Fim da JBS nos EUA? | Fábio Campana

Fim da JBS nos EUA?

Parece que não é só por aqui que há revolta contra as atitudes dos irmãos Batista e a gigante pela própria natureza JBS. Ligada no estrago que a empresa fez no Brasil e a maneira imoral como conseguir subir os degraus competitivos de mercado, usando e abusando das benesses oferecidas durante os anos do PT/BNDES, uma associação de pecuaristas encaminhou ao presidente Donald Trump carta, pedindo que o governo investigue a JBS nos EUA.
A R-Calf USA pede, se forem comprovadas práticas ilegais, o fechamento imediato de todos os ativos da empresa. E mais, sem acordo de leniência.
O documento tem onze páginas e uma série de detalhes.

Segundo a Folha de S.Paulo, a entidade pede que sejam examinadas as relações entre a JBS e congressistas, autoridades e funcionários do Departamento de Justiça, do Departamento de Agricultura, do CFTC (órgão que controla as operações no mercado futuro de commodities nos EUA) e de outras agências federais.

O documento também pede a anulação ou reversão das aprovações dadas pelo governo a operações de fusão e aquisição da companhia brasileira nos EUA.

Fazendo referência às investigações da Polícia Federal, que apontam pagamento de propina pela empresa em troca de vantagens, o sindicato diz que “é nítido agora que o modelo de negócio da JBS dependia fortemente de práticas ilegais e de corrupção para influenciar ações e políticas governamentais assim como decisões por entidades reguladas, como bancos”.

Por isso, é provável que a companhia tenha adotado a mesma abordagem em sua operação americana, dizem. Por isso, é necessária uma investigação do escopo e impacto dessas práticas sobre a indústria de gado, “constituído por centenas de milhares de fazendas familiares e ranchos e vitalmente importante para o bem-estar econômico na América rural”.

A entidade diz que denunciou as práticas da JBS desde sua entrada no mercado americano, em 2007, mas foi ignorada.

O documento segue elencando casos suspeitos de atuação da empresa, como na aquisição da fazenda do Smithfield Beef Group and Five Rivers, da Pilgrim’s Pride, da McElhaney Cattle Company e de duas plantas de embalagem da XL Four Star Beef.

A entidade ainda levanta suspeitas sobre mudanças na legislação e no quadro regulatório americano que teriam beneficiado a JBS, como o relaxamento de restrições sanitárias à importação e a suspensão da lei que determinava a identificação do país de origem de carne bovina, suína e outras commodities.

“Se essas alegações estiverem corretas, então a JBS zombou das leis e regulações dos EUA”, conclui o pedido, assinado pelo presidente da entidade, Bill Bullard.


3 comentários

  1. Daniel Fernandes
    sábado, 10 de junho de 2017 – 17:20 hs

    Agora você alegrou o meu sábado, Fábio.
    Como eu vivia dizendo (torcendo para que acontecesse), o pilantra vai ser pego pelo DoJ.
    E se o retardado achava que ia ter vida tranquila nos States, ele acabou de ver que estava enganado.
    Sabe o que acho que acontecerá?
    Ele voltará para o Brasil.
    Pois lá, será o DoJ atrás dele.
    E aqui….. nem precisa falar né?

  2. VISIONÁRIO
    domingo, 11 de junho de 2017 – 6:10 hs

    Pode ser até egoísta mas estou torcendo para que 2017 termine
    bem rápido do jeito que está. Deste jeitinho porque não há mais na-
    da interessante e importante para o país. Não faz diferença alguma
    quem ocupa ou ocupará algum cargo importante em Brasília porque
    fica tudo igual apenas mudando de mão. O país anda tão mal que
    seria o mesmo que acompanharmos a eleição do cara mais bonito
    de todas as penitenciárias. Não vai mudar nada. A única esperança
    é que os jovens de hoje vendo tanta desgraça e malandragem
    mudem definitivamente o rumo deste país.

  3. Jotinha
    domingo, 11 de junho de 2017 – 14:29 hs

    Claro, estão certíssimos, esses caras tem de ser caçados pelo mundo todo, já demonstraram maus comportamentos, não pelo caso das denúncias, mas são umas pessoas desconfiáveis, possivelmente psicopatas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*