Universidades resistem publicar salários no Portal da Transparência | Fábio Campana

Universidades resistem publicar salários no Portal da Transparência

O chefe da Casa Civil Valdir Rossoni confirmou nesta quarta-feira, 14, que o Estado mantém a determinação de que todos os órgãos estaduais – incluindo as universidades – devem ser integrados ao sistema de gestão da folha de pagamentos. A plataforma permite a análise da composição dos vencimentos dos servidores públicos. “Está na Lei da Transparência, é uma recomendação do Tribunal de Contas e uma exigência do governo. Não abriremos mão disso”, afirmou.

Rossoni disse também que não consegue entender a resistência das universidades em se integrar ao sistema, que já foi implantado em todos os outros setores do governo. “Difícil compreender como entidades tão respeitadas pela sociedade, como as universidades de Londrina e Maringá, resistem tanto a se enquadrar num sistema que visa unicamente à boa gestão da folha de pagamento dos servidores, à transparência absoluta e ao controle de como são gastos os impostos pagos pelos contribuintes”.

O secretário explicou que será mantido o bloqueio das diárias de viagens e material permanente das universidades que não aderirem ao Meta 4. “E se decidirem mesmo não aderir, vamos nos socorrer com a Justiça”, avisou.

Rossoni lembrou que em nenhum momento o executivo estadual cogitou interferir na autonomia das universidades ou fazer cortes de receitas. “Não há nenhum interesse do governo em interferir nas decisões das universidades ou diminuir repasses. Apenas queremos transparência na folha de pagamento dos servidores”, afirmou.


10 comentários

  1. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 14 de junho de 2017 – 19:32 hs

    Epa.
    Os dados estão publicados no portal.
    O título está falando uma inverdade.
    Acabei de ver.
    Pelo jeito está virando moda desancar servidores pelo que não é culpa deles.
    Entrem lá no portal e façam a pesquisa usando como filtro qualquer uma das universidades estaduais.
    Os salários estão lá.
    Notei algo aqui no Brasil ultimamente: trabalhador tem que se ferrar. Essa é a ideologia do momento.
    Tanto os da esfera privada com esta reforma trabalhista canalha, quanto os da esfera pública, pois jornalistas e governos decidiram abrir a temporada de caça a eles.

  2. jaferrer
    quarta-feira, 14 de junho de 2017 – 21:05 hs

    O governo mente. O que o governo quer é fazer o que já fez com o resto do funcionalismo, não pagar as promoções, que são direito previsto no plano de carreira, dificultar e restringir a dedicação exclusiva que é regime de trabalho, não gratificação, dificultar o afastamento para qualificação, etc. É mentira também que não existe transparência. Todos os salários das IES são de domínio público, basta entrar no portal da transparência e verificar. Lastimável o papel desse blog. O mínimo que deveria ser feito, para quem se diz democrático, seria apresentar os argumentos contrários com seriedade, não com partidarismo. Esse blog age da mesma forma falaciosa com a qual agem aqueles petistas aqui condenados.

  3. jaferrer
    quarta-feira, 14 de junho de 2017 – 22:13 hs

    Espero que todos os que publiquem comentários aqui façam como o Daniel Fernandes. Podemos discordar, criticar um ou outro ponto, mas é sempre necessário ter a informação correta. Sem isso é somente ignorância. Parabéns Daniel.

  4. Paulo B.
    quinta-feira, 15 de junho de 2017 – 0:27 hs

    É um absurdo mesmo. Ter que ouvir o Rossoni falar de transparência e moralidade é a demonstração que esse governo que se mostrou democrático no seu início hoje é uma cópia do governo Lerner, até para quem manda; Traiano, Rossoni, Roldo, além dos importados que são a extensão do Serra e do Aécio no Paraná. Richa você é um entreguista.

  5. rodrigues
    quinta-feira, 15 de junho de 2017 – 1:22 hs

    Quem paga os salarios somos nós, tem que haver transparencia sim, rem que respeitar os orgaos superiores sim, esse negcio de bolivarianos quererem ser o que querem já era.

  6. Priscilla
    quinta-feira, 15 de junho de 2017 – 6:34 hs

    Mas eu não entendi até agora por que as universidades não querem mudar o sistema.
    Se os salários já são públicos, qual é o verdadeiro problema?

  7. jaferrer
    quinta-feira, 15 de junho de 2017 – 9:50 hs

    O verdadeiro problema é que, com o Meta4, o governo pode atrasar as progressões e promoções que são direito garantido pelo plano de carreira. Basta ver o que aconteceu com os professores do Estado. Somente em janeiro, depois de muita discussão, o governo pagou os atrasados de mais de 3 anos. Imagina um professor que se qualifica, cumpre todos os tramites burocráticos e não recebe a progressão devida; fica esperando por anos sem saber quando receberá o que, de direito, é seu. Qual o estímulo para continuar se preparando e qualificando, se você não tem segurança que progredirá na carreira?

  8. quinta-feira, 15 de junho de 2017 – 10:16 hs

    A Democracia só vale para os outros?
    Qual a diferença entre as Universidades e os outros órgãos, se todos
    são mantidos com recursos do povo?

  9. JUSTICEIRO
    quinta-feira, 15 de junho de 2017 – 11:33 hs

    QUEM NÃO DEVE NÃO TEME.

  10. Jotinha
    sexta-feira, 16 de junho de 2017 – 11:58 hs

    Cadê meu comentario esclarecendo sobre autonomia das universidades?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*