A violência que aterroriza | Fábio Campana

A violência que aterroriza


7:10 da manhã, uma estudante de 15 anos, mochila nas costas, a caminho da escola.
A cena é multiplicada em todos os cantos da cidade, do país. E é uma cena que inspira e muitas vezes é usada em campanhas eleitorais para explicar sobre direitos à educação, à cidadania, à formação e a um futuro melhor. É de futuro que se trata a imagem de uma colegial indo para sua obrigação e desfrutando de seu direito fundamental.
Mas tudo, a cada dia, se torna mais difícil no Brasil.
Hoje pela manhã, uma menina de 15 anos foi ferida nas costas por uma faca durante um assalto. Ela caminhava, como tantas outras, na Avenida João Gualberto. Estuda no Colégio Estadual do Paraná e segundo testemunhas tentou sair correndo e levou uma facada.
Recebeu ajuda, foi encaminhada para o Hospital Evangélico, a família avisada. Estudantes reclamam bastante da falta de segurança no local e que assaltos estão cada vez mais constantes ao redor do colégio. Deste e de outros. Nem policiamento público constante, nem apoio de segurança privada no caso das escolas particulares. É cada um por si.
O ferimento foi superficial. Na pele. Mas é mais uma marca do que acontece todos os dias em todos os cantos da cidade, do país. Se o presente está comprometido, o que esperar do futuro?


6 comentários

  1. sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 10:34 hs

    “E dá-lhe FUNREJUS no povo quando precisa registrar qualquer ato negocial em cartórios. Principalmente, e sobretudo, para compra de imóveis. Fora as outras taxas pelo poder de policia. Brasil, o País da GLUTONARIA. INJUSTIÇA E DESIGUALDADE TRIBUTÁRIA. E… Da insegurança da população. Queria ver se fosse com um filho de algum bacanão da SESP. No minimo o número de viaturas e policiamento ostensivo já estaria providenciado. Minha solidariedade aos pais dessa menina…” – Profº Celso Bonfim

  2. Lucas
    sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 10:42 hs

    Enquanto isso a PM ocupada batendo em servidores e protegendo vereadores que querem saquear direitos conquistados e aumentar impostos!

  3. Marcus
    sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 11:52 hs

    Cade a Cida Bhorgheti?
    Cade o Richa?
    Cade o Greca?

  4. Jorge Armado
    sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 13:36 hs

    A notícia acima certamente se refere a alguma cidade nordestina. Aqui as coisas são diferentes. Vivemos na capital do estado que tem a melhor segurança pública do Brasil, do mundo e quiçá do planeta. Afinal somos afortunados pelo choque de gestão do melhor governo de todos os tempos. O editor desse blog não deveria permitir notícias falsas como a publicada logo acima.

  5. Franchico
    sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 14:12 hs

    Na rua Carlos Eduardo Leão (que termina no Colégio Estadual) é um ponto de venda de droga, frequentado pela bandidagem. A meia quadra da Delegacia da Mulher. A polícia deveria dar umas “incertas” por lá, pra pegar os malacos, pois são um perigo para os estudantes desta prestigiosa Escola.

  6. JÁ ERA...
    sexta-feira, 23 de junho de 2017 – 19:13 hs

    Para quem como eu que dediquei a minha vida inteira a esta cidade
    maravilhosa, onde conseguíamos caminhar à noite pelas ruas e na-
    morar nas praças da cidade, vejo com imensa tristeza como Curitiba
    se transformou em uma cidade violenta e bem do estilo Rio de Ja-
    neiro. Se os governantes sabiam que se a cidade cresce e junto com
    o crescimento vem a violencia, porque ninguem trabalhou para evitar
    esta desgraça !? Hoje os bandidos do eixo Rio/São Paulo pratica-
    mente se transferiram para cá. Está difícil viver por aqui…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*