Demissão voluntária faz economia ridícula | Fábio Campana

Demissão voluntária
faz economia ridícula

O Programa de Demissão Voluntária (PDV) do governo federal tem o mérito de mexer nesse vespeiro, mas a economia prevista de R$1 bilhão é quase irrelevante, considerando gastos com pessoal a cada ano: R$284 bilhões. Outro detalhe mostra como é modesta a proposta de PDV: o governo Michel Temer agora tenta economizar R$1 bilhão, mas em 2017 já aumentou a despesa com pessoal em R$15 bilhões.

As 5.000 pessoas que o governo pretende atrair para o PDV representam menos de 1% dos atuais 636.000 servidores públicos. O governo terá dificuldade de convencer os servidores a abandonar serviço público federal, que paga 80,1% a mais que o setor privado.

Trilhão é logo ali
Os gastos com pessoal só não são maiores no governo que as despesas com Previdência, que já ultrapassam meio trilhão de reais.

O temor, no Planalto, é que em breve se reproduza em escala federal a situação de estados como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.


4 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 26 de julho de 2017 – 13:46 hs

    No Estado brasileiro é impossível mexer no barnabelato. As dezenas de garantias constitucionais impedem qualquer economia ou avanço. Um outros países o PDV é oferecido, precedendo ao PNB (pé na bunda). Mas, como nestes tristes trópicas não pode haver PNB no serviço público, então às favas o erário.

  2. quarta-feira, 26 de julho de 2017 – 14:14 hs

    é só mandar a camarrilha embora, nem precisa ser economista!

  3. Glauco Burkel
    quarta-feira, 26 de julho de 2017 – 14:55 hs

    Mais um tiro no pé desse governo corrupto! Vamos começar a cortar as mordomias, neh?
    Que tal cada deputado, senador, vereador, prefeito, o presidente e os demais marajás dessa nação começarem a ter um pouquinho de vergonha na cara e devolver os penduricalhos, os luxos pagos pelo pobre povo brasileiro?
    Que tal acabar com as farras dos aviões da FAB? Que tal acabar com os auxílios moradias, motoristas, creches, faculdades, livros, frutas e tantos outros de vários magistrados e promotores? E quando vão demitir essa cambada de comissionados, que, em sua maioria, são desqualificados para ocuparem os cargos, e ainda são plenamente dispensáveis, já que não fazem falta à população?
    Já deu neh….. País de m..da.

  4. JOHAN
    quarta-feira, 26 de julho de 2017 – 16:33 hs

    Caro FÁBIO, realmente o Presidente TEMER – PMDB vem realizando uma gestão medíocre. Não foi para isso que assumiu, após a queda da CORRUPTA DILMA PERDULÁRIA. Ele não tem demonstrado para o que veio, ainda mais quando confirma que participava do grupo da ORCRIMPETISTA. Como integrante do PARLAMENTO ainda não mexeu nos elevados custos de sustentação da casa do parlamento, onde uma redução de 50,0% nos assessores, não seria percebida. Os salários de sustentação da macacada, estão insuportáveis de serem mantidos. A saída é simples, ou corta os salários ou corta o número de assessores. A outra proposta para redução das despesas, NENHUM COLABORADOR recebe além do limite do TETO. A outra é iniciar a venda das empresas estatais com dificuldades de fluxo de caixa. Atenciosamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*