'Transparência é a coisa certa' | Fábio Campana

‘Transparência
é a coisa certa’

por Valdir Rossoni

Há sempre algo positivo numa crise. E não será diferente com essa que se instalou no país e que impede a retomada da normalidade institucional e econômica da nação. Sem dúvida, o brasileiro sairá dela mais forte, consciente de seus direitos e sabedor de que cidadania precisa ir além do conceito burocrático.

Aos agentes públicos cabe entender esse momento emblemático e criar mecanismos que colaborem com a necessária guinada de rumo que o país precisa dar, e que os brasileiros tanto querem.

Em plena era da informação, não é mais aceitável que as pessoas não tenham ferramentas para fiscalizar o uso que o governo faz dos recursos dos impostos pagos por todos. Reforço aqui: transparência é sempre a melhor arma contra a corrupção.

No Governo do Paraná a prioridade é facilitar o acesso da sociedade às informações sobre a aplicação dos recursos públicos, um trabalho já reconhecido por instituições como a OAB-PR e os conselhos de economia e contabilidade, que elogiam a eficiência do Portal da Transparência do Estado.

Nós entendemos que no setor público transparência é para todos e para tudo. Assim, causa estranheza a resistência de três universidades sustentadas pelos impostos cobrados dos paranaenses de ingressar no sistema que faz a gestão do gasto com a folha de pagamentos dos servidores estaduais.

A determinação para que todas as secretarias e órgãos do Estado sejam incluídos na plataforma RH Paraná – Meta4 partiu do governador Beto Richa, em respeito à Lei de Transparência e imposições do Tribunal de Contas do Estado.

Sabíamos que haveria alguma resistência nos setores mais conservadores do serviço público. Mas não imaginávamos tamanha dificuldade justamente no mundo acadêmico, costumeiramente aberto a novas ideias e sensível às mudanças.

Tentarei ser o mais claro possível: o Meta4 não interfere em absolutamente nada na vida das pessoas ou na autonomia das instituições! Em palavras simples, é um arquivo com a lista completa de todos os funcionários públicos do Estado e a composição salarial de cada um, o que permite controle sobre despesas, como salários, gratificações e licenças especiais.

Não queremos confronto com as universidades porque isso só prejudicaria os estudantes. E isso nunca foi nosso objetivo. Mas é preciso entender que é direito de quem paga os nossos salários saber quantos somos, onde estamos e quanto recebemos. Queremos cidadania plena! Apenas isso.

Portanto, reforço que não abriremos mão de garantir esse direito do povo paranaense. E peço a todos os servidores do estado que ajudem o governo a simplesmente fazer a coisa certa.


Valdir Rossoni é chefe da Casa Civil do Governo do Paraná e deputado federal licenciado.


12 comentários

  1. domingo, 25 de junho de 2017 – 19:50 hs

    Esse cara me lembra o Aécio seu novo amigo quando falou em um debate sobre transparência e depois foi pego com a mão na botija várias vezes é um malandro velho querendo vender a imagem de seriedade na politca. Só otário compra seu discurso.

  2. Luiz Eduardo
    domingo, 25 de junho de 2017 – 20:50 hs

    FALOU UM GRANDE ESTADISTA DE BITURUNA E REGIÃO, COMPONENTE DA GANGUE DE RICHA, FODEDOR DE SERVIDOR PÚBLICO E CORRUPTO DE PRIMEIRA GRANDEZA NESTE ESTADO DO PARANA DE MERDA E NESTE BRASIL DE BOSTA.

  3. domingo, 25 de junho de 2017 – 20:54 hs

    Os funcionários públicos, professores e os gestores de colégios estaduais e universidades deveriam ter metas para cumprir caso não cumprissem as metas deveriam ser penalizados: Ex não cumpriu a meta não tem progressão e Nei aumento de salário, e acabar com a estabilidade de emprego, a estabilidade de emprego é o legítimo sono perfeito.

  4. Paulo Tadeu Macedo Neves
    domingo, 25 de junho de 2017 – 22:15 hs

    O Lobo com discurso de Cordeiro

  5. Jorge Armado
    domingo, 25 de junho de 2017 – 22:26 hs

    Valdir Rossoni é um dos políticos mais competentes do Brasil, quiçá do mundo. Deveria ser nomeado secretário geral da ONU, da OTAN, diretor da NASA. É uma das maiores inteligências do planeta. Se morasse num país mais desenvolvido certamente já seria CEO de uma Apple, Microsoft ou Boeing.

  6. emilson pupo
    domingo, 25 de junho de 2017 – 22:28 hs

    Voce Caro Chefe da Casa Cívil, vive mamando no dinheiro público com mordomias e sacaneando o Servidor Público. Esse Governo incompetente que nao cumpre a Lei para mim não tem valor.

  7. Sergio Silvestre
    domingo, 25 de junho de 2017 – 22:42 hs

    Esse Rossoni é um mentiroso.

  8. Marcos
    domingo, 25 de junho de 2017 – 23:02 hs

    Lendo esses comentários anteriores, não pude deixar de me expressar….
    Você cidadão paranaense, servidor publico de carreira ou comissionado!!!
    Mais uma vez…não sou um apaixonado por esse Rossoni, mas mais uma vez tenho que dizer a verdade…..
    Vivo governo há quase 30 anos e sob esse espectro posso verdadeiramente afirmar….Se não fosse esse Valdir Rossoni no Governo do Richa….tudo estaria acabado, salários estariam sendo parcelados, não haveriam rúbricas para ações estruturais e de investimentos. Hoje acompanhamos, mesmo que indiretamente, nosso Paraná crescendo, o melhor Estado do Brasil em indices percentuais, indicativos de qualidade de vida, bem como, seara de investimentos externos!!!
    E ainda tem gente que fala mal…..
    Valdir Rossoni, não te gosto, mas obrigado por restaurar a direção do Paraná….voto em você pro Governo!!!!!

  9. JOHAN
    segunda-feira, 26 de junho de 2017 – 10:13 hs

    Caro FÁBIO, a sociedade em função da situação de penúria por que passa, deseja observar com mais intensidade a transparência nos salários, pois atinge diretamente os funcionários do estado, seus dirigentes e colaboradores em geral, onde pode visualizar os desmandos e a montagem das igrejinhas dentro do próprio estado. Contudo isso não interfere e não auxilia em nada a necessidade de transparência no resultado das ações requeridas pelos requerentes que aguardam um parecer dos órgãos estaduais licenciadores. Os empresários empreendedores esperam um procedimento célere, eficiente e eficaz, que atenda a demanda ambiental, social e econômica do investidor, dentro de prazo de tempo compatível. ” Portanto, reforço que não abriremos mão de garantir esse direito do povo paranaense. E peço a todos os servidores do estado que ajudem o governo a simplesmente fazer a coisa certa, com determinação do Secretário ROSSONI. Mãos a obra. O tempo passa,e o governo atual está se encerrando. Atenciosamente.

  10. jaferrer
    segunda-feira, 26 de junho de 2017 – 11:49 hs

    “o Meta4 não interfere em absolutamente nada na vida das pessoas ou na autonomia das instituições! Em palavras simples, é um arquivo com a lista completa de todos os funcionários públicos do Estado e a composição salarial de cada um, o que permite controle sobre despesas, como salários, gratificações e licenças especiais.” Esse sujeito é um hipócrita. O Meta4 é um sistema antigo que não dá conta de transparência nenhuma; por que esse sujeito não explica quanto o Estado paga para a empresa espanhola dona do sistema? O arquivo com a lista completa dos funcionários e seus rendimentos já está no portal do servidor, portanto é transparente. O que o governo quer é reter as promoções e progressões garantidas por lei e legalizadas pelo plano de carreira. Hoje, um professor tem ascensão de nível mediante avaliação e cobrança de resultados. Como a folha é feita na Instituição, recebe automaticamente. No meta4, se receber, receberá com meses de atraso sem nenhuma correção. Ou seja, o governo vai economizar retirando direitos. Os funcionários das escolas estaduais sabem bem como funciona; tem funcionário esperando a mais de três anos para receber os atrasados. Como alguém tem estímulo para trabalhar tendo direitos cerceados desta maneira? Hipócrita e sem caráter, esse é o Rossoni.

  11. segunda-feira, 26 de junho de 2017 – 13:51 hs

    Esse Marcos fez o seu comentário no colo do Rossoni, com esse papinho eu não te gosto mas você é o cara.

  12. Jotinha
    segunda-feira, 26 de junho de 2017 – 16:42 hs

    Bem, falando de autonomia no que tange o serviço público das Universidades e Faculdades públicas, a princípio temos 3 categorias, a saber: autonomia pedagógica, onde as instituições de cursos superiores possuem competência na elaboração de objetos e objetivos com referência aos seus cursos oferecidos bem como à pesquisa e extensão; no caso de Institutos e Faculdades Isoladas por exemplo, necessitam da tutela de alguma Universidade nesse caso. Existe a autonomia administrativa, relativa, no que toca a gestão também de pessoal; mas o Estado pode participar dessas autonomias, sempre que solicitado e que achar necessário; por isso é o Estado. E existe a autonomia financeira, que neste caso a participação das instituições é mínima, pois a manutenção é do próprio Estado; as faculdades e universidades públicas fazem parte da administração indireta, ou seja, não possui pessoa jurídica própria, os entes centrais são a União, os Estados federados e os Municípios, todos os demais órgãos dependem de gestão final dos entes centrais, também chamados de diretos. Portanto, quem é responsável pela a arrecadação, o controle e os pagamentos públicos é o Estado; se as universidades querem autonomia total, somente com a privatização, aí cada uma que arrecade, coordene e gaste do jeito que achar melhor, inclusive os salários; o agente público quando ingressa numa função já sabe que é para prestar serviços públicos e não para enriquecer, por isso tem de obedecer o teto final incluindo salários, vantagens e tudo; quem quer ganhar mais e não respeitar o teto vai para a vida privada, aí não tem quantia de ganho e pode ficar rico, claro, sem roubar.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*