Primeira baixa no PSDB | Fábio Campana

Primeira baixa no PSDB

A decisão do PSDB de permanecer na base aliada de Temer provocou a primeira baixa no partido: Miguel Reale Júnior, advogado e um dos autores do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, decidiu deixar o partido. Ao jornal O Estado de S.Paulo Reale afirmou que desistiu do partido “diante de tantas vacilações e fragilidades onde não se pode ser fraco, que é diante da afronta à ética”.
Ministro da Justiça no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Reale Júnior ironizou a postura do partido, que tem feito reuniões periódicas para discutir o desembarque do governo, mas, no entanto, resultando em sucessivas permanências “Espero que o partido encontre um muro suficientemente grande que possa servir de túmulo”, afirmou o advogado.


5 comentários

  1. Daniel Fernandes
    terça-feira, 13 de junho de 2017 – 13:32 hs

    Parabéns para o Miguel Reale Júnior.
    Coisa de gente decente.
    Cadê as pessoas que falaram tão mal dele, por causa do pedido de impeachment e por ele pertencer ao PSDB?
    Alguma destas pessoas habilita-se a dizer algo?

  2. Sergio Silvestre
    terça-feira, 13 de junho de 2017 – 13:41 hs

    Esse é outro pilantra que corou de vergonha dos outros pilantras maiores.

  3. Doutor Prolegômeno
    terça-feira, 13 de junho de 2017 – 13:57 hs

    Exagero e excesso retórico. Qualquer um sabe que PSDB e PMDB tem o mesmo DNA. A diferença entre eles é apenas uma letra. Dividiram-se por questões rigorosamente práticas e não éticas. Até lá no passado distante eram da mesma agremiação: Ulysses, Montoro, Amaral Peixoto, Tancredo Neves, entre muitos outros do velho PSD. A turma que pulou fora queria um partido só seu para atingir o poder, e conseguiu. A turma que ficou se contentava em fazer parte de qualquer governo, e conseguiu. Nada mais.

  4. Petista
    terça-feira, 13 de junho de 2017 – 15:27 hs

    – ESSE É OUTRO GOLPISTA ARREPENDIDO!!

  5. Jotinha
    terça-feira, 13 de junho de 2017 – 17:25 hs

    Não sou PSDB, nem PMDB, nem Temerista, estou longe de fazer defesa deles; mas vamos e venhamos, depois de aderir ao governo em defesa do país, agora sair? aí é mero aproveitamento, deveriam nem ter entrado ou agora que fiquem até o fim e o presidente que arque com suas consequencias na pessoa do Temer e de quem mais for pego cometendo erros, cada coisa no seu lugar; o mesmo acontece quando um pai de familia vai preso, os demais integrantes da familia tem de se unir para não desmoronar a familia toda; é opinião minha, independentemente de partido e de politica.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*