R$ 102 mi para emissão de passaportes | Fábio Campana

R$ 102 mi para emissão de passaportes

A Comissão Mista de Orçamento aprovou hoje o projeto de lei de crédito suplementar para destinar R$ 102 milhões à Polícia Federal para a retomada da emissão de passaportes.
O projeto foi enviado pelo governo ao Congresso Nacional no dia 28 de junho e teve como relator da matéria o Delegado Francischini, que votou pela aprovação e apresentou emenda para que os recursos sejam retirados do orçamento que seria destinado à ONU. Num primeiro momento, houve a cogitação de que o dinheiro fosse retirado da Educação. O governo recuou e enviou ofício ao Congresso fazendo a alteração.
Agora o projeto deve passar por votação em sessão do Congresso, e, se aprovada, passar por sanção presidencial.
Não há prazo para que o serviço seja regularizado.


4 comentários

  1. Sem medo
    terça-feira, 4 de julho de 2017 – 20:56 hs

    Meu filho e nora fizeram o passaporte e já pegaram, a pergunta que faço, eles pagaram cada um uma taxa de R 250,00 os dois R$ 500,00 , se não tem dinheiro para fazer os tais passaporte, onde vai estas taxas cobradas, é muito dinheiro, não entendo.

  2. suzana faria
    quarta-feira, 5 de julho de 2017 – 9:11 hs

    que bommmmmmmmm
    agora os passaportes vão sair de graça.

  3. JOHAN
    quarta-feira, 5 de julho de 2017 – 10:39 hs

    Caro FÁBIO, quando os nobres parlamentares cortam despesas ou propõem transferências, sempre sai de conta de rubrica que servirá a sociedade. Nesse caso retiraram da rubrica que sustentaria a ONU. Quando essa quadrilha terá dignidade de propor o corte e redução de despesas das CASAS LEGISLATIVAS. A sociedade está passando por aperto significativo, e os nobres parlamentares não estão nem aí. O dia da caça chegara, aguardem. Atenciosamente.

  4. Sem medo
    quarta-feira, 5 de julho de 2017 – 15:03 hs

    Suzana Faria. Não entendi seu sarcasmos. Se é pago por cada brasileiro R$ 250,00 qual dinheiro esta faltando?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*