Aluno de universidade estadual é mais caro que o de Harvard | Fábio Campana

Aluno de universidade estadual é mais caro
que o de Harvard

O Tribunal de Contas do Estado quer saber como é gasto o dinheiro público que alimenta os cofres das universidades e para isso vai abrir uma auditoria. A razão é que o volume de recursos destinados para as sete instituições de ensino superior do Paraná saltou de R$ 1 bilhão para R$ 1,9 bilhão em cinco anos. Uma reportagem da RPC mostra que o custo para formar um aluno na Unioeste, com sede em Cascavel, é de R$ 15.797,00 por mês. Na UEM, de Maringá, e UEPG, de Ponta Grossa, são quase R$ 12 mil mensais. A título de comparação, a anuidade para estudar em Harvard, uma das mais badaladas universidades americanas, é de US$ 43 mil. Pela cotação do dólar a R$ 3,30, são R$ 141 mil/ano ou R$ 11,8 mil por mês. Para estudar no Massachusetts Institute of Technology (MIT), outra reconhecida instituição dos Estados Unidos, a mensalidade é de R$ 11,55 mil. Nas universidades de Oxford e Cambridge, na Inglaterra, a mensalidade é um terço do valor gasto por aluno nas universidades paranaenses, R$ 3,2 mil.


33 comentários

  1. Viezzer
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 8:23 hs

    E na UEPG a iluminação é péssima. Muitos assaltos andam ocorrendo, pra onde vai o dinheiro?

  2. PEDROCA DO SUDOESTE
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 8:47 hs

    Aí fica demonstrado e evidenciado a falta de GESTÃO das Universidades, se joga muita grana no lixo, muitos professores, só estudam ,fazendo doutorado e mestrado,para melhorar seus salários e logo se aposentam com altos salários. Uns absurdos. E a qualidade de ensino não melhora. Triste realidade do ensino superior nosso.

  3. Veredito
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 9:08 hs

    É por esta e outras que elas não querem divulgar seus salários. E ainda por cima ameaçam com greves.

  4. MARCOS DE CASTRO FALLEIROS
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 9:17 hs

    Prezado Sr. O senhor teria a coragem de publicar a verdade sobre esta matéria, para esclarecer os seus leitores? Ou simplesmente vai continuar tripudiando em cima das IES do Interior do Paraná, fazendo ilações ridícula. Cabe lembrá-lo que duas delas estão entre as 25 Melhores do País, e não fazem mais que a obrigação. Se tiver coragem e honradez publique a nota abaixo, que mostra claramente a intenção de ridicularizar as IES para depois intervir nas mesmas apenas o uso político de um Governo, sem medir as consequências para a população.
    A Universidade Estadual de Londrina esclarece que não é verdadeira a informação emitida, ontem segunda-feira (26), pelo Governo do Estado, em declaração durante coletiva de imprensa do Tribunal de Contas do Estado (TCE), quando informou que o custo por aluno da UEL seria de R$ 9.476,00.
    Uma inverdade ao contribuinte paranaense, pois tomou integralmente o valor do Orçamento Ensino Executado em 2014 e simplesmente dividiu pelo número de alunos que concluíram seus cursos naquele ano (5067 alunos) desconsiderando os demais 15000 (quinze mil alunos) que estavam matriculados na UEL em 2014. Isso induz a população a concluir equivocadamente o custo/aluno da UEL.
    Segundo levantamento da Pró-reitoria de Planejamento (PROPLAN) da UEL, a média mensal de custo por aluno de graduação é de R$ 1.369,02. Essa é a verdade.

  5. quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 9:34 hs

    “É urgente que se faça alguma coisa contra esses absurdos perpetrados contra a administração pública do estado e contra todos os cidadãos e contribuintes do Paraná. Um abuso, acinte, um tapa na cara de todo mundo. Afronta totalmente os princípios elencados no artigo 37, caput, da CF/88. Manda esses marajás que ainda insistem em não se conectar com as mudanças sociais, politicas e filosóficas pelas quais o País está passando. Não há mais espaço para esse tipo de pratica no Brasil. O povo não aceita mais isso. Se julgam o ‘ALTO CLERO’ da administração pública e os outros são a base da pirâmide social do serviço público. Querem mandar mais que o governador e CF/88. O momento exige seriedade, ética e transparência. A crise atinge a todos. Só a ‘ELES’ que não. ‘ELES’ são uma ‘ILHA DE PROSPERIDADE CERCADOS DE RECURSOS DE TODOS OS LADOS…” – Profº Celso Bonfim

  6. quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 9:44 hs

    “Para ‘ELES’ está em curso uma ‘Teoria da Conspiração’ contra a ‘PSEUDA AUTONOMIA DAS UNIVERSIDADES. Leia-se por ‘AUTONOMIA DAS UNIVERSIDADES’, o Patrimônio ‘DELES’. O ensino. A docência. A educação é o que menos importa. ‘TODO MUNDO’ está errado. Só ‘ELES’ estão CERTOS. Me angana que eu gosto. Sabe de nada inocente! Parabéns ao governador pela iniciativa. Esses ‘NABABOS’ que se enquadrem como todo mundo que é funcionário público estadual…” – Profº Celso Bonfim

  7. QUESTIONADOR
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 10:23 hs

    -Como conceber que existem salários de professores doutores maiores do que o do governador, assim como os reitores…
    -As universidades estaduais torram as verbas com o pagamento da folha salarial, que a cada ano aumenta, mas a capacitação dos professores ainda é questionada assim como o ensino dentro das salas de aula.
    -Existem casos de professores com especialização, mestrado e doutorado em determinada matéria mas leciona outra.
    -Fora os edifícios que são construídos para “usar a verba” e nem são usados. Ficam lá sendo mal aproveitados e sem utilidade alguma. Estas construções custaram dinheiro aos cofres públicos com o pagamento de impostos por parte da população. E ninguém é responsabilizado, os reitores e chefes de departamento ficam com cara de paisagem e o dinheiro mal administrado.
    -Apoiamos a auditoria de todas as universidades, não somente federais, mas também estaduais!!! Chega de má gestão do dinheiro público!!!!

  8. www
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 10:42 hs

    Pessoal, mais uma vez, quantos alunos tem, por exemplo, a UEL? 16.000? Então vamos lá…16.000x12x11.700=2.246.400.000 >2.2bi. Este seria o suposto gasto da UEL considerando este gasto mensal! 2.2bi>1.9bi e 1.9bi é todo o dinheiro das IEs….vocês não estão vendo algo errado nestes números???Vocês não estão vendo manipulação de informação?

  9. jaferrer
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 10:50 hs

    Esses números foram irresponsavelmente divulgados como se depreende das palavras do próprio presidente do TCE. São preliminares, não indicam quais os componentes avaliados, custeio, folha, investimento, etc. O aumento de custo também indica o crescimento das IES, basta se informar sobre os programas de pós-graduação, as pesquisas, os laboratórios, etc. É falácia comparar esses números, que são simples divisão do valor total de recursos pelo número de alunos, com mensalidades de universidades americanas. O valor das mensalidades nas universidades americanas cobre apenas parte dos custos das instituições, existem muitas outras fontes, inclusive públicas, que completam o conjunto de recursos dessas universidades. Ou seja, o custo de um aluno em Harvard é muito maior do que o divulgado aqui. Jornalismo se faz com informação correta, não com sensacionalismo.

  10. Tisa Kastrup
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 11:07 hs

    E suas excelências os Mestres, Doutores e Professores integrantes do corpo docente não querem abrir seus salários no Portal da Transparência? Sei… Tá explicado né…!

  11. Paulo Roberto Godoy
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 11:34 hs

    A comparação realizada está totalmente errada. O custo aluno das Universidades Paranaenses não é, de forma nenhuma, da ordem de R$ 15,7 mil na Unioeste e R$ 12,0 mil na UEPG. Se dividido o Orçamento total de R$ 1,9 bilhões por aproximadamente 100 mil alunos, e dividido por 12 meses, dá uma média de R$ 1.583,33 por aluno/mês. Aproximadamente 10 vezes menos do que o valor informado. O custo em cada Universidade é diferente, dependendo, também, dos outros serviços, que não só ensino são prestados. Há, nos custos totais, também que se levar em conta os Hospitais Universitários.Na página da UEPG, há uma nota da Reitoria, dando informações a este respeito, dos anos de 2016 e 2017 (www.uepg.br).

  12. Vagner Moreira
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 11:36 hs

    A reportagem que “fundamenta” e divulga dados sobre custo por aluno baseadas no TCE é FALSA e parte de números mentirosos.
    Utilizada para fermentar o discurso privatista da universidade pública.
    A Unioeste tem hoje 10.072 alunos na graduação e mais 2.178 alunos na pós-graduação.
    No TOTAL a Unioeste tem 12.250 alunos.
    Considerando o HUOP, o “custo por aluno” está em torno de R$2.400,00. Se desconsiderarmos o HUOP, o “custo por aluno” é em torno de R$2.200,00, segundo dados da Proplan.
    Abaixo dados os dados corretos, disponíveis na página:
    http://www5.unioeste.br/portal/planejamento/direcao-desenv-inst/divisao-de-informacao/estatisticas-proplan

  13. Valdir bassai
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 11:45 hs

    Tem que privatizar todas essas universidades que formam alunos de outros estados com dinheiro que sai do nosso bolso

  14. marcelo
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 13:34 hs

    quase não tem maracutaia

  15. jaferrer
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 14:51 hs

    Para quem acredita nestas cretinices vindas do TCE e do governo do Estado e tem preguiça de fazer contas, é bom ter em mente o que segue:
    Custo dos alunos da Unioeste no valor de R$ 15.797

    A Unioeste conta atualmente com 12.250 alunos de graduação e pós-graduação presenciais. Caso o custo mensal de cada aluno fosse R$ 15.797,00 seriam aplicados mensalmente na Unioeste R$ 191.434.782,20 e, anualmente, R$ 2.297.217.386,46, portanto, este valor é totalmente irreal.

    O Orçamento executado, ou seja, despesas realizadas, no exercício de 2016, foi de R$ 352.177.489,94, valor este que consta no Portal da Transparência do Governo do Estado, com fonte no Sistema Integrado Administração Financeira do Estado, e constando também no Balanço da Unioeste, devidamente publicado e encaminhado às instâncias superiores do Estado. Considerando que em dezembro de 2016 o número de alunos matriculados foi 10.919, devidamente publicado na página da Unioeste, o custo médio mensal de cada aluno da Unioeste em 2016 foi de R$ 2.529,73.

    Se considerarmos o Orçamento Aprovado pela Assembleia Legislativa para o exercício de 2017 no valor de R$ 365.515.977,00 e os 12.250 alunos matriculados em 2017, teremos um custo médio de R$ 2.487 mensais por aluno.
    Ou seja, o orçamento da Unioeste, considerando o que diz a notícia, seira maior do que o orçamento conjunto de todas as sete IES que é de cerca de 1,5 bi. O presidente do TCE deveria ser processado por dizer tamanha asneira!

  16. Rafael
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 15:46 hs

    Veja os números verdadeiros da Unioeste: http://www5.unioeste.br/portalunioeste/maisnoticias/40816-nota-oficial

  17. Marcia
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 16:26 hs

    Acredito que vc tenha se enganado com suas fontes, pelo menos em relação as Universidades Estaduais do Paraná., Reveja-as, pois talvez vc não saiba mas patrimônios públicos de educação, pesquisa e extensão estão sendo desmoralizados, sucateados, com o propósito claro de dar vazão ao ensino privado. VC realmente compartilha disso?

  18. HORA DA VERDADE
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 16:36 hs

    Na historia destas Universidades, algum aluno se destacou como os mestres que passam por Harvard e os outros centros universitários citados?
    Estas “caixas pretas” temem o que para serem transparentes?
    Ou algo de pobre no Reino da Dinamarca, como acontecia aqui na UFPR?

    Nome aos bois, JJJAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

  19. Sebastiao Ferreira
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 17:21 hs

    É valiosa a preocupaçao pela gerencia descuidada dos recursos públicos nas universidades, mas tenha cuidado nas comparaçoes.
    Conheço um pouco do MIT, pois trabalhei lá 5 anos. O custo de um estudante no MIT nao é igual a mensalidade que ele paga. O MIT é uma instituiçao privada que tem um fundo (endowment) de varios bilhoes de dólares qué é muito bem aplicado, que cresce e gera rendas significativas, e tem contratos de pesquisa/consultorias que lhe aportam alguns milhoes adicionais. Nao podemos dizer que todos os custos do seu funcionamento provem dos pagamentos dos estudantes (fees). A relaçao qualidade/custo é a que merece a principal atençao.

  20. CLOVIS PENA -Estaríamos melhor
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 17:24 hs

    Constitucionalmente o ensino de 3º gráu é de responsabilidade do governo federal.
    Mas, o mesmo governo paranaense que resolveu construir o trecho da rodovia FEDERAL Curitiba / Garuva, incorporou na folha de pagamentos, como estatutários, TODOS os servidores das universidades estaduais.
    Uma pena estas vaidades e as “oportunidades” como os pedágios, que custam tão caro para o povo paranaense.
    .
    Poderíamos estar com as finanças públicas paranaenses bem melhor . Muito melhor.

  21. Rogerio Bobrowski
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 18:14 hs

    Há erros grotestescos nestas contas apresentadas.
    O Estado precisa de notícias coerentes.

    http://www3.unicentro.br/noticias/2017/06/28/unicentro-apresenta-numeros-e-contesta-custo-aluno-apresentado-pelo-tribunal-de-contas/

  22. Jotinha
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 18:26 hs

    Essa Uem era pra ser um brinco; e ficam falando do Governo; mas o dinheiro suado do povo é repassado pra eles que não sabem adinistrar dinheiro público, o fazem como sendo privado …

  23. eleitor desmemoriado
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 19:19 hs

    Estes números só vem a reforçar o que sempre digo, vivemos no país mais rico do mundo, os nossos universitários custam mais caro dos que estudam nas melhores universidades do mundo. Ou há algo errado nestes números ou estamos todos ficando loucos, será que alguém sabe explicar este “fenômeno”?

  24. Mauricio
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 20:16 hs

    Ou o autor do artigo é desinformado, não pesquisou direito ou estava intencionalmente reduzindo a análise às mensalidades pagas pelos alunos de Harvard comparada com a dotação orçamentária das Universidades estaduais do PR com o propósito de provar o ponto dele.
    A anuidade que os alunos de Harvard pagam representa 20%, 21% para ser exata das despesas operacionais da Universidade, com alguns cursos completamente pagos sem dinheiro de aluno. Isso significa que o aluno de Harvard custa 5x mais que o que ele paga. Vou mais longe nessa informação, e generalizando, a receita de aluno não passa de 50% das despesas operacionais das universidades americanas.
    Eu concordo que existe meios de melhorar a eficiência e a eficácia do gasto público com universidades estaduais, mas falar que o aluno brasileiro é mais caro que o americano é no mínimo falacioso.
    Link para o relatório financeiro de Harvard 2015-2016: http://finance.harvard.edu/files/fad/files/harvard_ar_11_12016_final.pdf

  25. João Luís
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 20:35 hs

    A solução é muito simples, fechamos todos esses cabides de empregos e valhacoutos de socialistas esquerdopatas que são a maioria das universidades públicas e mandamos todos os vestibulandos que passarem estudar nos EUA com bolsas pagas pelo Estado, como contrapartida, por contrato o formado deve voltar para trabalhar no Brasil por algum tempo estipulado. Se isso posteriormente não for de sua vontade, ele ou seus fiadores pagam o investimento feito pelo erário, do contrário entram para a dívida ativa da União podendo ter bens apreendidos ou embargados judicialmente. Se não me engano alguns programas de crédito educativo funcionam assim para alunos de baixa renda matriculados em universidades privadas.
    Achei até estranho eu ter pensado assim, mas olhem só o que disse o jornalista Fábio Campana, que não é de falar besteiras como eu, no mínimo ele pesquisou os valores que informa.

  26. www
    quarta-feira, 28 de junho de 2017 – 21:25 hs

    Realmente João Luís, você só fala besteiras. Apenas mais um ser defecante como outros incapazes de ver o absurdo que TCE fez.

  27. quinta-feira, 29 de junho de 2017 – 9:14 hs

    A forma de comparação é infantil. Já que compara a mensalidade dos alunos de Harvard, mas, a arrecadação através das mensalidades é suficiente para financiar todos os custos? Obviamente que Harvard obtém recursos de outros meios: doações, projetos com empresas, etc. Qual empresa do Brasil financia alguma pesquisa sem a contrapartida da isenção fiscal?

    Não se pode igualar todos os professores de todas as áreas. As universidades particulares financiam as campanhas desses deputados e obtêm verbas públicas como “bolsas”, financiamentos públicos e isenções fiscais! Casos tão graves quanto as da JBS.

  28. sexta-feira, 30 de junho de 2017 – 8:25 hs

    “Sempre defendi um ESTADO MINIMO. – PRIVATIZA TODAS que resolve essa M… Como foi quando privatizaram os bancos estaduais que nunca fizeram nada pelos estados. Eram tão somente e apenas um gargalo de corrupção e desvio de dinheiro público para os famigerados políticos estaduais. Que com essa privatização se livraram de pagar suas dividas com esses bancos depois de privatizados. Em nome da TRANSPARÊNCIA tira esse ‘ABACAXI’ das mãos do estado.O contribuinte paranaense está cansado de carregar esse piano. Qual o ‘RETORNO’ para a sociedade paranaense para termos que manter esses elefantes brancos? Se é que há algum retorno. Se é que há! O que eu duvido muito. Se dá algum retorno. Nem de longe se compara ao investimento do estado para manter essa estrutura. Repetindo, privatiza todas elas que resolve essa M… Sobrará mais dinheiro para o estado cumprir com suas outras obrigações. Não passam de CASTAS DE PRIVILEGIADOS. OS NOBRES. O ALTO CLERO. OS SANGUE AZUIS do serviço público paranaense. Isso é um crime contra os outros funcionários públicos do estado. Esses reitores querem mandar mais do que o governador. PRIVATIZA TUDO! Tenho direito de pensar assim. A Constituição me garante esse direito. E não abro mão de exerce-lo mesmo. Discorda de mim? Daquilo que falei e expus? Você também tem esse direito. Mas dentro da lei. Respeitando o direito de opinião dos outros. Sem ofensas pessoais. E dentro dos precitos da ética, e sobretudo da lei fique a vontade para discordar. O debate faz bem ao estado democrático de direito!…” – Profº Celso Bonfim

  29. Azedo
    sexta-feira, 30 de junho de 2017 – 8:45 hs

    Se todos vocês se unissem para exigir a FEDERALIZAÇÃO DAS UNIVERSIDADES, seria muito mais útil, embora 100% de transparência no uso do DINHEIRO DO PÚBLICO seja imperiosa.

  30. www
    sexta-feira, 30 de junho de 2017 – 10:57 hs

    Prezado Prof. Celso, entendo sua opinião. Não concordo mas entendo. O que você precisa entender e combater é que não se pode manipular a informação da maneira que foi feito, inclusive, neste blog. Entende isso? Não fomente sua opinião utilizando informação falsa. Entende isso? É perigoso e injusto.

  31. Marli Piologo
    sexta-feira, 20 de abril de 2018 – 10:07 hs

    As universidades públicas são EXTREMAMENTE mal administradas!!!!

    “Não sei de nada, mas desconfio de muita coisa”

  32. Cesar Azevedo
    terça-feira, 2 de julho de 2019 – 10:35 hs

    Seus números estão obviamente errados. Vc leu está matéria do Globo, que usa némeros do MEC?
    https://infograficos.oglobo.globo.com/sociedade/raio-x-do-custo-por-aluno-nas-universidades-federais.html

  33. Diogo
    sábado, 13 de fevereiro de 2021 – 12:03 hs

    Os números estavam certo sim, na verdade é muito pior. Está bem claro que esse é o custo do aluno formado e não da quantidade de alunos estudando. Quantos que quase jubilam pra se formar? Quantos desistem… O desempenho da universidades estaduais é ridiculoooo!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*