'Rouba, mas faz' – faz o quê? | Fábio Campana

‘Rouba, mas faz’ – faz o quê?

Veja como funciona o nosso Brasil-brasileiro.
Paulo Maluf, condenado aqui e ali, no Brasil e fora, sem inspirar confiança no mais ingênuo dos cidadãos, em junho teve verba de R$ 3,4 milhões liberada pelo governo. E, quanta coincidência!, isso aconteceu justamente na hora em que o voto de Maluf foi a favor de Michel Temer na CCJ.
Desde o começo do ano, o deputado embolsou quase R$ 10 milhões em emendas, bem mais que outros amigos do governo.


7 comentários

  1. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 11:18 hs

    Ora, nem fico surpreso.
    Aqui é o país das coincidências.
    Aqui é o país onde não funcionam as leis da estatística.
    Só aqui, eventos que ficam em uma das extremidade mais extremas das ‘caudas’ das leis de distribuição de eventos, acontecem rotineiramente e todo mundo acha que é normal…

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Desvio_padr%C3%A3o

  2. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 11:25 hs

    Ora, ora, faz o que. Pergunta idiota. Faz fortuna.

  3. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 11:36 hs

    Boa, Doutor Prolegômeno.

  4. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 11:54 hs

    Vou escrever um tratado de estatística. Nele, vou propor uma nova lei de distribuição. A ‘distribuição brasileira’.
    Esta distribuição será assim: os máximos da função referente a ela ficarão nos extremos. Será uma função de distribuição com dois máximos, bem nas extremidades finais da função.
    Para, por exemplo, cobrir coincidência dos seguintes tipos: a morte do Tancredo Neves, a morte do Teori, o ‘suicídio’ do PC Farias e outros muitos eventos que só podem ser explicados assim.

  5. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 13:24 hs

    Pois é Daniel F se sabe quanto é dois mais dois?????????????

  6. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 13:30 hs

    Sei sim, meu caro Sérgio Silvestre.
    Digo-lhe que não é cinco, como o senhor pensa.
    É….. pasme, senhor Sergio Silvestre, QUATRO!
    E sempre dá quatro!
    Fantástico, não?

  7. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 13:48 hs

    E a metade de dois mais dois.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*