Não é culpa do eleitor | Fábio Campana

Não é culpa do eleitor


É comum a culpa da desgraça política no Congresso Nacional cair em cima do povo. “O povo colocou esses caras lá”, dispara a metralhadora de caça às bruxas.
Mas o fato é que o eleitor não é responsável direto pelo nível da Câmara de Deputados. A culpa é do nosso sistema político.
Dos 513 deputados atuantes, apenas 35 foram eleitos com seus próprios votos, o resto precisou da soma dos votos recebidos pelo partido ou por outros candidatos de suas legendas ou coligações, eleitos ou não.
Isso porque, o nosso sistema obedece à votação proporcional.
Entenda melhor.

A explicação é da BBC:
O quociente eleitoral é a soma do número de votos válidos, dividida pelo número de cadeiras em disputa. Apenas partidos isolados e coligações que atingem o quociente eleitoral têm direito a alguma vaga. A partir daí, analisa-se o quociente partidário, que é o resultado do número de votos válidos obtidos, pelo partido isolado ou pela coligação, dividido pelo quociente eleitoral. O saldo da conta corresponde ao número de cadeiras a serem ocupadas. Depois dessas etapas, verifica-se quais são os mais votados dentro de cada partido isolado ou coligação, os quais estarão efetivamente eleitos. Havendo sobra de vagas, divide-se o número de votos válidos do partido ou da coligação, pelo número de lugares obtidos mais um. Quem alcançar o maior resultado assume a cadeira restante.


Um comentário

  1. Do Interior...
    segunda-feira, 10 de julho de 2017 – 17:13 hs

    Isso deveria ser extinto. Palhaçada.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*