Preço de banana | Fábio Campana

Preço de banana

Após a prisão de Aldemir Bendine, chama atenção na Lava Jato a venda da Petrobras Argentina a preço de banana, em 13 de maio de 2016, dia seguinte ao impeachment de Dilma, quando ele presidia a Petrobras. A Pampa Energia, de Marcelo Mindlin, levou 30 blocos exploratórios, quase 300 postos, e parte de térmica, hidrelétrica e petroquímicas, por apenas US$897 milhões em “negociação exclusiva”.

A Justiça Federal do Rio de Janeiro acatou em outubro ação popular para apurar o prejuízo à Petrobras, estimado em R$ 3,2 bilhões. A Câmara dos Deputados marcou para 16 de agosto audiência pública para discutir a venda suspeitíssima da Petrobras Argentina.

A Pampa Energia foi alvo, em maio, de busca e apreensão por ordem da Justiça argentina, que também investiga a venda dos ativos. Marcelo Mindlin, da Pampa, é muito ligado a Cristina Kirchner, ex-presidente argentina muito amiga de Dilma Rousseff.


2 comentários

  1. JÁ ERA...
    sábado, 29 de julho de 2017 – 4:58 hs

    Este foi um negócio de pai para filho. Mutreta na certa. Ainda ficou
    para trás as negociações na Petrobras da gestão Dilma (Pasadena).
    Só roubalheira na gestão PT…

  2. HORA DA VERDADE
    sábado, 29 de julho de 2017 – 11:42 hs

    Resumo da politica bolivariana do lulopetismo: Quando a Petrobras comprava (vide caso Passadina) pagava muito mais que valia, quando vendia, dava por muito menos que valia. Pagar esta conta, que logicamente bilhões serão drenados em “juros” para os empréstimos tomados nos mercado a taxas exorbitantes, caberá as próximas gerações de brasileiros, isto que nossos filhos e netos não cometerem uma nova besteira que nossa geração cometeu ao entrar na propaganda enganosa do petismo.
    Um bom começo seria que os ingênuos que votaram no petismo fizessem a mea culpa e, sabedores desta terrível ameaça, contassem o erro cometido e se empenhassem nas próximas eleições para mostrarem como foram enganados.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*