CCJ rejeita parecer contra Michel Temer por 40 a 25 | Fábio Campana

CCJ rejeita parecer contra
Michel Temer por 40 a 25


Por 40 votos a 25, a CCJ rejeitou o parecer que recomendava a aprovação da denúncia contra Michel Temer por corrupção passiva.

A comissão ainda vai votar um relatório paralelo, apresentado pela base governista, que deve ser aprovado.

A denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra Temer ainda precisará passar pelo plenário da Câmara.

O presidente da casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), descartou realizar essa votação nesta sexta-feira (14) e propôs a convocação de uma sessão na próxima segunda (17). Caso não haja quórum, o processo só deve ser concluído em agosto.


4 comentários

  1. quinta-feira, 13 de julho de 2017 – 18:25 hs

    Se NÃO foi aceita na CCJ, para quê passar no Plenário?

    E depois tiram sarro dos portuga!!!!

  2. Jorge Armado
    quinta-feira, 13 de julho de 2017 – 19:05 hs

    Uma vitória da democracia brasileira. Com o inestimável apoio tucano. O Brasil está no rumo certo. Só falta prender Lula e eleger Gilmar Mendes. Aí fica perfeito.

  3. Paolo
    quinta-feira, 13 de julho de 2017 – 19:41 hs

    Os tucanos votaram na sua grande maioria CONTRA TEMER!!! É bom não mentir, pois pega mal!!

  4. Jotinha
    sexta-feira, 14 de julho de 2017 – 11:12 hs

    Macambúzio, é uma questão processual, ritos; além do mais as votações não são iguais, na CCJ são 66 membros que votam, no plenário são os 513 deputados e para não processar o Presidente agora, tem de haver 1/3 desse total, na CCJ é apenas para aprovar o relatório em que necessita da metade mais um dos 66; e outra questão: o Temer não ficará isento do processo, essa votação é para tirar do cargo mas o processo continua; se ele vencer no plenário, digamos assim, continua no cargo mas o processo continua para ser julgado como pessoa comum e sem foro depois que deixar o Governo; então ele não vai escapara mesmo de ser julgado, tanto pode ser inocentado como pode ser condenado.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*