Rossoni quer tucanos fora do governo Temer | Fábio Campana

Rossoni quer tucanos
fora do governo Temer

Valdir Rossoni é o tucano da linha hard do Paraná. Acredita que sobre assuntos capitais não dá para ficar em cima do muro, é preciso decidir logo e tocar o barco. Ele voltou a defender a saída do PSDB do ministério de Michel Temer, sem que isso comprometa o apoio às reformas em curso no Congresso Nacional.

A condição de chefe da Casa Civil de Beto Richa não inibe Rossoni de tomar posições como essas. A questão está aberta para discussão no Paraná. Rossoni, que já presidiu o PSDB estadual e é um dos articuladores da bancada paranaense em Brasília, o tucanato paga preço muito alto por apoiar o governo peemedebista. “É o dilema: apoiar um governo que não é nosso e com índice de aprovação baixíssimo ou continuar na base?”, diz ele.

O risco e o melhor caminho

Para o Chefe da Casa Civil, o melhor caminho seria deixar os ministérios e outros cargos, mas manter o apoio às reformas no Congresso. “O maior problema é que se o PSDB sair do governo, ajuda a afundar o Brasil e aumentar a crise e o desemprego, o que vai atingir especialmente os mais pobres. Precisamos pensar no país e no nosso povo nesse momento”, disse.
A executiva nacional do partido, senadores, deputados e os presidentes dos 27 diretórios do PSDB se reúnem nesta segunda-feira (12), a partir das 17 horas na sede da legenda em Brasília, para decidir se continua ou não na base do governo federal.
Ladrões – Durante a prestação de contas pela internet, Rossoni também falou sobre a corrupção generalizada nos governos de Lula e Dilma. “Nunca se viu tanto ladrão num só partido como no PT”, disse.
Ele também criticou o uso dos sem-terra como massa de manobra em manifestações de apoio aos ex-presidentes, ex-ministros e dirigentes petistas acusados de corrupção pela justiça federal. “Em 14 anos de governo deles, o número de sem-terra só aumentou. Eles não foram atendidos pelos governos do PT?”, questionou.


4 comentários

  1. Zé da esquina
    segunda-feira, 12 de junho de 2017 – 13:07 hs

    Com os impostos escorchantes, os empresários precisam ficar ligados umbilicalmente nos políticos para sobreviverem. Consegue-se uma benesse aqui, outra ali, uma propininha acolá para se safar do afano tributário. Ao final, não se paga o imposto, pagam-se as propinas, custeia-se as imensas regalias dos “estadistas”, via subsídio, motorista, veículo, combustível, viagens, moradia, verbas dissos e daquilos, e o povo óóóó´oóó´oó´oóó .I.( )

  2. Lisandro Cesar Vieira
    segunda-feira, 12 de junho de 2017 – 14:22 hs

    Será que vai ter de apagar este vídeo também.

    Se Aecio pedir por chefe Richa, ele tem que tirar.

  3. JOHAN
    segunda-feira, 12 de junho de 2017 – 16:37 hs

    Caro FÁBIO, desculpem o ROSSONI, ele está chegando agora e está lendo as notícias atrasadas. Os governos PT e PSDB são iguais, salvo pequenas diferenças. Ele argumenta do desemprego, da corrupção, do MST. Faltou falar da TRANSPARÊNCIAS, das dificuldades dos empresários em levar avante projetos privados, privados de licenciamentos. Que que é isso ROSSONI. A idéia é defender as ações para a recuperação e o bem do ESTADO e desenvolvimento da nação. A classe política parlamentar abastada, já recebeu a sua parte. Devemos nos preocupar com os 18,0 MM de desempregados e das atividades geradoras de empregos. Atenciosamente. . .

  4. segunda-feira, 12 de junho de 2017 – 17:34 hs

    Esse Rossoni apoiou como nunca o golpe de Temer e agora vem dar uma de honesto parecendo que todo mundo é idiota para acreditar em suas boas intenções, crie vergonha na cara homem quem te conhece sabe muito bem o que você representa na politica do estado ou seja maracutaia, maracutaia e maracutaia..

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*