Boquinhas, mais boquinhas | Fábio Campana

Boquinhas, mais boquinhas

É impressionante o aumento de sinecuras e prebendas em Brasília. Em 2003, Câmara e Senado empregavam 8.648 pessoas. O número de parlamentares não se alterou, mas dobrou o de servidores: 16.381. O surto de distribuição de boquinhas fez crescer o custo anual da folha da Câmara, em 2016, foi de R$4,3 bilhões, dos quais pouco mais da metade (R$2,7 bi) se referem a servidores ativos. No Senado a mesma farra. Funcionários custam ao contribuinte R$3,3 bilhões por ano. São R$1,6 bilhão para os da ativa e R$1,7 bilhão para os inativos.


5 comentários

  1. Duílio
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 20:03 hs

    Já o cidadão que escreve o monte de besteiras para o “Marcelo Richa” não está em nenhuma boquinha.

  2. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 21:09 hs

    E vá ver os salários…
    Vá ver quanto ganha o cara que serve cafezinho…

  3. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 19 de julho de 2017 – 21:09 hs

    Só para começo de conversa…

  4. JÁ ERA...
    quinta-feira, 20 de julho de 2017 – 8:05 hs

    É bom mandar estes políticos para a Suiça onde os políticos vivem
    em apartamentos funcionais e não tem assessores. Andam de oni-
    bus e recebem o justo. Por aqui a farra com o nosso dinheiro é uma
    verdadeira aberração. Se as leis permitem, não sei, mas a baderna
    tomou conta…

  5. LÍNGUA FELINA
    quinta-feira, 20 de julho de 2017 – 8:07 hs

    Dizem por aí que se implodirem Brasília teremos mais um proble-
    mão. Não teremos onde colocar tantos estrumes que ficarão espa-
    lhados por tudo que é lado…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*