Proposta que acaba com o Fundo Partidário está parada | Fábio Campana

Proposta que acaba com o Fundo Partidário está parada

Para algumas coisas o Legislativo corre, para outras tem passos de tartaruga de desenho animado. Cristovam Buarque encaminhou em junho um projeto para extinguir o Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos. Ele está lá, paradinho, esperando designação de relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania.
Cristovam argumenta que os partidos políticos são pessoas jurídicas de direito privado e devem ser custeados pelos próprios filiados e simpatizantes, não com recursos públicos.
“É preciso estimular os partidos a voltarem às ruas para um contato maior com a população, para ampliar a interação com o eleitorado e a cidadania, fazendo com que as agremiações partidárias sejam efetivamente custeadas pelos seus aderentes. Se um partido político não consegue arrecadar recursos entre os seus filiados e simpatizantes para manter as suas atividades básicas é porque efetivamente não tem inserção e apoio social, cabendo mesmo questionar se deve permanecer existindo”.


3 comentários

  1. QUESTIONADOR
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 13:41 hs

    -Cristovam Buarque tem toda a razão. A sociedade brasileira não suporta mais a falta ou a inexistência de serviços públicos e sem verbas para custeá-las. Financiamento de campanhas políticas com dinheiro público atinge o escárnio com a população brasileira…
    -Mas como este projeto atinge toda a classe política brasileira, então não é necessário tanta urgência para sua apreciação…afinal de contas, a maioria dos políticos brasileiros deveriam estar presa ou em vias de.

  2. APENAS ELETOR
    sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 16:29 hs

    Acho que o Senador Cristovam Buarque fez o teste de voltar às ruas. No seu caso, voltar ao meio universitário onde sempre militou com destacada atuação. Depois da inacreditável mudança de lado, sentiu no “contato com o povo nas ruas” que, muito embora em sua grande maioria indiferentes ao comportamento dos parlamentares, sabem bem diferenciar quem está ao seu lado ou contra. Ao ser hostilizado na Universidade em Minas Gerais, a ponto de ter que cancelar o lançamento de mais um de seus livros, quem sabe sirva para a sua melhor avaliação sobre tudo….

  3. sexta-feira, 21 de julho de 2017 – 21:08 hs

    É UMA ATITUDE LOUVÁVEL MAS…ISSO NÃO VAI ACONTECER.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*