Muito leal, mas… | Fábio Campana

Muito leal, mas…

Em política, lealdade é coisa sempre relativa. O presidente da Câmara, por exemplo, tem garantido o sono de Michel Temer. Ele confia que Rodrigo Maia jamais se associaria a qualquer esquema para desestabilizá-lo, mesmo sendo o sucessor imediato. Maia se equilibra entre não precipitar a queda de Temer e preservar sua autoridade perante os deputados. Porém, outro fator retarda a cristalização de consenso em torno dele: o mercado teme que o seu pai, César Maia, não resista à tentação de influenciar a política econômica.

Como todo intelectual que “se acha”, Cesar Maia, o pai, poderia meter o bedelho e provocar a saída de Henrique Meirelles de Fazenda.A preocupação é preservar Henrique Meirelles na batuta da economia, como uma das últimas amarras de credibilidade do arranjo de poder. Além de sucessor imediato, em eventual vacância da presidência, Rodrigo Maia é o mais cotado para suceder a Temer pela via indireta. Na viagem de Temer a Moscou e Oslo, Rodrigo se esforçou muito para não demonstrar que estava adorando os encantos da interinidade.


Um comentário

  1. PIMENTA PURA
    quinta-feira, 29 de junho de 2017 – 16:44 hs

    Advinha se o Maia não está com uma “coceirinha” naquele lugar
    para pelo menos uma vez ocupar a Presidencia da República !?
    Chance igual não vai existir. É como diz o velho ditado popular que
    um cavalo encilhado vai passar apenas uma vez na sua frente. É
    montar ou perder. E daí senhor Rodrigo Maia ????

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*