Depois do nudes… | Fábio Campana

Depois do nudes…

Caíque Marcatt, tem 31 anos, é casado, tem filhos e até segunda-feira era presidente do PSC Jovem, partido do qual é filiado desde 2006.
Perdeu o cargo depois de enviar fotos íntimas para uma das coordenadoras do movimento Direita São Paulo. O rapaz não tem constrangimento pelo ocorrido e se manifesta com humor: “Foi uma sacada de mestre”. E chegou a postar a foto acima como comentário no Facebook do movimento que o espinafrava. Podem xingar Caíque de louco, maníaco, desequilibrado, pervertido e toda a sorte de elogios que quiserem, mas ninguém pode dizer que ele perde a piada.

Em nota, o Partido Social Cristão disse que “reafirma seus ideais cristãos democráticos e de profundo respeito ao ser humano”. 

O Uol escreveu uma matéria completa sobre o caso.

Marcatt havia irritado o movimento ao opinar sobre uma manifestação liderada pelo grupo em maio deste ano contra a Lei de Migração, aprovada no Senado e à espera da sanção do presidente Michel Temer. O ato na Avenida Paulista terminou em conflito entre integrantes do MDS e imigrantes palestinos. Em post no Facebook, Marcatt escreveu que o incidente colocou frente a frente “dois grupos extremistas que não fazem do diálogo a melhor forma de fazer democracia” e que o conflito provou que “literalmente os opostos se atraem”. O MDS reagiu com críticas ao ex-presidente do PSC Jovem. “Ele na sua infinita ignorância, formando a sua opinião pautada no que a imprensa tomada pela esquerda diz, nos rotula como extremistas e que não somos a favor de diálogo”, postou o movimento no último dia 4, convocando seus seguidores a responderem a publicação no perfil pessoal do político.
Marcatt disse ao UOL que a partir deste momento tanto ele como pessoas próximas começaram a sofrer ataques nas redes sociais. “Sei lidar com isso, sou uma pessoa pública, mas começaram a direcionar ataques à minha família, com ameaças. Compartilharam meu perfil e de meus familiares, disseram que eu não respeito a direita, que sou esquerdista. Não sou nada disso”. E então, no que assegura ter sido um momento de extremo nervosismo (“estavam expondo até minha esposa”), o político enviou a foto de suas partes íntimas a uma coordenadora do MDS. “Tirei uma foto da minha bola direita e perguntei: veja se essa bola é de direita”. A mulher que recebeu a imagem preferiu não se identificar, mas disse ao UOL uma versão diferente do caso. “Tanto nós (do MDS) como outras pessoas começaram a escrever que ele estava errado no que estava escrevendo sobre o grupo. Aí no meu comentário ele escreveu ‘te mandei uma mensagem inbox’. Lá dizia assim: ‘veja se é de direita mesmo’. E eu: ‘o que é de direita?’ Daí ele mandou esse nude em que ele dizia ser a bola direita dele’”.
Inconformada com a mensagem, a coordenadora do MDS tirou um print do “nude” que recebeu e o publicou nos comentários da postagem de Marcatt. A imagem acabou viralizando no Facebook e irritou o político.
“O que o Direita São Paulo e esta garota provocaram poderia me levar a consequências muito graves, como aconteceu com outras pessoas da sociedade que sofreram com vazamentos de nudes. Mas felizmente tenho a cabeça tranquila. Eles que procurassem a Justiça ao invés de me expor. Eu errei, mas eles também erraram”, afirmou.
A coordenadora rebateu, dizendo que “infelizmente” só publicou a imagem num momento de nervosismo para mostrar o tipo de argumento baixo que o político estava usando na discussão. “Enviei também para a esposa dele porque alguém que estava escrevendo lá colocou o perfil dela. Mas ninguém ameaçou a esposa dele nem nada, foi somente uma tentativa de mostrar como ele estava errado. Eu não fiz uma postagem isolada sobre isso, nem nada”.
A integrante disse que jamais tinha falado com Marcatt e refutou a comparação que o político fez com outras pessoas que tiveram a privacidade violada nas redes.
“Ele escreve como se tivesse sido vítima de algo, como se ele tivesse uma relação de confiança comigo, que é o caso das pessoas que sofrem com esses vazamentos. Não é como se nós tivéssemos tido qualquer relação de confiança. Ele é casado. Eu também sou, moro junto. Ele poderia muito bem, no ato das críticas, ter bloqueado todo mundo ao invés de tomar a atitude de tentar intimidar enviando nudes”.
Fato é que o nude de Marcatt chegou ao conhecimento do PSC. Em nota na última segunda, o partido informou o desligamento do político da presidência nacional de sua ala jovem, reafirmou “seus ideais cristãos democráticos e de profundo respeito ao ser humano” e anunciou que o cargo “passará a ser ocupado pelo advogado Samuel Oliveira (DF), atual secretário nacional do PSC Jovem”.
Marcatt disse à reportagem que a saída foi consensual, o que a assessoria do partido nega (reforçam o desligamento). Ele inclusive entregou carta de desfiliação, alegando que gostaria de poupar a imagem do PSC em meio ao caso em meio ao caso em que se envolveu.
Continue lendo aqui.


4 comentários

  1. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 7 de junho de 2017 – 22:05 hs

    ‘Marcatt havia irritado o movimento ao opinar sobre uma manifestação liderada pelo grupo em maio deste ano contra a Lei de Migração’.

    Não queria escrever um discurso que parece vir de alguém fã da direita mais raivosa, mas….
    Sinceramente, vendo imagens na televisão, do que acontece na Europa, em que existem até previsões de que em 2050, países como Alemanha serão de maioria islâmica…
    Acho que o mundo ocidental está sendo mole demais com eles.
    Não gostam tanto do islamismo? Não acham que todos os assuntos têm de ser regidos pela sharia ? Ora, que fiquem nos países em que islamismo é religião oficial.
    Vêm fazer o que aqui no ocidente ‘infiel’?
    Em tempo: não sou de direita e sou ateu.
    Mas acho que está na hora de o Ocidente enxergar que está sendo molenga demais.
    Pronto, falei.
    Que fiquem em seus países.
    O POVO QUE VIVE AQUI NESTE PAÍS JÁ VIVE MAL E PORCAMENTE.
    PRECISAMOS TRAZER MAIS GENTE?

  2. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 7 de junho de 2017 – 23:33 hs

    Só para complementar…
    Tem um pessoal migrando para o Ocidente a fim de aproveitar a liberdade de que se goza aqui, para pregar contra a liberdade…
    Não deveria ser permitido pregar contra a liberdade.
    Eu não quero autoridade religiosa (de nenhum tipo) ditando ordens para mim. Vocês querem?
    Então, não me venham falar de direitos, etc.
    P.S.: Não, eu não sou de direita.

  3. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 7 de junho de 2017 – 23:48 hs

    P.P.S: Só para deixar claro, não sou de direita, e abomino o PSC e seus integrantes que querem misturar religião com política. E abomino quaisquer outros líderes religiosos que usaram de sua influência religiosa entre fiéis para eleger-se (exemplo: Eduardo Cunha, que ia aos cultos do Malafaia para pedir votos – procurem na internet o vídeo).

  4. Maquiavel
    quinta-feira, 8 de junho de 2017 – 11:00 hs

    Concordo. Deveria ser proibido pregar contra a liberdade.

    E afinal, se estamos “na merda” apenas com os nossos, imaginemos quando vierem os outros…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*