Mesquita avisa aos sindicatos que grevistas serão barrados na Câmara | Fábio Campana

Mesquita avisa aos sindicatos que grevistas serão barrados na Câmara

O secretário estadual de Segurança Pública, Wagner Mesquita, gravou um áudio que circula pelo Whatsapp, alertando aos servidores municipais que a Polícia Militar vai barrar quem tentar invadir a Câmara Municipal, na próxima semana. A ordem dada por Mesquita ao comando da PM é segurar todos os que tentarem invadir o local de votação. Inclusive com força física se necessário.

Mesquita alerta que haverá restrições de entrada de grevistas no local de votação e que serão retirados se não respeitarem o rito de votação. O secretário destaca que irá cumprir o que estabelece a Constituição, caso o local seja invadido. A PM vai retirar a força os grevistas.

Em função desta determinação, Mesquita pede aos grevistas que tem bom-senso e evitem o confronto.


6 comentários

  1. sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 16:41 hs

    Segundo 29 de Abril na ficha de Mesquita.

  2. Azedo
    sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 17:08 hs

    TEM QUE DESCER A BORRACHA NESSES SINDICALISTAS PARASITAS! CAIAM NA REAL, NÃO TENHAM PENA DESSA CORJA.

  3. Veredito
    sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 17:33 hs

    O que pensam que são estes entes grevistas? Donos da verdade? Deuses? Intocáveis?Quem vai substituir os médicos e enfermeiras grevistas? E os familiares de alunos da rede municipal de ensino terão que faltar ao emprego para cuidar dos filhos:quem vai pagar este prejuizo? Se alguém faltar ao emprego numa empresa particular terá descontos no salário.Na prefeitura os grevistas fazem o diabo na vida dos curitibanos e ainda ficam raivosos só em saber que o prefeito vai mandar descontar os dias parados.
    Uma corja de vagabundos e falsos moralistas!

  4. Sergio Silvestre
    sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 18:20 hs

    Pois é,quem vai pagar isso né,o correto é eles irem para casa,pagar as altas taxas de água ,luz etc e comerem sua ração e ficarem calados por que quem manda são os juízes e políticos que tem nas mãos a policia que também come sua ração e fica quieta.
    Votaram nesse estrebuchado e agora aguentem,até por que curitibano é acostumado com a propaganda do antigo baleia azul o Lerner e não se incomodam se o ferro é de 10 ou de 30 cm.

  5. Juca
    sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 18:59 hs

    SS Calça Frouxa, cuide dos assuntos aí da Bratac e deixze de se meter no que não é de sua competência!

  6. Eu conheço o Greca
    sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 22:03 hs

    É muito fácil as pessoas que estão de fora falarem sempre dos Servidores Públicos. Geralmente os que falam são as pessoas que na realidade teriam vontade de SER, mas não tem condições de SEREM. Pois geralmente são esses que reclamam ou criticam são os mesmo que apoiam os CABIDES de EMPREGOS de pessoas que não conseguem passar num concurso público, mas vivem as custas de Políticos aproveitadores que “sugam” a máquina pública INCHANDO o governo (federal, estadual e municipal) com os famosos ASPONES, que a custa de um CARGO COMISSIONADO, não são considerados funcionários públicos e nem mesmo querem, somente querem ganhar as suas gratificações a custa de apoiar esses GOVERNANTES que quando tudo vai mal a culpa sempre vai para FOLHA DE PAGAMENTO, mas esses mesmos não se acanham de colocar pessoas desqualificadas em CARGOS e MAIS CARGOS sem necessidade nenhuma para a população.
    GRECA passou alguns anos na COHAPAR e literalmente inchou a empresa e agora na prefeitura que herdou do BETO RICHA, está pronto a destruir as conquistas de funcionários dedicados e com qualificação. Professores infantis que chegam desde as 07 horas da manhã e trabalham 8 horas seguidas para garantir o funcionamento das CRECHES.
    Vocês que estão comentando acima sobre BATER EM PROFESSORES E PROFESSORAS E OUTROS FUNCIONÁRIOS. Deveriam sim verificar as PROMESSAS DE VALORIZAÇÃO DO PREFEITO GRECA em sua campanha, mas nesses meses deveriam pesquisar o quanto AUMENTOU O CABIDEIRO dos comissionados INDICADOS PELO BETO RICHA……ISSO SIM É VERGONHA E DEVERIA SER ABOLIDO DA POLÍTICA, não uma MANIFESTAÇÃO LEGÍTIMA DOS FUNCIONÁRIOS QUE COMO SEMPRE PAGAM O PATO DE GESTORES QUE NÃO SÃO PREPARADOS NEM PARA GOVERNAR A SUA PRÓPRIA CASA E FAMILIARES.

    VEJA AS PROPOSTAS DO CANDIDATO RAFAEL GRECA PARA CURITIBA

    Rafael Greca, do PMN

    O candidato disse que sua proposta é o resgate da qualidade do serviço público municipal, a recomposição da máquina da prefeitura como máquina eficiente. “Nós que já fomos a melhor cidade do brasil, já tivemos o prêmio internacional de Habitat por eficiência em 1996, hoje estamos perdendo a autoestima.”

    Ele citou informações da prefeitura e de outros órgãos para dizer que foram fechados 1016 leitos hospitalares para pacientes do SUS, na gestão atual. E apontou a formação de filas de pacientes na madrugada na porta dos postinhos de saúde, “onde falta médico e remédio”. “Os doentes crônicos se desacorçoam de ir para a fila a cada madrugada para garantir as consultas eletivas e vão para as UPAs, que já não contam como antes com a retaguarda dos hospitais. O PT mudou essa política de saúde, que nós queremos retomar.”

    O candidato quer ligar Curitiba em novas energias, com auxílio da Copel e da Agência de Fomento do Paraná, e utilizando novas tecnologias que transformamos os lixões em aterros solares, os tetos dos edifícios em plantas solares, além de ligar as redes de táxis em carros solares. “Queremos trazer para Curitiba uma cadeia produtiva de novas energias.”

    Sobre segurança pública, observou que os 1370 guardas municipais somados com 400 guardas novos que serão chamados no começo do ano, e a outros que podem ser contratados, ainda não serão suficientes par a grande tarefa de policiar a cidade. “Devemos fazer um sistema híbrido de tecnologia com inteligência humana, usando a central de monitoramento que nos deu a Copa do Mundo, com câmeras e equipamentos que possam acionar as viaturas da PM ou da Guarda, conforme a intensidade da ocorrência, complementar com botões de pânico instalados no comércio, casado a um plano comunitário de segurança, o que pode evoluir para se conectar com empresas de segurança, a fim de que a cidade conectada tenha tolerância zero com o crime.”

    Disse ainda que pretende “trabalhar fortemente na defesa social, na educação da mocidade, e em outras ações que aproximem as forças policiais, que civilizem a cidade e que acalmem o conflito social que nos infelicita. Vai desde o resgate social na porta das igrejas até a marquise das lojas. Quero criar a balada protegida e a porta da escola protegida. Na festa da ordem, quando a força policial estava na praça, tudo ia bem. Não podemos renunciar ao direito de cidadania, de ir e vir.”

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*