Ganha força tese de que TSE absolverá Dilma e Temer | Fábio Campana

Ganha força tese
de que TSE absolverá Dilma e Temer

Do Painel da Folha de SP

Ganhou força no Congresso e no Judiciário a aposta de que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pode adotar uma solução salomônica ao julgar o pedido de cassação da chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer. Os ministros não devem acolher a tese de separação das contas da campanha de 2014, mas sim a de que a ação teve seu objeto excessivamente ampliado no curso do processo. Haveria, aí, brecha para o argumento de que a acusação inicial não é forte o suficiente para condenação.

Intramuros A tese foi discutida após sessão da corte eleitoral desta terça (30). Em outros tribunais superiores, magistrados dizem que a falta de opção para o Planalto caso Temer perca o mandato pesa sobre o TSE.

Unidos A defesa de Dilma foi a primeira a contestar a adição, por exemplo, de delações da Lava Jato aos autos do TSE. Na reta final do processo, advogados de Temer colocaram peso no argumento e anexaram três pareceres sobre o assunto ao caso.

Nada definido Nenhum cenário, porém, é visto como definitivo. Há forte expectativa sobre a possibilidade de Temer ser alvo de uma denúncia da PGR. O ministro Edson Fachin, relator do caso no STF, deu 10 dias para o encerramento do inquérito. A defesa recorre


2 comentários

  1. Macambúzio
    quinta-feira, 1 de junho de 2017 – 17:17 hs

    Neste caso, que o TSE largue de ser COVARDE e admita publicamente que ROUBOS DO ERÁRIO PARA USO EM ELEIÇÕES NÃO SERÁ PUNIDO NO BRASIL!!! E aproveitem e declinem o percentual da comissão…

  2. JÁ ERA...
    sexta-feira, 2 de junho de 2017 – 5:10 hs

    Se o TSE acha que separar a dupla Dilma/Temer é impossível (o
    que está correto), porem a cassação da chapa traria problemas na
    sucessão, algum conceito jurídico está errado. É a mesma situação
    que absolve um assassino confesso porque as penitenciárias estão
    superlotadas. É melhor pararem por aí !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*