Temer no ataque | Fábio Campana

Temer no ataque


Antes de embarcar para Rússia e Noruega, o presidente Michel Temer gravou um vídeo, exibido nesta segunda-feira, 19, nas redes sociais no qual afirma que os criminosos não ficarão impunes. A afirmação é mais uma resposta aos novos ataques desferidos pelo empresário, Joesley Batista, um dos donos da JBS e corruptor confesso, que em entrevista à revista Época acusa o presidente “comanda a maior organização criminosa do País”. Com informações do Diário do Poder.

No vídeo, o presidente afirma que acabou com “favores que privilegiavam apenas algumas poucas empresas” que obtinham empréstimos bilionários com “juros camaradas” e isso irritou muita gente, em clara referência a Joesley.

Temer está incomodado com as acusações e mais ainda com o fato de o Ministério Público ter feito acordo de delação premiada com o empresário que o presidente chama da “bandido” – e pelo fato de o MP lhe permitir estar completamente livre, apesar dos crimes cometidos. Por isso, Temer aproveita o vídeo para dizer que os responsáveis pelos crimes não ficarão impunes, mas não sem antes lembrar que a ascensão, expansão e enriquecimento de Joesley Batista não aconteceu em seu governo, referindo-se indiretamente ao PT.

A resposta de Temer veio em um dia em que, apesar de estar saindo para uma viagem de cinco dias ao exterior, o governo está à espera de uma denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução de Justiça.

O governo critica o Ministério Público, que aceitou fazer um acordo de delação premiada sem prender, um dia sequer, um “bandido notório” como Joesley. O presidente viu necessidade de aparecer falando e mostrando que não está refém das denúncias, ao contrário, que está enfrentando e vai enfrentar Joesley.

O presidente mostra, por exemplo, que todo este problema político trouxe prejuízos bilionários ao País e está atrapalhando a recuperação da economia, que começou a dar sinais positivos. Sem citar o PT, o presidente também lembrar que não foi no seu governo que Joesley Batista conseguiu as maiores benesses.

Com esse pronunciamento nas redes sociais, Temer quer mostra à sociedade que vai enfrentar e resistir à crise política, não se rendendo aos ataques do empresário. Para o governo, Joesley ataca o presidente sem citar que foi o PT que teria proporcionou que o empresário se tornasse bilionário e expandisse seus negócios mundo afora, com dinheiro do BNDES.

O discurso é de que Joesley acusa Temer para esconder seus delitos e evitar ser preso ou se desvencilhar de qualquer tipo de punição. A gravação foi feita depois de o presidente se reunir com alguns dos seus principais ministros, quando preparou não só a estratégia política para estes cinco dias que estará ausente do Brasil, mas também a estratégia jurídica.

O peemedebista ingressa nesta segunda-feira com ação civil e criminal contra Joesley, conforme anunciou no sábado, 17 em dura e longa nota distribuída em sua defesa. Nos encontros do fim de semana, o presidente discutiu também a estratégia de defesa contra a já esperada denúncia da Procuradoria-Geral da República a ser apresentada nos próximos dias. O Planalto quer mostrar que está se armando e pronto para esta e outras batalhas que vierem.


2 comentários

  1. Assenta Poeira
    segunda-feira, 19 de junho de 2017 – 18:57 hs

    Essa crise gigante causada pelos políticos corruptos precisa acabar para o bem da nação.
    O Dr. Dallagnol e Dr. Moro estão agindo com rigor na podridão que encontraram e tiveram coragem de enfrentar. Fizeram com bravura a guerra que os brasileiros apoiaram. Eles tiveram a superexposição de acordo com a magnitude do caso.
    Agora, esse capítulo tem a necessidade de finalizar.
    Para não ficar puramente personalíssimo as instituições superiores do MPF e JF agiriam com serenidade optando pela remoção dos bravos procurador e juiz.

  2. FUI !!!
    terça-feira, 20 de junho de 2017 – 5:12 hs

    A estas alturas do campeonato para o Temer só resta uma alterna-
    tiva mesmo. É atacar, atacar e atacar. Uma vez salvo pelo TSE o ca-
    ra precisa empunhar uma bela metralhadora e partir para o ataque
    vigoroso até final de 2018. Enquanto isso, nós pobres mortais vamos
    continuar vendo o país indo cada vez mais para o buraco…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*