum IDIOTA aqui dizendo que o Bittar deu um presente para o Léo Pinheiro da OAS!!!

  16. eleitor desmemoriado
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 19:42 hs

    Este cara é maluco ou é louco, no penúltimo parágrafo ele deixa isto bem claro. Diz o cara: a volta do 51 ao poder seria um desastre para o país. E conclui, depois de explicar a Escolha de Sofia feita pelos três juízes condenando o 51, como sendo um desastre, Aí arremata com a absolvição do 51, outro desastre. Mas o cara não diz como se sai deste impasse. O que caberia então ao juiz Sérgio Moro fazer? Deixar estar como está para ver como é que fica?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*