Barroso e o foro privilegiado | Fábio Campana

Barroso e o foro privilegiado

“Basta abrir os jornais para saber que manter a jurisdição do Supremo é uma bênção, porque supõe-se, ao meu ver com acerto, que a jurisdição de primeiro grau vai ser mais ágil e mais eficiente, quando de resto já existem mais de 140 condenações quase todas mantidas pelas instâncias superiores. Respeitando todos os pontos de vista, eu acho que não há argumento capaz de desfazer a realidade óbvia de que por Lei, Medida Provisória ou nomeações se quer assegurar o foro no Supremo e há de haver alguma razão para isso”.

(Luís Roberto Barroso, ministro do STF)


3 comentários

  1. eleitor desmemoriado
    sexta-feira, 2 de junho de 2017 – 12:38 hs

    Gostaria de acreditar no ministro, mas ele não contou a “estória” toda, esqueceu-se de dizer que a corte da qual faz parte se desdisse. A “jurisprudência” que a Suprema Corte tinha exarado no ano passado dizendo que, condenados em segunda instância deveriam começar a puxar cana foi revogada. Então teremos sim celeridade nos julgamentos no STF, mas os condenados só irão em cana depois da sentença transitada em julgado, em brasileiro, os que podem pagar um advogado razoável não vão nunca frequentar a cadeia.

  2. sexta-feira, 2 de junho de 2017 – 13:14 hs

    “Somos uma nau a deriva. Não tem ninguém segurando o timão desse navio que está prestes a adernar. Alguém se habilita a ser capitão dessa embarcação?…” – Profº Celso Bonfim

  3. Zabra Q Tize
    sexta-feira, 2 de junho de 2017 – 20:13 hs

    Um jurista milionário e entediado que foi fazer ativismo judicial no Supremo. Bem feito para Lula que o nomeou. Azar do Brasil.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*