Mensalão da toga | Fábio Campana

Mensalão da toga

Em reportagem especial para a Folha, Frederico Vasconcelos revela que ações penais contra juízes acusados de fraude no Brasil se arrastam há vários anos – algumas por mais de 10. São casos de propinas, dívidas, contratos firmados de maneira inequívoca e fraudes. Como destacou no título da reportagem, o “Mensalão da toga” pode ficar impune.


5 comentários

  1. Sergio Silvestre
    segunda-feira, 17 de julho de 2017 – 15:15 hs

    Tem juiz que faz Rachid com advogados a role no Brasil,alias,não se sabe onde tem mais bandidos se nas favelas ou nos tribunais,.

  2. Juca
    segunda-feira, 17 de julho de 2017 – 16:59 hs

    Certeza mesmo é que há muito mais bandidos na favela da Bratac do que nos tribunais, não é mesmo SS Calça Frouxa?

  3. Daniel Fernandes
    segunda-feira, 17 de julho de 2017 – 17:05 hs

    Sérgio Silvestre, de onde você tira essas ideias ‘piramidais’?
    Só mesmo usando uma palavra usada muito na literatura modernista do Brasil para definir as suas ‘ideias’.
    Elas são ‘piramidais’.

  4. JUNIOR
    segunda-feira, 17 de julho de 2017 – 19:08 hs

    A propósito do tema, um questionamento: se a Constituição é a base do ordenamento jurídico de um país, não deveria o Judiciário e o Ministério Público – o primeiro porque tem o poder de dizer o direito e o segundo por ser o encarregado de fiscalizar o cumprimento das leis – insurgir-se contra qualquer norma que viole o texto constitucional?
    Lembremo-nos, pois, do Art. 37, Inciso XI, da nossa tão desrespeitada “Lex Major”:

    Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

    XI – a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos … dos membros de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, … e os proventos, pensões ou outra espécie remuneratória, percebidos cumulativamente ou não, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer outra natureza, não poderão exceder o subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, aplicando-se como limite,…e o subsídio dos Desembargadores do Tribunal de Justiça, limitado a noventa inteiros e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, no âmbito do Poder Judiciário, aplicável este limite aos membros do Ministério Público, aos Procuradores e aos Defensores Públicos; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41, 19.12.2003)

  5. Sergio Silvestre
    segunda-feira, 17 de julho de 2017 – 20:41 hs

    Tiro elas da base das piramides que não cabe mais gente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*