'Acordos não são pontos de chegada' | Fábio Campana

‘Acordos não são pontos de chegada’

Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

“Ache você bom ou ruim o acordo feito pela Procuradoria-Geral da República com os irmãos Batista, a revisão da homologação do acordo, na prática, dificultará, se não impedirá, o avanço das investigações da Lava Jato. Os investigados e réus só fazem acordos porque confiam que eles serão cumpridos. A possibilidade de revisão destruiria o ambiente e a segurança favorável à realização de todos os demais acordos com investigados e réus, o que é o motor propulsor das investigações Lava Jato. Acordos não são pontos de chegada, mas são excelentes pontos de partida das investigações e foram eles que permitiram a expansão exponencial da Lava Jato. Além disso, no caso concreto, a revisão da homologação poderá deixar a descoberto as informações e provas recebidas. Você quer que finjamos não ver o ex-Deputado Rocha Loures correndo com 500 mil reais nas ruas de São Paulo?”

Deltan Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima


2 comentários

  1. Pudico
    quarta-feira, 21 de junho de 2017 – 22:26 hs

    Esse cabra não trabalha? Só faz discurso remunerado? Brincadeira tem hora!!

  2. QUESTIONADOR
    quinta-feira, 22 de junho de 2017 – 10:05 hs

    -Concordo com os acordos para delação premiada, o que a maioria da população esclarecida não concorda é com o indulto total dado aos Batista…ou algum magistrado do STF e da PGR tem alguma coisa a esconder para formalizar um acordo tão absurdo????
    -Bandido é bandido. não merece perdão. No momento em que cometem crimes não pensam em nenhum momento ser pegos pelos braços da lei e nem se importam com os danos à ontrem ou com a morte das vítimas. Importam-se somente com os lucros que podem auferir, não importando se o contraventor seja um simples ladrão chinfrim ou um engravatado empresário ou mega especulador….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*