Como vota, senador Alvaro Dias? | Fábio Campana

Como vota, senador Alvaro Dias?


O voto contrário à reforma trabalhista, ontem, no Senado, estremeceu a relação de Alvaro Dias, do Podemos, com o setor produtivo do Paraná. Ele é duramente cobrado pelos representantes do G8 (grupo que reúne as principais federações do setor produtivo como a Fiep, Faep, Ocepar e Fecomércio).

“Estive há alguns dias em seu gabinete oportunidade em que o senhor nos assegurou que votaria a favor da reforma trabalhista, da forma como veio da Câmara (dos Deputados), porque entendia que seria importante para o País. Assim, foi com muito espanto que soube agora que o senhor mudou o seu voto. Isso é verdade senador?”, questionou José Eugênio Gizzi, vice-presidente da Fiep (federação das indústrias do Paraná)

Num diálogo no whatsapp com outro dirigente do G8, Alvaro Dias tentou contemporizar a importância do seu voto. “Passou com sobras. Apenas 26 votos contra”, disse o senador. “Ok Alvaro, mas você votou contra. Os grupos estão te detonando”, diz o empresário ao senador.

Na conversa, Alvaro Dias reage: “estou acostumado. Disse que só votaria favorável se fosse necessário. Eu tenho o dever de fazer a análise estratégica do momento vivido”.

O interlocutor devolve: “precisamos conversar. O setor produtivo do Paraná sente-se traído. Os outros senadores (Gleisi Hoffmann, do PT; e Roberto Requião, do PMDB) já sabíamos. Mas contavam (o setor produtivo) com você”.

Para o setor produtivo, Alvaro Dias votou contra a reforma trabalhista para não atrapalhar sua pré-candidatura a presidente. Depois de passar por oito partidos, o senador se filiou ao Podemos (ex-PTN) e pretende disputar o Planalto em 2018. “O senhor votou contra os 14 milhões de desempregados no País”, reagiu outro empresário nas redes sociais.


15 comentários

  1. Trump
    quarta-feira, 12 de julho de 2017 – 18:41 hs

    Resumo: Traidor dos desempregados e empresários que geram empregos, sepultou sua candidatura e de seu irmão petista Osmar Dias

  2. Oswaldo
    quarta-feira, 12 de julho de 2017 – 18:42 hs

    E o João Graça, indicado pelos irmão Álvaro e Osmar Dias para o Conselho do FI-FGTS, surrupiado pelo Joesley Batista como fica?

  3. quarta-feira, 12 de julho de 2017 – 18:54 hs

    Foi oportunista, embarcou no voto populista, votou pra galera. Deixou de votar como estadista pensando no Brasil, mirou apenas na sua ambiciosa carreira política. As reformas são necessárias e a trabalhista fundamental.
    Nos últimos dez anos ficou na sombra, com discursos moralistas, agora foi-lhe exigido um posicionamento, aliou-se aos pequenos.

  4. eleitor desmemoriado
    quarta-feira, 12 de julho de 2017 – 19:13 hs

    Coitado do Álvaro, traindo aqueles que ele disse que apoiaria se ferrou com o setor produtivo do Paraná. Ele mostra como realmente é, e quer posar de opção. Se ferrou Álvaro levou o mano junto. Vai se agarrar em quem agora?

  5. quarta-feira, 12 de julho de 2017 – 19:22 hs

    Acho que foi um ato impensado do Senador,votou contra si próprio e todo setor produtivo do Paraná, perdeu milhões de votos para Presidncia.pode QParar.foi a maior burrada da vida dele.

  6. MARCOS
    quarta-feira, 12 de julho de 2017 – 19:43 hs

    Caro Fabio, todo o empresariado do Paraná sabe que a família Dias não é confiável. O senhor Álvaro dias não decola nas pesquisas para Presidente da República, porque em Brasilia os políticos e partidos sabem quem ele é. O Senhor Álvaro Dias e seu irmão Osmar Dias, (conhecido com Caim), gostam de levar vantagem em tudo, desde a parte financeira até nos conchavos políticos, pois eles acham que sãos os únicos espertos. O empresariado Paranaense e o povo já sabem que a família Dias ficaram ricos com a política. Em suma os irmãos Dias são bananeiras que já deram cachos.

  7. quarta-feira, 12 de julho de 2017 – 20:56 hs

    Setor produtivo bobagem, na verdade foi a primeira vez que Alvaro Dias fez algo de positivo em favor do povo e por isso tem que escutar essa de setor produtivo quando na verdade é o setor especulativo por que o produtivo esta trabalhando e não perseguindo politico.

  8. José
    quarta-feira, 12 de julho de 2017 – 21:32 hs

    Perdeu votos? ?? Q votos? ?? Ninguém conhece ele no Brasil não.

  9. Fala sério
    quarta-feira, 12 de julho de 2017 – 21:49 hs

    Quem está desempregado procura o Álvaro Dias pra arrumar emprego. Fica a sugestão. Porque se o Álvaro não fosse preguiçoso e se debruçasse sobre a reforma trabalhista, perceberia que em nenhum momento tira qualquer direito trabalhista. Pelo contrário, o trabalhador deixa de para o imposto sindical. Seguifica uma economia ao trabalhador.

  10. quarta-feira, 12 de julho de 2017 – 22:05 hs

    CONCORDO COM VC ROCK. CONTINUO COM ALVARO.

  11. Juscelino alves
    quarta-feira, 12 de julho de 2017 – 23:38 hs

    Vergonha vergonha
    Quer votos esquerda

  12. Fala sério
    quinta-feira, 13 de julho de 2017 – 1:32 hs

    O Álvaro não estava obrigado à assegurar que votaria a favor da reforma. Uma vez que assumiu um compromisso, deveria cumprir. Agora criou um clima de desconfiança em torno de sua pessoa.

  13. Paulo Tadeu Macedo Neves
    quinta-feira, 13 de julho de 2017 – 9:28 hs

    Esse senador é tão mas tão verdadeiro como são os seus cabelos .

  14. Freddy Kruger
    quinta-feira, 13 de julho de 2017 – 11:24 hs

    Os Irmãos Dias, só pensam neles mesmos. Apenas se mostraram mais uma vez, como realmente são. Não tem condições de assumir nem uma Presidência da República, nem um Governo Estadual. Mais uma dupla que desmoraliza o Paraná.

  15. MARCIO AGUIAR
    quinta-feira, 13 de julho de 2017 – 11:57 hs

    PARABÉNS SENADOR ALVARO DIAS OS TRABALHADORES PARANAENSES E BRASILEIROS SABERÃO RECONHECER SEU VOTO, A FAVOR DE MILHOES DE PESSOAS, AS MENOS FAVORECIDAS.. A CLASSE FEMININA MUITO PREJUDICADA TAMBÉM. VAMOS RENOVAR O SENADO EM 2018. COMO A FRANÇA FEZ RECENTEMENTE COM SEU PARLAMENTO RENOVOU EM 80%. VC SENADOR VOTOU COM A MASSA COM MILHOES DE TRABALHADORES!!! E NAO PELO MINORIA DE EMPRESARIOS QUE QUEREM ESCRAVIZAR OS TRABALHADORES. PARABÉNS ALVARO DIAS VC É O CARA!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*