'PR 459 será a rodovia do desenvolvimento', diz Rossoni | Fábio Campana

‘PR 459 será a rodovia
do desenvolvimento’,
diz Rossoni

O chefe da Casa Civil e deputado federal licenciado, Valdir Rossoni, foi um dos principais coordenadores da discussão da retomada da obra de pavimentação da PR-459, entre Pinhão e Reserva do Iguaçu, em 2013. Após diversas reuniões na capital e no interior, o governador Beto Richa assinou a autorização para o reinício em abril daquele ano.

Uma delas aconteceu no dia 21 de março, no Palácio Iguaçu, em Curitiba. Duas semanas depois do encontro, Rossoni confirmou que o projeto finalmente sairia do papel.

“Esse é um dos grandes investimentos que o governo Beto Richa está fazendo no Paraná. A região tem uma economia basicamente agrícola e precisava de apoio do governo para acelerar o desenvolvimento”, explicou o secretário durante a inauguração da obra neste sábado (10).

Rossoni, que em 1997 foi o autor do projeto de emancipação de Reserva, acredita que a rodovia será um novo marco para toda região e deve significar a emancipação econômica da cidade. “A obra começou no governo de Jaime Lerner, mas ficou paralisada nos oito anos da administração do ex-governador Roberto Requião sem justificativa. Isso atrasou o desenvolvimento da região. E agora vamos recuperar o tempo perdido”, garantiu.

O secretário explica que ela vai facilitar a vida dos agricultores, que agora poderão escoar as safras para as cooperativas de Guarapuava com mais rapidez e menor custo. E vai aumentar a circulação de veículos e pessoas, o que causará um impacto positivo no comércio local, gerando emprego e renda.

“Mais que um asfalto novo, é um projeto que visa estruturar economicamente os municípios e dar melhor condição de vida aos paranaenses que vivem ali”, disse o secretário, que em 2013 recebeu o título de cidadão honorário do município pelo seu empenho com a conclusão da PR -459.

Rossoni também elogiou as lideranças políticas e comunitárias da região pela luta da retomada das obras. Em especial, os ex-prefeito de Pinhão Dirceu José de Oliveira.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*