Rossoni: 'O Paraná exige transparência' | Fábio Campana

Rossoni: ‘O Paraná exige transparência’

O chefe da Casa Civil Valdir Rossoni afirmou nesta sexta-feira, 2, durante agenda na região Noroeste do Estado, que a determinação do governador Beto Richa é que todas as ações do executivo estadual sejam transparentes e que a população tenha acesso às informações e ajude na fiscalização.

“A população fez um enorme esforço durante o plano de ajuste. E o governo reconhece e respeita isso. Queremos que o povo paranaense tenha o direito de saber onde os recursos que saem dos impostos estão sendo empregados agora”, garantiu.

A declaração foi feita durante encontro de Rossoni com lideranças políticas e comunitárias da cidade de Guaporema, no Noroeste. Nesta sexta-feira, o secretário realizou audiências públicas com prefeitos, vereadores e lideranças comunitárias em oito municípios da Região Noroeste do Estado. São eles: Japurá, São Manoel do Paraná, Indianópolis, Guaporema, Cidade Gaúcha, Tapejara, Mariluz e Cruzeiro do Oeste.

Balanços – Além de fazer um balanço das obras do governo em andamento na região, durante os encontros anunciou autorizações de financiamentos, pelo governador, e novas obras em áreas como educação, segurança, saúde e infraestrutura.

“Em São Manoel do Paraná, por exemplo, liberamos recursos para a compra de equipamentos pesados para recuperação de estradas, para reforma de escolas e compra de estufas para apoio à agricultura familiar. São municípios pequenos e investimentos que a prefeitura sozinha não conseguiria fazer sem o apoio do governo do Estado”, explicou Rossoni.

Neste sábado, o secretário encerrou a agenda de encontros – que começou na quinta-feira (1º de junho) com visitas a sete cidades – na região Noroeste com reuniões em Campo Mourão (9h), Engenheiro Beltrão (11h30) e Terra Boa (14h). Os deputados estaduais Márcio Nunes (PSD) e Alexandre Curi (PSB) e Jonas Guimarães (PMDB) acompanharam a agenda.


4 comentários

  1. admilson reis guassu
    domingo, 4 de junho de 2017 – 18:10 hs

    sobre o AECIO? nada, CAGÃO

  2. domingo, 4 de junho de 2017 – 20:19 hs

    Quando foi que ele aprendeu essa palavra transparência foi com o Aécio aquele que mandou ele tirar imediatamente aquele vídeo que ele estava garganteando em deixar a presidência se o cheirador ficasse no partido.

  3. xiru de palmas
    segunda-feira, 5 de junho de 2017 – 7:57 hs

    Só acredito em transparência quando os lacaios do Betinho aceitarem em assinar a CPI na Assembléia.
    Fora isso tudo é confete.
    Colocar no site as obras e os pagamentos feitos pelo governo é, no mínimo, uma obrigação burocrática.
    ATE A PREFEITURA DE CLEVELÂNDIA FAZ ISSO.
    Quero ver a punição da “Quadro Negro”.
    Onde estão os funcionários e comissionados deste governo que assinaram liberando verbas para obras nem existentes??????????

  4. JOHAN
    segunda-feira, 5 de junho de 2017 – 9:53 hs

    Caro FÁBIO, infelizmente o ROSSONI diminuiu de estatura política ao entrar nessa seara DE TRANSPARÊNCIA. A TRANSPARÊNCIA no uso de recursos financeiros públicos são obrigatórios, lamentável que as lideranças públicas nunca deram prioridade e valor moral a essa tarefa. Contudo transparência não é só na aplicação de recursos, é também na gestão e na atividade das inumeras funções do estado. Se não, vejamos o caso do IAP, órgão que emite as famosas licenças ambientais para atividades poluidoras e para ligação de energia em propriedades rurais. Sem transparência, existem casos de residências construídas que aguardam a liberação do IAP para a COPEL ligar a energia. Contudo não é só isso, ninguém, nem mesmo o ROSSONI sabe como são emitidas as licenças. Não existe nenhum controle superior. Se faz necessário um acompanhamento das licenças solicitadas, das licenças emitidas, das condicionantes, tudo isso não é divulgado. O requetrente quando recebe sua licença, divulga o número da licença recebida, porém não informa o conteúdo. A recomendação é de o IAP divulgar em seu site uma página na qual conste a data do requerimento, a data da emissão da licença, e para os interessados poderem abrir as licenças e consultar os dados do empreendimento, e o quanto afeta o meio ambiente. Isso é o mínimo ROSSONI. Sem essas ações não há TRANSPARÊNCIA, o resto é diletantismo dos dirigentes políticos. Atenciosamente. . l.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*